PUBLICIDADE
Topo

Olimpíadas, dia 13: jornada consagra skate e boxe como novas forças do país

Pedro Barros (ao centro) comemora a prata olímpica com Pedro Quintas, Luizinho e a delegação de skate nas Olimpíadas de Tóquio - Gaspar Nóbrega/COB/Gaspar Nóbrega/COB
Pedro Barros (ao centro) comemora a prata olímpica com Pedro Quintas, Luizinho e a delegação de skate nas Olimpíadas de Tóquio Imagem: Gaspar Nóbrega/COB/Gaspar Nóbrega/COB

Colaboração para o UOL, em São Paulo

05/08/2021 11h04

O 13º dia de disputas por medalhas nos Jogos Olímpicos de Tóquio estabeleceu uma nova ordem de forças no Time Brasil. Apesar do evento ainda não ter chegado ao fim, o país viu o skate e o boxe se consolidarem como as principais modalidades nacionais no Japão nesta quinta-feira, e observou também a queda do vôlei masculino.

No início da jornada, Pedro Barros conquistou a terceira medalha para o Brasil no skate, com a prata na modalidade park. Horas depois, no ringue, Bia Ferreira e Hebert Conceição se classificaram para suas respectivas finais no boxe, garantindo ao menos a medalha de prata para ambos.

Desta forma, o skate e o boxe brasileiros sairão de Tóquio com três láureas cada. Nenhuma outra modalidade atingiu números semelhantes. Logo atrás estão natação, ginástica artística, judô e atletismo, com duas.

Se o skate e o boxe estão em alta, o mesmo não se pode dizer da seleção brasileira masculina de vôlei. A equipe foi derrotada pela Rússia na semifinal por 3 a 1, e interrompeu uma sequência de quatro finais consecutivas nos Jogos Olímpicos.

Confira abaixo o que de melhor aconteceu no 13º dia da Olimpíada de Tóquio.


pedro barros resumao - Gaspar Nóbrega/COB/Gaspar Nóbrega/COB - Gaspar Nóbrega/COB/Gaspar Nóbrega/COB
Imagem: Gaspar Nóbrega/COB/Gaspar Nóbrega/COB

Skate park: prata para Pedro Barros

Em uma final com três brasileiros, o maior nome do skate park no país brilhou. Pedro Barros, de 26 anos, ganhou a medalha de prata na estreia da modalidade nas Olimpíadas. Ele conseguiu 86,14 pontos em sua melhor volta e ficou atrás apenas do australiano Kegan Palmer, que faturou o ouro com 95,83. O norte-americano Cory Juneau foi bronze, com 84,13.

O também brasileiro Luiz Francisco ficou em quatro lugar ao receber nota 83,14 em sua terceira e última tentativa. Pedro Quintas conseguiu apenas 38,47 como melhor nota e ficou em último entre os oito finalistas.

bia resumão - Miriam Jeske/COB - Miriam Jeske/COB
Imagem: Miriam Jeske/COB

Boxe: Bia e Hebert vão lutar pelo ouro

Beatriz Ferreira e Hebert Conceição venceram suas semifinais nesta quinta-feira (5) e vão lutar pelo ouro olímpico em Tóquio. Primeiro, Bia, atual campeã mundial, dominou sua luta contra a finlandesa Mira Potkonen e venceu por decisão unânime. A baiana de 28 anos, da categoria peso-leve (até 60kg) enfrentará a irlandesa Kellie Harrington na final, que está marcada para domingo (8), às 2h (de Brasília).

Mais tarde, foi a vez de Hebert garantir sua vaga na final olímpica na categoria até 75kg ao bater o russo Gleb Bakshi. Em luta parelha, o brasileiro conseguiu imprimir melhor ritmo, não sofreu com o volume de golpes do adversário e venceu por decisão dividida dos juízes. No sábado (7), às 2h45 (horário de Brasília), Hebert vai lutar pelo ouro contra o ucraniano Oleksandr Khyzhniak.

