PUBLICIDADE
Topo

Brasil perde para Holanda e vai para a repescagem no judô por equipes

Judocas brasileiros alinhados antes do início da disputa por equipes - Annegret Hilse/Reuters
Judocas brasileiros alinhados antes do início da disputa por equipes Imagem: Annegret Hilse/Reuters

Felipe Pereira

Do UOL, em Tóquio

31/07/2021 02h25

Neste sábado (31), último dia do judô nas Olimpíadas de Tóquio, o Brasil perdeu para a Holanda nas quartas de final do torneio por equipes mistas. Um dos cabeças de chave, o time formado por Mayra Aguiar, Rafael Silva, o Baby, Daniel Cargnin e companhia entrou direto nesta fase. Com o revés por 4 a 2, os brasileiros vão lutar a repescagem contra Israel em busca da disputa pelo bronze.

O Brasil foi com Larissa Pimenta (-57kg), Maria Portela (-70kg), Mayra Aguiar (+70kg), Daniel Cargnin (-73kg), Rafael Macedo (90kg) e Rafael Silva (+90kg). Os dois medalhistas da equipe (Mayra e Cargnin foram bronze no individual) venceram suas lutas.

Os embates

Pimenta, atleta de 22 anos e 14ª no ranking, abriu os serviços com uma luta que começou favorável à brasileira. Sanne Verhagen levou duas punições por falta de combatividade, no entanto, a holandesa ficou mais agressiva. No golden score, Verhagen assumiu as ações, a brasileira levou três punições e foi eliminada.

Em seguida, foi a vez do medalhista Cargnin entrar em ação diante de Tornike Tsjakadoea, que foi melhor no início de combate. Apesar disso, o brasileiro terminou o tempo normal com vantagem de uma punição a menos. No golden score, a luta ficou muito aberta, até o gaúcho de 23 anos tentar se impor mais na disputa. A iniciativa deu resultado e o brasileiro venceu por wazari, deixando o duelo empatado.

A terceira a entrar no tatame foi Maria Portela, eliminada pela russa MadinaTaimazova nas oitavas do individual no combate mais polêmico dos Jogos Olímpicos. Na madrugada deste sábado, na disputa por equipes, a brasileira de 33 anos foi mais agressiva no começo, deixando a oponente holandesa em desvantagem nas punições. Nos minutos finais do tempo normal, no entanto, foi a vez de Sanne van Dijke se impor e deixar Portela também pendurada, com dois shidos. No golden score, após o primeiro minuto pegado, a holandesa conseguiu um ippon para fechar a luta.

No quarto combate, o judoca Rafael Macedo tentava sorte diferente nas Olimpíadas, para deixar para trás a desastrosa estreia no torneio quando, em 30 segundos, levou ippon de Islam Bozbayev, do Cazaquistão, sendo eliminado nas oitavas (do individual). Neste sábado, o atleta de 26 anos procurava ter mais ação, mas foi Noel van't End quem quase encaixou um ippon, assustando o time do Brasil. A luta seguiu com os dois buscando o combate, mas sem muitas pegadas certas. Mais uma vez definido no golden score, o combate foi para o chão, e o holandês conseguiu uma imobilização para abrir 3 a 1.

Em busca do empate

Bronze no individual, a gaúcha Mayra Aguiar entrou com a pressão de não poder ser derrotada. Substituindo a lesionada Maria Suellen, ela enfrentou Guusje Steenhuis e começou abaixo da adversária, levando dois shidos ainda no tempo normal, enquanto a holandesa buscava mais o combate. Pendurada, a brasileira foi para cima e deu certo. Com ippon, a medalhista de bronze do Brasil diminuiu a distância no placar geral.

Contudo, a esperança do empate não foi concretizada pelo experiente Rafael Silva. Baby fechou a disputa contra Henk Grool e pecou na falta de combatividade, ficando pendurado ainda no tempo normal. Sem conseguir encaixar suas pegadas e com pouca mobilidade, levou o terceiro shido, que decretou a derrota brasileira.

Como funciona a competição

Esta é a primeira vez que a competição por equipes mista é realizada na história das Olimpíadas. Com três mulheres e três homens divididos em categorias leve, médio e pesado, cada luta vale um ponto e o time que somar quatro primeiro é o vencedor. Em caso de empate por 3 a 3, uma das categorias é sorteada para a luta de desempate.