PUBLICIDADE
Topo

Canoagem: Pepê Gonçalves se classifica para semifinais do K1

Pepê Gonçalves se classifica para as semifinais da canoagem slalom - Yara Nardi/Reuters
Pepê Gonçalves se classifica para as semifinais da canoagem slalom Imagem: Yara Nardi/Reuters

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/07/2021 04h24

Pepê Gonçalves está nas semifinais do K1 da canoagem slalom. Após duas descidas nesta quarta-feira (28), o brasileiro ficou em décimo e assegurou a vaga para a próxima fase nas Olimpíadas de Tóquio.

Competindo com capacete em homenagem a Ayrton Senna, o brasileiro se classificou instantes antes de cair na água pela segunda vez. Mesmo assim, o melhor tempo de Pepê foi na última apresentação da qualificatória, com 92,91.

Ele comentou sobre como estava se sentindo após as descidas. "Na minha primeira descida, eu não estava feliz porque não consegui deixar minha qualidade na água. Sai frustrado, porque eu sei que se eu me divertir a medalha vai vir. Estamos aqui para sonhar e conquistar", disse.

O brasileiro sabe que, daqui para frente, é uma 'nova competição'."Agora zera tudo, vamos analisar onde temos que melhorar. Nas próximas etapas, vai ser o mesmo Pepê, com sangue nos olhos e amor por estar aqui", afirmou.

Pepê Gonçalves terminou na sexta colocação do K1 nos Jogos do Rio, há cinco anos. O brasileiro também foi campeão pan-americano nesta prova em Lima 2019.

As eliminatórias envolveram 24 atletas, dos quais passam 20 para a disputa das semifinais. A semifinal e a final do K1 serão na madrugada de sexta-feira (30) a partir das 2h (horário de Brasília).

Primeira descida

Pepê marcou 98,13 em sua primeira descida, com quatro segundos de punição por encostar nas portas seis e 24. O brasileiro terminou na 15ª colocação, o que já o classificaria para as semifinais.

O líder foi o italiano Giovanni Gennaro, com 90,92, seguido pelo australiano Lucien Delfour (91,10) e pelo cazaque Jiri Prskavec (92,57).

Segunda descida

A segunda descida foi muito melhor que a primeira. Marcou 92.91 e tinha a segunda melhor marca quando cruzou a linha. O tempo, de fato, foi 90.91, mas foram adicionados dois segundos em função de uma punição por encostar na porta quatro. O brasileiro finalizou as baterias na décima colocação.

O top três foi composto pelo alemão Hannes Aigner (90.14), o italiano Giovanni de Gennaro (90.65) e o australiano Lucien Delfour (91.12).