PUBLICIDADE
Topo

John John é criticado por não ter dado lugar a Slater no Japão: "Egoísta"

John John Florence ergue bandeira após garantir sua vaga em Tóquio 2020 - Divulgação/WSL
John John Florence ergue bandeira após garantir sua vaga em Tóquio 2020 Imagem: Divulgação/WSL

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

02/08/2021 19h42

O havaiano John John Florence anunciou no último sábado (31) que irá abrir mão das duas últimas etapas da Liga Mundial de Surfe (WSL) - e, consequentemente, do título - para se recuperar de sua lesão no joelho. A decisão, que acontece dias após ele competir nos Jogos de Tóquio pelos Estados Unidos, fez o surfista receber críticas por não ter cedido sua vaga nas Olimpíadas ao onze vezes campeão mundial Kelly Slater.

Sem estar 100% fisicamente, John John surfou abaixo do esperado no Japão e acabou eliminado ainda nas oitavas de final pelo seu compatriota, Kolohe Andino.

O bicampeão mundial rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo na etapa de Margaret River, no mês de maio, passou por cirurgia e, desde então, vinha se recuperando para competir nos Jogos Olímpicos.

Críticas a John John Florence - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
John John Florence é criticado no Instagram por não ter dado vaga a Kelly Slater
Imagem: Reprodução/Instagram

Apesar das inúmeras mensagens de apoio, alguns internautas o acusaram de egoísta e disseram que ele deveria ter cedido a sua vaga para Slater, que era o reserva imediato do time dos Estados Unidos caso John John ou Kolohe (que também se recuperava de lesão) abdicassem da vaga.

"Na minha opinião, você deveria pedir desculpas ao Mr. Kelly Slater. Você não estava preparado para competir nas Olimpíadas, o que torna a sua decisão egoísta", disse um deles.

"Você deveria ter dado a sua vaga para o Slater. Essa decisão manchou o seu legado", escreveu outro. "Por que você não deixou o Kelly ir para as Olimpíadas? Egoísta", acrescentou.

Veja o texto de John John e o post do havaiano:

Decidi não participar dos próximos dois eventos da WSL no México e no Taiti. Foi uma decisão muito difícil de tomar, mas não estou 100% recuperado da minha cirurgia no joelho e estou tentando fazer o que é mais certo para a minha saúde e objetivos futuros. A oportunidade de surfar em Tóquio era única na vida e foi um risco que estive disposto a correr.

Mas, agora, ao olhar para o resto do ano e após conversar com a minha equipe médica, o melhor é continuar com a fisioterapia pelos próximos 60 dias. Quero ter certeza de que não há nada que me impeça de competir e surfar da maneira que desejo a longo prazo.

Com tudo isto dito, posso afirmar que estarei pronto para o WSL Pipe Masters! Boa sorte a todos que ainda estão na corrida pelo título mundial - será um final de ano emocionante! Obrigado por todo o apoio.