PUBLICIDADE
Topo

Além do mata-mata: Canadá x Brasil terá disputa por recorde de Cristiane

Marta e Sinclair antes da disputa de bronze das Olimpíadas de 2016 entre Brasil e Canadá; as estrangeiras venceram por 2 a 1 - Robert Cianflone - FIFA/FIFA via Getty Images
Marta e Sinclair antes da disputa de bronze das Olimpíadas de 2016 entre Brasil e Canadá; as estrangeiras venceram por 2 a 1 Imagem: Robert Cianflone - FIFA/FIFA via Getty Images

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

29/07/2021 18h00

O futebol feminino faz parte do programa olímpico desde Atlanta-1996 e tem a brasileira Cristiane como sua maior artilheira da história, com 14 gols marcados nas edições de 2004 (5 gols), 2008 (5), 2012 (2) e 2016 (2). Ela não foi convocada para as Olimpíadas de Tóquio e vê de casa seu recorde em disputa por duas jogadoras que estarão em campo amanhã (30), às 5h, nas quartas de final entre Canadá e Brasil.

No Estádio de Miyagi, a canadense Christine Sinclair e a brasileira Marta terão uma disputa pessoal que vai além da possibilidade de entrar na briga por medalha em caso de classificação para as semifinais. A estrangeira chegou ao Japão com 11 gols na história dos Jogos e marcou mais um na estreia, contra o Japão. Já Marta tinha dez, mas anotou dois diante da China e outro contra Holanda. Hoje, 13 x 12 para a Rainha.

Cristiane - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Fora da lista de convocadas, Cristiane é comentarista da TV Globo nos Jogos
Imagem: Reprodução/Instagram

Sinclair tem 38 anos e já encaminha o fim da carreira em seu clube, o Portland Thorns-EUA. Ela jogou as Olimpíadas em 2008, 2012 e 2016, tem dois bronzes e é um dos principais nomes do futebol feminino na história com 187 gols marcados em 21 anos a serviço da seleção canadense — ela é a maior goleadora de seleções na história, entre homens e mulheres. Nas Olimpíadas ela atuou em dois dos três jogos da primeira fase e finalizou cinco vezes, mas só uma certa — justamente o gol contra o Japão.

Três anos mais jovem, Marta também joga nos Estados Unidos, pelo Orlando Pride, e tem uma Olimpíada disputada a mais do que Sinclair, porque também esteve em Atenas-2004. A brasileira é duas vezes medalhista de prata e lidera o Brasil na busca pelo primeiro ouro. Em Tóquio foi titular nas três partidas, fez três gols e tem 100% de eficiência nas três finalizações a gol. Ela só passou em branco contra a Zâmbia, quando foi substituída no intervalo por desgaste físico.

Apesar de Sinclair não estar no auge da forma, inspira cuidados do setor defensivo da seleção brasileira. A zagueira Érica fez elogios à canadense. "Eu sei o que a Sinclair faz, também sei o que a Marta e a Cristiane fazem, mas a gente cai, porque elas fazem bem feito. Cada jogo é um jogo. Se eu estiver pode ter certeza que sei como pará-la, mesmo sabendo da sua qualidade", disse, antes de completar:

A Cris pode me pagar um jantar se ela quiser, a Marta também, para eu segurar a Sinclair (risos). Mas brincadeiras à parte, é uma grande jogadora, já joguei contra e a favor, mas estamos ali atrás para não permitir que ela pense muito e que a gente possa tirar o futebol dela. É tão bonito, mas temos que dar uma cutucada ali. Sinc, você não vai bater essa marca aí, não, vamos fazer de tudo para segurar você."

Canadá e Brasil se enfrentaram quatro vezes no ciclo para as Olimpíadas de Tóquio, já sob o comando de Pia Sundhage na equipe verde-amarela. Foram duas vitórias do Brasil (4 a 0 em novembro de 2019 e 2 a 0 em fevereiro de 2021) e dois empates (2 a 2 em março de 2020 e 0 a 0 em junho de 2021), numa campanha que dá confiança para o mata-mata.

Dona do recorde olímpico até agora, Cristiane trabalha nos Jogos como comentarista da "TV Globo". É de sua casa que serve como estúdio para as transmissões que assistirá ao duelo que pode destroná-la.

Sinclair e Marta - Richard Callis/SPP/CBF - Richard Callis/SPP/CBF
Sinclair e Marta em amistoso entre Canadá e Brasil em 14 de junho de 2021: empate em 0 a 0 na Espanha
Imagem: Richard Callis/SPP/CBF

FICHA TÉCNICA
CANADÁ x BRASIL

Competição: Jogos Olímpicos de Tóquio, quartas de final
Local: Estádio de Miyagi, em Miyagi (Japão)
Data/hora: 30 de julho de 2021 (sexta-feira), às 5h (de Brasília)

CANADÁ: Stephanie Labbe; Ashley Lawrence, Buchanan, Shelina Zadorsky e Riviere; Desiree Scott, Julia Grosso e Jessie Fleming; Janine Beckie, Prince e Sinclair. Técnica: Bev Priestman.

BRASIL: Bárbara; Bruna Benites, Érika, Rafaelle e Tamires; Formiga, Andressinha, Duda (Andressa Alves) e Marta; Bia Zaneratto e Debinha. Técnica: Pia Sundhage.