PUBLICIDADE
Topo

Seis dias após início dos Jogos, já há atletas voltando para casa

Mulher usando máscara contra covid-19 passa em frente aos anéis olímpicos em Tóquio, no Japão - Takashi Aoyama/Getty Images
Mulher usando máscara contra covid-19 passa em frente aos anéis olímpicos em Tóquio, no Japão Imagem: Takashi Aoyama/Getty Images

Ilze Filks/Reuters

28/07/2021 11h20

Faz apenas seis dias que as Olimpíadas de Tóquio 2020 começaram oficialmente, mas atletas já estão fazendo viagens de volta para casa por conta das rígidas medidas contra covid-19 adotadas no Japão. Os protocolos dos Jogos não permitem que atletas que já competiram fiquem no país por mais tempo mais tempo que o necessário.

Pelas regras de Tóquio, os competidores precisam chegar no máximo cinco dias antes dos eventos e voltar aos respectivos países dentro de 48 horas do fim do seu esporte para minimizar o risco de infecções e a disseminação do vírus entre a população local.

Em tempos normais, as equipes ficam alguns dias depois do fim dos seus eventos para participar da cerimônia de encerramento, assistir a outros esportes e socializar com outros atletas. Desta vez, no entanto, medidas rígidas de saúde estão forçando uma rápida volta para casa antes do encerramento oficial, em 8 de agosto.

A equipe de skate street do Brasil, incluindo a medalhista Rayssa Leal, deixou o solo japonês ontem (27) e já aterrissou em terras brasileiras na madrugada de hoje (28). As competições dessa modalidade do skate foram finalizadas na segunda-feira, com o pódio do qual Rayssa fez parte.

A seleção australiana de softbol partiu para Sydney, e, ao chegar na Austrália, passará ainda por uma quarentena de 14 dias antes de chegar em casa. Até o próximo fim de semana, cerca de 250 atletas e autoridades australianas de uma delegação de mais de 850 terão voltado para casa.

Para a medalhista de ouro alemã no caiaque, Ricarda Funk, que irá embora na quinta-feira, os Jogos foram um grande sucesso, mas ela mal teve tempo de absorver o clima da vila dos atletas, geralmente conhecida pela sua ativa vida social, uma vez que mais de 10.000 atletas de mais de 200 países se hospedam nela.

"É definitivamente triste, porque são meus primeiros Jogos Olímpicos e eu realmente queria aproveitar a Vila Olímpica e o clima olímpico um pouco mais", disse ela.