PUBLICIDADE
Topo

Olimpíadas, dia 9: Rebeca e Fratus, as medalhas da persistência e obsessão

Rebeca Andrade é ouro no salto nas Olimpíadas de Tóquio - Ricardo Bufolin/CBG
Rebeca Andrade é ouro no salto nas Olimpíadas de Tóquio Imagem: Ricardo Bufolin/CBG

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/08/2021 11h35

Resiliência, persistência, obstinação, obsessão. O nono dia de disputa de medalhas nos Jogos Olímpicos de Tóquio premiou dois atletas que fizeram jus ao lema de que o brasileiro não desiste nunca.

Na ginástica artística, Rebeca Andrade conquistou o ouro no salto (seu segundo pódio no Japão, após a prata no individual geral) após anos tendo que lidar com lesões e três cirurgias no joelho direito.

Já na natação, Bruno Fratus conseguiu sua tão sonhada medalha com o bronze nos 50m livre, após bater na trave nos Jogos Olímpicos de Londres-2012 e Rio-2016. Seu alívio e a sensação de missão cumprida foram evidentes. Sem dúvida alguma Fratus era um dos atletas nacionais mais obsessivos em busca de um lugar no pódio.

Além destes resultados, o Brasil garantiu neste domingo (1) mais uma medalha no boxe, com Hebert Conceição, viu Alison dos Santos brilhar no atletismo, e conquistou vitórias no vôlei e vôlei de praia.

O dia ainda reservou uma grande surpresa nos 100m rasos masculino, e um recorde mundial no salto triplo. Confira o que de melhor aconteceu em Tóquio no nono dia do evento.

Rebeca Andrade - Miriam Jeske/COB - Miriam Jeske/COB
Imagem: Miriam Jeske/COB

Ginástica: Rebeca brilha de novo e é ouro no salto

Rebeca Andrade colocou mais uma vez seu nome na história do esporte brasileiro neste domingo (1) ao se tornar a quarta mulher a conquistar uma medalha de ouro em competições olímpicas individuais, ao lado da saltadora Maurren Maggi e das judoca Rafaela Silva e Sarah Menezes.

A ginasta, que já havia ganhado a prata no individual geral, desta vez ganhou o ouro no salto nas Olimpíadas de Tóquio. A brasileira venceu com a nota de 15.083, que computou a média de suas duas apresentações realizadas. A segunda colocação ficou com a norte-americana Mykayla Skinner (14.916) e o bronze foi conquistado pela sul-coreana Seojeong Yeo (14.733).

fratus medalha - Reuters - Reuters
Imagem: Reuters

Natação: Fratus é bronze nos 50m livre

Em sua terceira final olímpica, Bruno Fratus, enfim, conquistou uma medalha ao ficar com o bronze nos 50m livre neste domingo. Ele fechou a prova com em 21s57. O ouro ficou com o americano Caeleb Dressel (21s07), que quebrou o recorde olímpico de César Cielo, estabelecido em Pequim-2008. O francês Florent Manadou (21s53) faturou a prata.

Após a cerimônia de entrega da medalha, Fratus quebrou o protocolo e correu para comemorar com um beijo na esposa, Michelle Lenhardt, que é ex-nadadora e chegou a defender o Brasil nos Jogos Pequim-2008. As flores e o mascote da premiação ficaram com ela. Em seguida, o nadador agradeceu publicamente a César Cielo.

O bronze de Fratus é o quarto da natação brasileira na prova em Jogos Olímpicos. O primeiro foi com Fernando Scherer, o Xuxa, bronze em Atlanta-1996. Em Pequim-2008, Cielo garantiu o ouro. Quatro anos depois, em Londres, Cielo voltou ao pódio, desta vez para receber o bronze.

Mais natação: Ledecky bate recorde

Katie Ledecky não cansa de estabelecer marcas nas piscinas. Além de ser a nadadora mais dominante da história dos 800m livre, a norte-americana terminou sua participação em Tóquio com quatro medalhas e é a mulher mais vitoriosa da história da natação em provas individuais em Jogos Olímpicos.