Recorde de medalhas igualado

O Brasil já igualou o recorde de medalhas conquistadas em uma edição de Jogos Olímpicos. Com a prata de Pedro Barros na final do skate park em Tóquio, o Brasil assegura pelo menos 19 pódios no total, igualando seu desempenho na Rio-2016. Cinco anos atrás, o Time Brasil conquistou sete medalhas de ouro, seis de prata e seis de bronze. Em Tóquio, já soma quatro ouros, quatro pratas e oito bronzes.

Ouro
Rebeca Andrade - ginástica (salto)
Italo Ferreira - surfe
Martine Grael e Kahena Kunze - vela (49er FX)
Ana Marcela Cunha - maratona aquática

Prata
Pedro Barros - skate park
Rayssa Leal - skate street
Kelvin Hoefler - skate street
Rebeca Andrade - ginástica (individual geral)

Bronze
Mayra Aguiar - judô
Daniel Cargnin - judô
Fernando Scheffer - natação (200m livre)
Bruno Fratus - natação (50m livre)
Luisa Stefani e Laura Pigossi - tênis (dupla feminina)
Abner Teixeira - boxe
Alison dos Santos - 400m com barreiras
Thiago Braz - salto com vara

O futebol masculino e os boxeadores Bia Ferreira e Hebert Conceição já estão em finais olímpicas e conquistarão pelo menos a prata.

Rússia x Brasil, vôlei masculino - Wander Roberto/COB/Wander Roberto/COB - Wander Roberto/COB/Wander Roberto/COB
Imagem: Wander Roberto/COB/Wander Roberto/COB

Vôlei: Brasil leva virada da Rússia

A seleção masculina vai disputar a medalha de bronze em Tóquio após perder para a Rússia por 3 sets a 1, com parciais de 18/25, 25/21, 26/24 e 25/23, nesta quinta-feira (5), na Arena Ariake. Será a primeira final olímpica masculina sem o Brasil desde Sydney-2000. A equipe foi ouro em Atenas-2004 e no Rio-2016 e levou a prata em Pequim-2008 e Londres-2012.

O destaque da partida foi Maxim Mikhaylov, que terminou com 22 pontos. Do lado brasileiro, o maior pontuador foi Leal, com 18.

Na disputa pela medalha de bronze, o Brasil enfrentará a Argentina no sábado (7), as 1h30 (horário de Brasília). Os argentinos perderam a outra semifinal olímpica contra a França por 3 sets a 0, parciais de 25/22, 25/19 e 25/22. Os franceses jogarão a final contra a Rússia, também no sábado.

Basquete, Estados Unidos x Austrália - Stephen Gosling/NBAE via Getty Images - Stephen Gosling/NBAE via Getty Images
Imagem: Stephen Gosling/NBAE via Getty Images

Basquete: Estados Unidos e França na final

A decisão da medalha de ouro no basquete masculino colocará frente a frente Estados Unidos e França. As duas equipes classificaram-se nesta quinta-feira ao vencerem suas partidas nas semifinais.

Os norte-americanos foram os primeiros a avançar de fase. Eles superaram a Austrália por 97 a 78, com destaque para o cestinha Kevin Durant, com 23 pontos.

Horas mais tarde, em uma partida com final dramático e definida nos últimos lances, a França superou a Eslovênia por apenas um ponto de diferença (90 a 89). Nem o triplo-duplo de Luka Doncic (16 pontos, 18 assistências e dez rebotes) foi suficiente para colocar os eslovenos na final. O time europeu teve a chance de vencer no último lance em uma bandeja de Prepelic, mas foi bloqueado em um belo toco de Nicolas Batum.

Os Estados Unidos tentarão a quarta medalha seguida de ouro no basquete masculino contra a França às 23h30 (de Brasília) desta sexta-feira (6). Eslovênia e Austrália disputarão o bronze às 8h de sábado (7).

