PUBLICIDADE
Topo

Mãe de Rebeca diz que se assustava com acrobacias: 'Vai se quebrar toda'

Rebeca Andrade com a mãe, Rosa - Reprodução/Instagram
Rebeca Andrade com a mãe, Rosa Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

29/07/2021 12h09

Dona Rosa, mãe de Rebeca Andrade - medalhista de prata nas no individual geral da ginástica artística nas Olimpíadas de Tóquio -, contou que se assustava com as acrobacias da filha na infância. "Você vai se quebrar toda", dizia ela à pequena Rebeca, de apenas três anos, que já arriscava 'estrelas sem as mãos' naquela época.

Durante a competição, não consigo pensar em nada, só focar. Depois que conquistou, que é medalhista, segundo lugar, aí a gente pensa, vem um filme desde ela pequena, aos três anos, fazendo estrela sem a mão e mostrando para mim. E eu dizia pra ela tomar cuidado: 'Você vai se quebrar toda!'. E ela evoluiu e chegou onde chegou", declarou Dona Rosa em entrevista ao Encontro, da TV Globo.

"É uma emoção muito grande. O filme tem coisas ruins também, mas principalmente coisas boas. As ruins são obstáculos, as boas são as vitórias sobre eles. E ela conseguiu vencer todos para chegar nesse pódio olímpico", continuou.

A mãe de Rebeca ainda destacou o mérito da filha por saber ouvi-la e por aceitar seus conselhos, como quando ela orientou a medalhista a esperar a recuperação da cirurgia para decidir sobre o futuro da carreira.

"Três [ligamentos] cruzados, três cirurgias. Ela falou em desistir, disse que não queria mais. Eu falava: 'Não, filha, você não pode desistir sem tentar'. Ela chegou a dizer que tinha acabado para ela. Eu disse: 'Não! Você só pode dizer isso depois de se recuperar e voltar a treinar. Aí, você vai conhecer seu corpo novamente e saber se acabou ou não. Ainda bem que ela aderiu minha orientação, esperou a recuperação, treinou, viu que estava bem. A equipe que a acompanhou deu muita força e ela trouxe essa medalha. Prata com sabor de ouro", disse.

"A gente tem que trabalhar, cuidar dos filhos e ser um pouco de cada coisa para os filhos, até psicólogo. Tem que ter essa sensibilidade. Isso ajuda muito. Saber ouvir, orientar. O melhor de tudo é quando eles são bons ouvintes. Eu fui agraciada com meus presentes. A honra é de Deus e o mérito é dos meus filhos, que souberam ouvir a mãe", finalizou.