No Japão, ela conquistou três medalhas individuais - duas de ouro (800m livre e 1500m livre) e uma prata (4x200m livre) - na piscina do Centro Aquático. Ao todo, Ledecky já soma dez pódios olímpicos aos 24 anos de idade.

Lamont Jacobs - Jewel SAMAD / AFP - Jewel SAMAD / AFP
Imagem: Jewel SAMAD / AFP

Atletismo: italiano surpreende e vence os 100m rasos

A final dos 100m rasos masculino no atletismo, uma das mais aguardadas nos Jogos Olímpicos de Tóquio, reservou grandes surpresas na manhã deste domingo (1).

A primeira delas foi a não classificação de nenhum atleta da Jamaica para a decisão, após anos de tradição na prova, especialmente com Usain Bolt. E o segundo "choque" veio com a conquista da medalha de ouro por um azarão, o italiano Lamont Jacobs. O europeu venceu com a marca de 9s80 com novo recorde continental, e deixou para trás o americano Fred Kerley, prata com 9s84, e o canadense Andre de Grasse, bronze com 9s89.

O brasileiro Paulo André competiu neste domingo, mas foi eliminado nas semifinais, ao ficar em último lugar em sua série, com a marca de 10s31.

Alison dos Santos - Wagner Carmo/CBAt - Wagner Carmo/CBAt
Imagem: Wagner Carmo/CBAt

Mais atletismo: Alison bate recorde e vai para final

Com direito a novo recorde sul-americano, Alison dos Santos, também conhecido como Piu, brilhou na semifinal dos 400m com barreiras e se classificou para a decisão da prova na manhã deste domingo (1) no atletismo.

O brasileiro venceu a segunda das três séries realizadas com bastante tranquilidade, com a marca de 47s31, e mostrou que será um dos candidatos à medalha na final, marcada para terça-feira (3) às 0h20 (horário de Brasília). Na soma geral das baterias disputadas, Piu foi o segundo melhor, atrás apenas do favorito norueguês Karsten Warholm, que foi apenas um centésimo mais rápido (47s30).

Outro recorde batido no atletismo, mas mundial, foi da venezuelana Yulimar Rojas. A sul-americana, bicampeã mundial e vice-campeã olímpica na Rio-2016, venceu o salto triplo com a marca de 15,67m, 17 centímetros a mais do que a antiga melhor da história, que pertencia à ucraniana Inessa Kravets desde 1995 (15,50m). A portuguesa Patricia Mamona levou a prata em Tóquio (15,01m), e a espanhola Ana Peleteiro ganhou o bronze (14,87m).

volei brasil x frança - GettyImages - GettyImages
Imagem: GettyImages

Vôlei: Brasil bate a França após set 'interminável'

O Brasil venceu a França por 3 sets a 2, com parciais de 25/22, 37/39, 25/17, 21/25 e 20/18, pela fase de grupos. Foi um jogaço com altos e baixos dos franceses, que forçaram o tie-break e tiveram três match points, mas não aproveitaram e viram Leal colocar um ponto final na partida.

A segunda parcial durou 51 minutos, com set points para as duas seleções, e foi tão disputada que os reservas da França invadiram a quadra quando sua seleção fechou por 39 a 37.

Com o segundo lugar do grupo garantido na classificação, o Brasil agora espera o fim da fase de grupos para descobrir seu adversário nas quartas de final. A equipe de Renan pode enfrentar Itália, Irã ou Japão.

Hebert Conceição - Luis Robayo/Reuters - Luis Robayo/Reuters
Imagem: Luis Robayo/Reuters

Boxe: brasileiro garante bronze, e francês se revolta

Hebert Conceição venceu o cazaque Abilkhan Amankul neste domingo e avançou para a semifinal dos pesos médios. A vitória veio por decisão dividida. Três dos cinco árbitros deram o combate para Hebert.

Com o resultado, uma medalha está garantida para o brasileiro. Se perder na próxima fase, ele já recebe o bronze - não há disputa de terceiro lugar no boxe. Na próxima fase, o brasileiro enfrentará o russo Gleb Bakshi.

