PUBLICIDADE
Topo

'Falta energia para tudo', diz Bernardinho após queda do Brasil no vôlei

Bernardinho durante o programa Ohayo Tóquio, do SporTV - Reprodução
Bernardinho durante o programa Ohayo Tóquio, do SporTV Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

05/08/2021 19h06

Ex-técnico da seleção brasileira e pai do levantador Bruninho, Bernardinho sentiu a derrota do Brasil para os jogadores do Comitê Olímpico Russo na semifinal do vôlei masculino nas Olimpíadas de Tóquio, por 3 sets a 1.

'Falta energia para tudo', disse, em seu primeiro comentário no programa 'Ohayo', do SporTV'. Ao contrário do esperado pelo público nas redes sociais, ele afirmou que não gritou muito em casa, mas classificou a reação após o jogo como um "desgaste".

"Obviamente torcedores criticam, mas a qualidade da Rússia naquela virada do terceiro set condicionou tudo. Há de se reconhecer o mérito dos russos. Durante a competição, se podemos fazer uma crítica, tenho ouvido de toda a turma de comentaristas de vôlei, eles chamaram atenção sobre a defesa. O Brasil não está defendendo tão bem", avaliou.

"O Bruno defende bem, nosso líbero [Thales] jogou uma boa olimpíada, mas não é um super defensor como o argentino ou o francês, que é um craque. E a Rússia no sistema defensivo funcionou muito bem, que é um algo a mais para um time tão forte".

"Eles não erraram naquele momento. Eles fizeram o Brasil jogar e foram minando, se aproximando, acho que do ponto de vista técnico, como eu e Nalbert falavamos... Nalbert que viu a partida comentando... completa aí, porque eu confesso a vocês que tô...", disse, visivelmente chateado, sem terminar o raciocínio.

"Brasil teve bons momentos. Acho que Wallace esteve um pouco abaixo, é fato. Dói dizer, um cara que esteve em várias batalhas comigo. Mas é uma realidade técnica. E na boa: seres humanos. Vai ter um jogo que não vai estar bem."

Para Bernardinho, é preciso que a seleção 'vire a chave' para a disputa do bronze contra a Argentina, no sábado (7), 1h30.

"O Brasil foi para brigar pelo ouro, e com todo respeito, a Argentina não. Vamos jogar contra a Argentina pela medalha de bronze, e temos que ter a humildade de entender isso", completou.