PUBLICIDADE
Topo

Vôlei: Brasil vence Quênia com facilidade e garante 1º lugar no grupo

Seleção brasileira feminina de vôlei em ação contra o Quênia - REUTERS/Valentyn Ogirenko
Seleção brasileira feminina de vôlei em ação contra o Quênia Imagem: REUTERS/Valentyn Ogirenko

Felipe Pereira

Do UOL, em Tóquio (Japão)

02/08/2021 11h27

A seleção brasileira feminina de vôlei encerrou sua participação na fase de grupos nos Jogos Olímpicos de Tóquio com uma vitória tranquila por 3 a 0 sobre o Quênia, com parciais de 25/10, 25/16 e 25/8. O resultado garantiu o primeiro lugar do Grupo A da competição e 100% de aproveitamento. Nas quartas de final o time encara a Rússia.

A equipe brasileira entrou em quadra já classificada e brigando apenas pela liderança. O técnico, José Roberto Guimarães, encarou o confronto com seriedade e mandou as titulares para o jogo contra a seleção queniana, que não somou nenhum ponto na competição. As brasileiras não encontraram nenhuma dificuldade, impondo seu ritmo em todos os sets e mantendo uma boa vantagem durante toda a partida.

O jogo

Forte no ataque e com bom volume de jogo, o Brasil se impôs muito cedo no primeiro set, abrindo 7 a 2. A distância entre as equipes era evidente e a vantagem foi aumentando. Na reta final da parcial, o Quênia chegou a encaixar uma sequência de pontos, mas não chegou perto de ameaçar a seleção brasileira, que fechou o set em 25 a 10. A central Carol foi o destaque, com sete pontos.

No segundo set, as quenianas conseguiram evitar a disparada brasileira por mais tempo, mas, a partir do quinto ponto não teve jeito. O Brasil deslanchou e dominou, variando ataques e quebrando a recepção adversária. As quenianas ainda tiveram um bom momento no set, chegando a cortar a diferença para cinco pontos, mas a reação parou e as brasileiras fecharam a parcial em 26 a 16, fazendo 2 sets a 0.

Para o terceiro set, José Roberto Guimarães promoveu três mudanças na seleção brasileira: Rosamaria, Natália e Ana Beatriz entraram nos lugares de Tandara, Fe Garay e Carol Gattaz. A equipe não perdeu o ritmo forte e logo abriu 7 a 1 no placar. Com o jogo mais tranquilo, o técnico da seleção brasileira promoveu mais testes ao longo da parcial, que teve grande atuação de Rosamaria, que somou seis pontos.

Atletas da Rússia nas quartas de final

Com a primeira colocação, o Brasil já conhece seu adversário nas quartas de final: as Atletas da Rússia, que ficaram em quarto lugar no Grupo B. Outro confronto já definido é entre EUA (1º do Grupo B) e República Dominicana (4º do Grupo A). O treinador brasileiro espera um jogo difícil na próxima fase.

"A Rússia é um time que tem que jogar bem taticamente, cresceu muito da Liga das Nações para cá, olhando para os resultados que eles tiveram na Olimpíada. Eles ganharam da China, jogo importante, ganharam dos Estados Unidos por 3 a 0, o time cresceu em ataque, melhorou no passe e evoluiu. É um time que ganhou força na competição e é super perigoso", afirmo Zé Roberto na zona mista.

A ponteira Fernanda Garay ressaltou a importância do mata-mata. "Começamos um novo campeonato agora onde todo jogo vale nossa vida na competição. Vamos começar uma fase agora mais importante e cada jogo é dia de final".

O treinador da equipe declarou que é preciso manter o volume de jogo e fazer as russas precisarem se movimentar em quadra para diminuir seu poder de ataque. "Primeiro é foco no sistema defensivo, começando pelo saque, depois relação bloqueio-defesa e os contra-ataques com velocidade. Nós temos que fazer o time russo andar, se deixar elas gostarem do jogo mais posicionado, que é o que elas gostam, vamos ter problema. Nosso time tem que ter essa dinâmica com velocidade, de contra-ataque se arrumar na defesa, isso é importante para jogar contra elas".

Dois confrontos ainda serão definidos por sorteio. A Sérvia, segunda colocada do Grupo A, e a Coreia do Sul, terceira colocada da chave, ficam no mesmo pote. No outro pote, Itália e Turquia, segunda e terceira colocadas do Grupo B, respectivamente.

Conhecido do outro lado

Se a seleção do Quênia é desconhecida de boa parte do público, o treinador é um grande vencedor do vôlei brasileiro: Luizomar de Moura, treinador do Osasco Vôlei Clube. Depois da partida ele e suas jogadoras conversaram muito com as brasileiras.

As atletas do Quênia não esconderam a admiração pelo time de Zé Roberto. A ponteira Natália disse que a relação é boa também na Vila Olímpica. "Elas nos veem na Vila Olímpica e dão tchau de longe e sempre tentamos retribuir o carinho delas".

Recomendação por tornozeleira

Na partida contra o Japão o Brasil perdeu Macris por torção no tornozelo. O treinador da seleção disse que sempre existe a recomendação para uso de tornozeleira, mas contou que algumas atletas alegam que o uso causa limitação de movimentos.

"A gente pede por favor para usar a tornozeleira, tem jogador que se incomoda muito por causa da limitação. Tem gente que não suporta, falam que não dá, que não conseguem, mas a gente pede pra usar. A Macris teria evitado a torção se usasse tornozeleira. Existe recomendação, pedido e tudo que você pode imaginar".