PUBLICIDADE
Topo

Thiago Braz quase desistiu da carreira antes das Olimpíadas de Tóquio

Thiago Braz durante final do salto com vara. Ele conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 - BEN STANSALL/AFP
Thiago Braz durante final do salto com vara. Ele conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 Imagem: BEN STANSALL/AFP

Beatriz Cesarini

Do UOL, em Tóquio

03/08/2021 12h58

Após ter conquistado a medalha de bronze no salto com vara das Olimpíadas de Tóquio, Thiago Braz revelou que quase desistiu da carreira durante o ciclo que antecedeu os Jogos. Segundo ele, as dificuldades que passou e a falta de apoio ao esporte o desmotivaram e o que manteve a chama acesa dentro de si foi sua família.

"Acho que qualquer atleta já pensou um dia em desistir. Foi árduo, foi difícil e a caminhada realmente é difícil. É claro que tem o amor pelo esporte, que é o que nos segura. Por n motivos eu já pensei em desistir. Não vou comentar os porquês, mas cada atleta tem o seu sofrimento interno, e eu gostaria que todos fossem valorizados", disse

"A gente sofre por um sonho, luta, e busca o reconhecimento. Pensa, estamos aqui lutando pelo Brasil - pelo nosso sonho, mas trazendo esperança para o Brasil, para o povo brasileiro. Isso aqui é um dia especial, poucos atletas têm a oportunidade de estar aqui, imagina o povo brasileiro assistindo, atletas seletos, um evento muito importante, acho que o atleta espera isso, um reconhecimento também. Mas a gente tem tido, começando pela família, é claro, pelas pessoas mais próximas. O resto a gente vai conquistando aos poucos", acrescentou Braz.

Logo após a conquista olímpica em 2016, Thiago virou celebridade e passou a ser agenciado pela empresa da família de Neymar. Além disso, foi disputado por BM&F Bovespa e Pinheiros. Optou pelo último, e ficou no principal clube poliesportivo do país até abril do ano passado, quando foi demitido em plena pandemia.

"Eu acho que analisando a minha carreira? 2016 foi uma coisa de louco. A gente foi lá, ganhou uma medalha de ouro, saltamos nosso melhor mas depois tem meu desenvolvimento pessoal. Acho que tudo é um trabalho, tudo é um investimento que as pessoas fazem para que a gente possa continuar sonhando. Eu acho que meus altos e baixos significaram mais conhecer a mim mesmo, a mostrar para mim mesmo que é possível, saltando bem ou mal, voltar a saltar", comentou

"Eu tinha no meu sonho mais uma vez voltar às Olimpíadas e ganhar uma medalha. Esses anos de dificuldade? Às vezes me deu vontade de parar, às vezes me deu vontade de desistir, mas eu tive todo esse suporte por trás que me incentivou e sempre me mostrando que meu objetivo era as Olimpíadas, queria estar, queria tentar o bi. E ainda quero, ainda tem a próxima, por que não? Mas não foi gostoso", concluiu.