O momento mais polêmico do dia aconteceu nos superpesados. O francês Mourad Aliev não aceitou a derrota para o inglês Frazer Clarke e protestou ostensivamente, inclusive chutando o protetor bucal e socando uma das câmeras de transmissão do evento.

O duelo foi bem disputado, mas o francês acabou desclassificado por uma punição. Aliev também se recusou a deixar o ringue em protesto aos árbitros e ficou sentado no local por cerca de 25 minutos. Depois de muita insistência, o lutador, desolado, deixou o ringue.

Vela: Scheidt termina em oitavo

Robert Scheidt chegou à medal race da classe Laser com chances de se tornar o brasileiro com o maior número de medalhas em Olimpíadas. O paulista, no entanto, terminou em nono na regata decisiva e acabou em oitavo na posição geral. O ouro ficou com o australiano Matt Wear; a prata, com o croata Tonci Stipanovic; e o bronze, com o norueguês Hermann Tomasgaard.

Após sair da água, Scheidt deu a entender que se competir nos Jogos de Paris, em 2024, o fará em outra classe. "Na classe Laser, dificilmente vou continuar. Tenho uma história muito linda com a classe, já fiz dois retornos: em 2005 e agora, em 2021. Minha história na Laser a nível olímpico termina aqui. É um barco que está no meu coração para sempre."

ana patricia rebecca oitavas - GettyImages - GettyImages
Imagem: GettyImages

Vôlei de praia: Ana Patrícia e Rebecca nas quartas

Depois de mostrarem um nível de jogo abaixo do esperado na fase de grupos, Ana Patrícia e Rebecca se recuperaram nas oitavas de final e, com uma grande exibição contra as favoritas Wang e Xia, da China, venceram por 2 sets a 0 (21/14 e 23/21) e passaram às quartas de final em Tóquio.

Ana Patrícia admitiu que a dupla esteve abaixo na primeira fase e revelou que passou por um problema familiar nas últimas semanas com a perda de um tio, o que mexeu com sua parte psicológica. Nas quartas, as brasileiras vão enfrentar as vencedoras do jogo entre duas parcerias suíças: Verge-Depre/Heidrich contra Huberli/Betschart.

Ágatha e Duda não tiveram a mesma sorte. Perderam por 2 sets a 1 (19/21, 21/19 e 16/14) para as alemãs Laura Ludwig e Margareta Kozuch e deram adeus à competição.

Hipismo: cavalo 'foge' após queda de amazona

A amazona sueca Therese Viklund tomou um susto na prova do hipismo cross country em Tóquio. Durante o percurso, ela caiu da égua Viscera, que saiu em disparada para fora do percurso. Em um primeiro momento, a queda preocupou. Momentos após a eliminação da prova, Therese explicou a uma TV sueca por que teve dificuldades na realização do exercício de salto.

Brasil, handebol masculino - Siphiwe Sibeko/Reuters - Siphiwe Sibeko/Reuters
Imagem: Siphiwe Sibeko/Reuters

Handebol: Brasil é eliminado na primeira fase

A seleção brasileira masculina de handebol foi eliminada na manhã deste domingo (1) dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A equipe não avançou para as quartas de final após a derrota para a Alemanha por 29 a 25.

Com o resultado, o Brasil terminou na quinta e penúltima colocação no Grupo A, com dois pontos conquistados. O time conseguiu uma única vitória na primeira fase, sobre a Argentina, e foi superado por França, Espanha e Noruega, além dos alemães. As quatro equipes europeias se classificaram.

Aline Silva - Julio Cesar Guimarães/COB - Julio Cesar Guimarães/COB
Imagem: Julio Cesar Guimarães/COB

Luta olímpica: derrotas nacionais logo na estreia

Os brasileiros Aline Silva e Eduard Soghomonyan foram eliminados na primeira rodada na luta olímpica, na madrugada deste domingo (1), em Tóquio.

Aline, que enfrentou a turca Yasemin Adar no estilo livre, na categoria até 76kg, foi superada pelo placar de 6 a 0. Pouco depois, foi a vez de Eduard se despedir dos Jogos Olímpicos, ao cair diante do alemão Eduard Popp por 2 a 0, na categoria até 130kg no greco-romano.