Darlan resumão - Andrej ISAKOVIC / AFP - Andrej ISAKOVIC / AFP
Imagem: Andrej ISAKOVIC / AFP

Atletismo: Darlan em quarto

Darlan Romani repetiu seu desempenho do Mundial de Doha, em 2019, e ficou em quarto lugar na final do arremesso de peso em Tóquio. O brasileiro melhorou sua marca em relação aos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, quando ficou em quinto lugar.

A prova foi vencida pelo americano Ryan Crouser, que conquistou o bicampeonato olímpico com um arremesso de 23,30m - novo recorde olímpico. O também americano Joe Kovacs (22,65m) ficou em segundo, e o neozelandês Tomas Walsh (22,47m) completou o pódio. O melhor arremesso de Darlan foi de 21,88m.

4x100 feminino: A equipe formada por Bruna Farias, Ana Claudia Lemos, Vitória Cristina Rosa e Rosângela Santos ficou na quinta posição na segunda bateira desta quinta-feira, com o tempo de 43s15, e não se classificou para a final. Ainda assim, foi a melhor marca da equipe no ano. A final da prova terá Holanda, França, Alemanha, Grã-Bretanha, Estados Unidos, Suíça, Jamaica e China.

4x100m masculino: Rodrigo do Nascimento, Felipe Bardi, Derick Silva e Paulo André Camilo ficaram na quinta posição na primeira bateria eliminatória desta quinta-feira e, assim como o time feminino, não avançaram à final. Os brasileiros fecharam com o tempo de 38s34. A final, marcada para as 10h30 (de Brasília) do dia 6 de agosto, será disputada por Gana, Alemanha, Canadá, Jamaica, Grã-Bretanha, China, Itália e Japão.

Marcha atlética: o italiano Massimo Stano superou o calor de Sapporo, surpreendeu os asiáticos e conquistou a medalha de ouro na marcha atlética de 20km com o tempo de 1h21min05. O Japão completou o pódio com Koki Ikeda e Toshikazu Yamanishi, favoritos em casa, que ficaram com prata e bronze, respectivamente. O brasileiro Caio Bonfim encerrou a prova na 13ª posição.

quan - Xinhua/Xu Chang - Xinhua/Xu Chang
Imagem: Xinhua/Xu Chang

Saltos ornamentais: chinesa de 14 anos brilha

A final feminina dos saltos ornamentais na plataforma de 10 metros teve mais uma menor de idade em destaque nas Olimpíadas de Tóquio. Dessa vez, a protagonista foi a chinesa Quan Hongchan, de 14 anos, que deu show para levar a medalha de ouro com uma exibição histórica, beirando a perfeição. Quan conseguiu três saltos com a nota 10 - dois deles foram por unanimidade - e terminou a prova com uma pontuação de 466,20.

Quan ficou mais de 40 pontos à frente da segunda colocada, a compatriota Yuxi Chen, que levou a prata com 425,40. O bronze ficou com a australiana Melissa Wu, com 371,40.

ieda pentatlo - Stoyan Nenov/Reuters - Stoyan Nenov/Reuters
Imagem: Stoyan Nenov/Reuters

Pentatlo moderno: Ieda em 30º no primeiro dia

Ao fim do primeiro dia do pentatlo moderno, a brasileira Ieda Guimarães ocupa a 30ª colocação. Na esgrima, ela somou 184 pontos, com 14 vitórias, 21 derrotas e dois empates.

A primeira colocada é a alemã Annika Schleu (274 pontos), seguida pela sul-coreana Sehee Kim (244) e pela irlandesa Natalya Coyle (238).

As demais provas do pentatlo moderno feminino (natação, hipismo, tiro e corrida), assim como um "round bônus" da esgrima, serão disputadas na sexta-feira, a partir das 2h30 (de Brasília).