PUBLICIDADE
Topo

Canadense Quinn será primeira atleta trans a receber medalha nas Olimpíadas

Beatriz Zaneratto e Quinn, do Canadá, disputando bola - Koki Nagahama/Getty Images
Beatriz Zaneratto e Quinn, do Canadá, disputando bola Imagem: Koki Nagahama/Getty Images

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/08/2021 12h14

Canadá e Suécia disputarão a final do futebol feminino nessa sexta-feira nas Olimpíadas de Tóquio e um acontecimento histórico vai marcar a final. Quinn, atleta do Canadá, se tornará a primeira pessoa transgênero a conquistar uma medalha nas Olimpíadas, podendo levar para casa uma medalha de prata ou de ouro.

Será a primeira vez na história que uma pessoa abertamente trans e não-binária conquista um feito tão importante em um evento multiesportivo mundial como os Jogos Olímpicos. Quinn conquistou nas Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro a medalha de bronze com sua seleção, porém, ainda não se identificava abertamente dessa forma.

Antes das Olimpíadas, Quinn compartilhou um texto em seu Instagram celebrando o orgulho de ser quem é e luta para disputar uma competição desse porte:

"Primeira pessoa trans a competir. Eu não sei como você se sente. Eu me sinto orgulhosa de ver "Quinn" na escalação e no meu credenciamento. Eu me sinto triste por saber que houve atletas olímpicos antes de mim incapazes de viver sua verdade por causa do mundo. Eu me sinto otimista para mudar. Mudanças na legislatura, mudanças na regra, nas estruturas e na mentalidade. Principalmente, eu me sinto ciente das realidades. Meninas trans sendo proibidas de praticar esportes. Mulheres trans enfrentando discriminação e preconceito enquanto tentam realizar seus sonhos olímpicos. A luta ainda não acabou ... e vou comemorar quando estivermos todos aqui", escreveu ela.

Sua participação tem repercutido ao redor do mundo e Quinn contou como se sente representando a comunidade LGBTQIA+: "Eu estou recebendo mensagens de jovens dizendo que nunca viram uma pessoa trans no esporte. O esporte é a parte mais emocionante da vida. Se eu posso permitir que as crianças pratiquem os esportes que amam, esse é o meu legado e é por isso que estou aqui", completou.

Atualmente, Quinn joga no OL Reign, de Washington, e disputa a National Women's Soccer League.