PUBLICIDADE
Topo

Alison dos Santos bate próprio recorde e vai à final dos 400m com barreiras

Alison dos Santos está na final dos 400 metros com barreiras nas Olimpíadas de Tóquio - Wagner Carmo/CBAt
Alison dos Santos está na final dos 400 metros com barreiras nas Olimpíadas de Tóquio Imagem: Wagner Carmo/CBAt

Beatriz Cesarini

Do UOL, em Tóquio

01/08/2021 09h23

Um dos principais nomes do atletismo brasileiro nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Alison dos Santos vai disputar a final dos 400 m com barreiras. O atleta brasileiro garantiu sua vaga hoje com o tempo de 47s31 na segunda bateria, o segundo melhor de toda a semifinal, que também é recorde sul-americano.

Piu recoloca o Brasil em uma final dos 400 metros com barreiras após 21 anos. O Brasil teve Eronildes de Araújo como finalista da prova em duas oportunidades: em Atlanta-1996, ele foi oitavo colocado (junto com Everson Teixeira, 7º), tendo conquistado o quinto lugar na edição seguinte, Sydney-2000.

Com o sorriso no rosto e tranquilo, o jovem de 20 anos parecia um veterano após a prova - a final será no dia 3 de agosto, 0h20 (pelo horário de Brasília).

"Estou bem confiante para essa competição, treinei bastante, estou bem condicionado, então aumenta muito a confiança. Tenho meus amuletos da sorte, pessoas que estão comigo e me colocam no chão de volta, me fazem entender que estou aqui mas não posso deixar o nervosismo subir à cabeça", disse o brasileiro. "Está só começando a jornada. Com um tiro de cada vez, consegui chegar na final. Agora é brigar pela medalha", disse, ao SporTV.

Apenas um corredor marcou tempo melhor que Alison nas semifinais: o recordista mundial Karsten Warholm, da Noruega, que anotou 47s30, só um centésimo à frente do brasileiro. Outro favorito, o americano Rai Benjamin, ficou na segunda posição de sua bateria, com 47s37, e é outro adversário para o corredor paulista.

"No atletismo, lógico que o Benjamin e o Warholm são favoritos ao ouro. Mas são oito chances na final. Todos brigam por três medalhas. Não dá para dizer quem vai levar. Espero que seja eu um deles", avaliou Alison.

O excelente resultado do brasileiro veio em uma corrida em que ele finalizou os últimos metros com tranquilidade. Ou seja: há espaço para um tempo ainda melhor.

"Meu treinador me deu o poder de decisão na prova, se eu ia correr a prova toda forte ou se ia controlar em algum momento", contou o barreirista, que tem como característica iniciar a prova de forma mais conservadora e acelerar na metade final. "Achei que não tinha feito uma prova boa até a oitava barreira, então decidi continuar bem forte, virar bem forte. Quando eu vi depois, me arrependi um pouco, dava para ter feito mais forte esse tiro. Foi um bom resultado, estou muito feliz de estar na final, muito contente, estávamos planejando isso, sonhando com isso, e agora está virando realidade", disse.

Finalistas

Os favoritos Karsten Warholm, da Noruega, com 47s30, e Rai Benjamin, dos EUA, com 47s37, garantiram lugar na decisão liderando a primeira bateria com uma certa folga.

Na segunda série também deu a lógica. Alison dos Santos, com 47s31, venceu com tranquilidade e foi seguido pelo qatari Abderrahman Samba, que apesar de ter falhado em uma das barreiras, foi à final com o tempo de 47s47.

Na terceira série, o jamaicano Jaheel Jam liderava a prova até tropeçar em uma barreira e cair. Melhor para McMaster, das Ilhas Virgens Britânicas, que marcou 48s26, e para o estoniano Rasmus Magi, que fez 48s36, garantindo lugar na final.

Além deles, o italiano Alessandro Sibilio, com 47s93 e o urco Yasmani Copello, com 47s88 também se classificaram.