PUBLICIDADE
Topo

Italiano surpreende e conquista ouro na marcha atlética; brasileiro é 13º

Massimo Stano surpreendeu favoritos e conquistou o ouro na marcha atlética nas Olimpíadas de Tóquio - Lintao Zhang/Getty Images
Massimo Stano surpreendeu favoritos e conquistou o ouro na marcha atlética nas Olimpíadas de Tóquio Imagem: Lintao Zhang/Getty Images

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

05/08/2021 06h27

O italiano Massimo Stano superou o calor de Sapporo, surpreendeu os asiáticos e conquistou a medalha de ouro na marcha atlética de 20km com o tempo de 1h21min05. O Japão completou o pódio com uma dobradinha: Koki Ikeda e Toshikazu Yamanishi, favoritos em casa, ficaram com prata e bronze. O brasileiro Caio Bonfim encerrou a prova das Olimpíadas de Tóquio na 13ª posição.

Quarto colocado na prova no Rio de Janeiro, em 2016, Caio lamentou o resultado que considerou ruim por conta de sua boa preparação.

"Me preparei, queria sair com a sensação de que dei tudo. Mas nem todo dia a gente consegue fazer nosso melhor. Ganhei de dois campeões mundiais e dois medalhistas olímpicos, e ainda assim não deu. Não é fácil. É uma prova de alto nível, tem oito medalhistas mundiais. Consegui apertar o ritmo após os 8km, mas não consegui manter. Só sobrevivi. Quando cheguei em quarto no Rio, pensei: 'será que vou ter outra oportunidade de chegar tão perto?'. Achei que seria aqui, porque eu estava muito bem, mas não foi"

A marcha teve mais dois representantes do Brasil. Matheus Correa ficou no 46º lugar, e Lucas Mazzo não conseguiu completar a prova. O marchador paraense, que perdeu a visão de um olho em um acidente, em 2009, competiu com uma prótese verde e amarela, não conteve o choro na entrevista ao SporTV ao explicar sua desistência após duas punições.

"Foi bem frustrante, porque não consegui fazer nada que treinei. A gente chega com o peso de amigos, família, e não consegue desempenhar um bom papel. Todo mundo acordou 4h30 da manhã para me assistir, fizeram camisa, a gente tenta representar o país, mas não consegue. Triste desistir de uma prova. A última vez foi em 2015, e agora eu repito numa Olimpíada. Foi difícil pra caramba chegar aqui, mas sei que é só o começo", disse Lucas, emocionado.

A prova começou em ritmo acelerado apesar do forte calor no norte do Japão. A marcha atlética saiu de Tóquio para Sapporo para fugir do calor. Ainda assim, se os termômetros marcavam 30 graus, dois a menos que a capital do país, mas a sensação térmica era de 35 graus, mais quente que os 33 da cidade-sede.

O chinês Wang Kaihua liderou boa parte do trajeto, mas perdeu força e viu o pelotão que lhe rondava assumir a ponta por volta dos 12km. Ele encerrou a competição no 7º lugar. Seu companheiro no sprint inicial, o indiano Sandeep Kumar, terminou na 23ª colocação.

Na sequência, um grupo liderado pelos japoneses Ikeda e Yamanishi começou a se aproximar, junto com os espanhóis Álvaro Martín e Diego García e o vice-campeão mundial Vasiliy Mizinov — que depois acabou sendo eliminado por quatro punições. Os chineses ficaram para trás, e a briga se restringiu a Japão e Itália nos últimos 4km.

Yamanishi e Ikeda fizeram dobradinha japonesa no pódio da marcha atlética 20km nas Olimpíadas de Tóquio - Lintao Zhang/Getty Images - Lintao Zhang/Getty Images
Yamanishi e Ikeda fizeram dobradinha japonesa no pódio da marcha atlética 20km nas Olimpíadas de Tóquio
Imagem: Lintao Zhang/Getty Images

Em um esforço final, Massimo Stano conseguiu acelerar e abrir dos japoneses faltando 2km. Pendurado por duas punições, Ikeda segurou o ritmo, e assim como Yamanishi, ultrapassado, desistiu de atacar o italiano para garantir o pódio.