PUBLICIDADE
Topo

Brasileiros fazem tour virtual na Tóquio olímpica sob estado de emergência

Roberto Maxwell e Meg Yamagute, que estão fazendo tours virtuais em Tóquio durante os Jogos Olímpicos - Carlos Kato/Divulgação
Roberto Maxwell e Meg Yamagute, que estão fazendo tours virtuais em Tóquio durante os Jogos Olímpicos Imagem: Carlos Kato/Divulgação

Juliana Sayuri

Colaboração para o UOL, em Tóquio (Japão)

04/08/2021 05h38

Enquanto Tóquio registra recordes de casos de covid-19 durante as Olimpíadas, a recomendação é ficar em casa. Sob estado de emergência intermitente desde janeiro, a capital japonesa recebeu mais de 11 mil atletas e 79 mil jornalistas, organizadores e outros profissionais estrangeiros envolvidos na Tóquio-2020. Turistas, entretanto, não têm acesso ao arquipélago japonês, que continua com fronteiras fechadas.

Foi pensando nos brasileiros que vivem no Brasil (e não podem cruzar o mundo neste momento) e no Japão (que tampouco devem ficar zanzando no estado de emergência) que desde março os guias turísticos Meg Yamagute e Roberto Maxwell vêm fazendo tours virtuais de Tóquio. A última sessão acontece às 8h da noite deste sábado (7) no horário de Brasília, isto é, 8h da manhã de domingo (8) no horário de Tóquio. Uma viagem, como eles dizem, "para encerrar com chave de ouro estes Jogos Olímpicos que entraram para a história".

Segundo Maxwell, a iniciativa tem atraído diversos públicos, como brasileiros residentes no Japão que compram o tour para presentear familiares quarentenados no Brasil. Em março, na época da floração de cerejeiras, tiveram cerca de 100 participantes. "Uma cliente comprou para que ela, morando no Japão, consiga 'viajar' virtualmente com a filha, que mora no Brasil. Dos dois lados do mundo, elas conseguem fazer uma atividade cultural juntas", conta ele.

Funciona assim: os interessados precisam comprar um ingresso de 2.990 ienes (cerca de R$ 140) para acompanhar o tour, que é transmitido ao vivo no Zoom. Ainda há vagas para a "expedição" deste fim de semana, intitulada Tóquio Cidade Olímpica.

Roberto Maxwell, que está fazendo tours virtuais em Tóquio durante os Jogos Olímpicos - Carlos Kato/Divulgação - Carlos Kato/Divulgação
Roberto Maxwell
Imagem: Carlos Kato/Divulgação
Meg Yamagute, que está fazendo tours virtuais em Tóquio durante os Jogos Olímpicos - Carlos Kato/Divulgação - Carlos Kato/Divulgação
Meg Yamagute
Imagem: Carlos Kato/Divulgação

Yamagute vai percorrer a zona da baía de Tóquio, uma área de construções futuristas nos arredores da marina de Odaiba, onde Ana Marcela Cunha conquistou a medalha de ouro na maratona aquática. Maxwell vai pedalar e andar por áreas centrais onde há instalações da Tóquio-1964, passando pela antiga Vila Olímpica no parque Yoyogi, que hoje é o Centro Juvenil do Memorial Olímpico Nacional; e da Tóquio-2020, o que inclui o novo Estádio Nacional, que será o palco do encerramento dos Jogos neste domingo.

Radicados no Japão desde o início da década de 2000, eles também realizam tours de Tóquio encomendados por empresas, com mais de 300 participantes, em parceria com a plataforma Viajar de Casa.

Com a pandemia e os estados de emergência, diz Maxwell, abriu-se um novo nicho de mercado para brasileiros que não podem viajar ao Japão por diversos motivos, inclusive disposição para enfrentar mais de 24 horas de voo. "Quando a situação melhorar e a pandemia acabar, muitos vão voltar a viajar, mas outros podem continuar preferindo viajar, assim, virtualmente."