PUBLICIDADE
Topo

Flavinha após 7º lugar na trave das Olimpíadas: "Já me sinto vitoriosa"

Flávia Saraiva na final da trave das Olimpíadas de Tóquio - Ricardo Bufolin/CBG
Flávia Saraiva na final da trave das Olimpíadas de Tóquio Imagem: Ricardo Bufolin/CBG

Demétrio Vecchioli

Do UOL, em Tóquio

03/08/2021 07h21

Após se recuperar parcialmente de uma entorse no tornozelo ocorrida na semana passada, Flavia Saraiva conquistou um sétimo lugar em sua apresentação na trave de equilíbrio da ginástica artística das Olimpíadas de Tóquio. Ainda sem estar com 100% de suas condições, a brasileira acabou sofrendo um grande desequilíbrio que comprometeu sua prova, mas mesmo assim se mostrou muito satisfeita com sua participação diante das adversidades.

"Eu não sei explicar, sei que estou com sentimento de muita felicidade. Sei o quanto foi difícil para eu chegar nas Olimpíadas, não foi só a entorse, outras coisas aconteceram, então já me sinto uma vitoriosa. Estou muito feliz pelos resultados que a Rebeca alcançou e que serão muito importantes para a ginástica brasileira. É uma felicidade para mim estar em uma segunda final olímpica em um ano tão conturbado", declarou Flavinha à TV Globo.

No calendário da ginástica, Flavia Saraiva terá pela frente agora o Mundial da modalidade, novamente no Japão, mas a brasileira foca primeira em sua recuperação plena.

"A ginastica vai vir com muito mais reconhecimento (para o Mundial), pois agora temos duas medalhas no feminino e quatro no masculino. Mas agora não estou pensando muito no Mundial, estou pensando em me recuperar, cuidar do meu pé. O principal é me cuidar mesmo", destacou.

A prova da trave de equilíbrio contou com a presença da norte-americana Simone Biles, que havia se afastado das outras competições para cuidar de sua saúde mental. A estrela - que ficou com o bronze - ganhou a compaixão de Flavia Saraiva, que revelou já ter passado por situação parecida com a que viveu sua adversária.

"O principal é que ela conseguiu voltar, conseguiu fazer. É muito mais fácil uma pessoa muito grande como ela mostrar que isso acontece do que outras pessoas. Eu já passei por isso, sei como é a sensação de não saber onde está, ir para o ginásio eu não lembrar dos elementos. Eu sinto que ela é muito vitoriosa de ter enfrentando isso", ressaltou.

Antes de se despedir, Flavinha novamente falou sobre sua satisfação com a participação nas Olimpíadas de Tóquio:

"Eu volto para casa muito feliz. Eu não treinei nem dois meses para as Olimpíadas direito (por conta do tornozelo) e consegui estar aqui numa final. O sentimento de felicidade é muito grande. Foi como todo mundo está dizendo agora: antes de ser atleta eu sou a Flavinha Saraiva, e é isso que importa".