PUBLICIDADE
Topo

Por que ausência no Taiti não deve atrapalhar Medina no Mundial de Surfe

Gabriel Medina em Teahuppo; brasileiro não poderá competir a etapa por não ter tomado a vacina de covid-19 - WSL
Gabriel Medina em Teahuppo; brasileiro não poderá competir a etapa por não ter tomado a vacina de covid-19 Imagem: WSL

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

06/08/2021 04h00

Gabriel Medina revelou em live na Twitch que não poderá disputar a última etapa da temporada do Mundial de Surfe, em Teahupo'o, no Taiti, porque não tomou a vacina contra covid-19. A ausência, porém, não complica a situação do bicampeão mundial, que lidera a classificação com folga e ainda terá direito a descartes dos piores resultados.

Medina é o único do circuito masculino já classificado matematicamente para as finais da WSL (Liga Mundial de Surfe, em português). Ele está disparado na liderança do ranking masculino da WSL de 2021, com 46.720 pontos, contra 33.555 do campeão olímpico Italo Ferreira.

Nas seis etapas disputadas até aqui, o brasileiro soma dois títulos, em Narrabeen e Rottnest Search, ambos na Austrália, e três vices, em Pipeline, Newscastle e nas ondas artificiais de Lemoore. A única onda da temporada em que ele não chegou à decisão foi Margaret River, na Austrália, onde caiu nas oitavas de final e ficou com o nono lugar.

Apesar da larga vantagem na liderança, Medina ainda não tem garantido o primeiro lugar, que dará ao surfista o direito de entrar nas finais em posição bastante privilegiada (veja como funcionará o WSL Finals mais abaixo). Porém, a situação do brasileiro é totalmente confortável, já que, na regra do Mundial, os dois piores resultados —entre as oito etapas— são descartados.

Sendo assim, Gabriel Medina irá descartar a etapa do Taiti, em que não estará presente, além de outra com pior resultado —que pode ser Margaret River ou México, dependendo do seu desempenho.

Suponhamos que Medina tenha um resultado no México pior que o de Margaret River. Sendo assim, ele descartaria Taiti e México, ficando com 46.720 na somatória das seis etapas. Com isso, apenas Italo Ferreira e Filipinho ainda poderiam ultrapassá-lo, mas desde que tenham resultados excepcionais no México e no Taiti.

Se vencer as duas próximas etapas, Italo chegaria a 46.915 pontos, enquanto Filipinho somaria ainda mais: 49.405, uma vez que contaria com dois descartes de 17º lugares (1.330 pontos).

Classificação do ranking masculino da WSL - Reprodução/WSL - Reprodução/WSL
Classificação do ranking masculino da WSL
Imagem: Reprodução/WSL

Como funcionam as "novas finais" da WSL

Este será o primeiro ano em que o campeão do circuito mundial do surfe será definido através de um mata-mata, em dia único.

Se antes o título era dado ao surfista que mais somasse pontos ao final da temporada, agora haverá um evento extra para definir o campeão mundial. São oito etapas em "pontos corridos", com os cinco melhores surfistas classificando para o "The WSL Finals", como vem sendo chamado o evento pela entidade.

O primeiro colocado ao final das oito etapas terá vantagem e entrará apenas na grande decisão, que será em sistema "melhor de três". Ele enfrenta o surfista que tiver passado pelas baterias 1, 2 e 3 (veja na foto abaixo como funciona).

Mata-mata do surfe em 2021 - Reprodução/WSL - Reprodução/WSL
Mata-mata do surfe em 2021
Imagem: Reprodução/WSL

A próxima etapa do Mundial acontece em Barra de la Cruz, no México, entre 10 e 20 de agosto. A última etapa da fase de classificação, que não terá Gabriel Medina, será em Teahupo'o, no Taiti, na Polinésia Francesa, entre 24 de agosto e 3 de setembro. O WSL Finals será realizado entre 9 e 17 de setembro, em Trestles, na Califórnia.

Por que Medina não surfará Teahupo'o?

O surfista revelou, durante live feita no seu canal na Twitch, que não poderá participar da competição na Polinésia Francesa por não ter tomado a vacina contra covid-19.

"Eu não vou para Teahupo'o porque não tomei a vacina e aí tem que fazer 10 dias de quarentena. Aí, não dá tempo de ir do México, que é uma seguida da outra. Aí vou ser obrigado a não ir. Sacanagem. Mas de boa", disse.

A janela de disputa na etapa do México será entre os dias 10 e 19 de agosto, enquanto a competição em Teahupo'o está marcada para acontecer entre os dias 24 de agosto e 3 de setembro. Sendo assim, seriam apenas cinco dias de intervalo caso a etapa mexicana se encerre no último dia da janela.