PUBLICIDADE
Topo

Léo de Deus sugere que finais da natação nas Olimpíadas sejam à noite

Beatriz Cesarini

Do UOL, em Tóquio

28/07/2021 03h01

Após terminar a final dos 200m borboleta em sexto lugar nas Olimpíadas de Tóquio-2020, na noite desta terça-feira (27), o brasileiro Léo de Deus aproveitou para sugerir uma mudança aos organizadores.

"Pelo que eu vi, está mais difícil nadar de manhã. Para todo mundo está mais difícil. É lógico que tem uns ou outros que se saem melhor. Mas a gente vê que à noite o pessoal está nadando bem melhor, eu também me senti melhor. Eu não estava 100%. Então, talvez eu deixasse as finais para a noite", comentou Léo.

De fato, o brasileiro teve uma queda de desempenho. Na semifinal, à noite, ele fez 1min54s83 e alcançou a melhor marca pessoal da carreira na distância. Já na final, pela manhã, ele marcou 1min55s19. Vale ressaltar que, mesmo se repetisse a marca da semifinal, Léo de Deus ficaria fora do pódio.

O húngaro Kristof Milak levou a medalha de ouro, com direito a quebra de recorde olímpico, ao marcar 1min51s25. A medalha de prata ficou com o japonês Tomoru Honda, que fez 1min53s73. E o bronze foi para o italiano Federico Burdisso, com o tempo de 1min54s45.

Léo de Deus não é o primeiro brasileiro a reclamar do horário das finais da natação nas Olimpíadas de Tóquio-2020. Usualmente, a natação tem as provas eliminatórias sendo disputadas pela manhã, com as finais sendo realizadas à noite com base no fuso horário da cidade-sede. Para esta edição dos Jogos Olímpicos, isso significaria que teríamos, no Brasil, as eliminatórias pela noite e as finais, na parte da manhã.

Só que para Tóquio-2020 houve uma mudança de horário. A primeira janela de provas é a partir das 7h (Brasília) até por volta das 9h, quando são realizadas as eliminatórias. Na segunda janela, a partir das 22h30 até por volta de 00h30, são disputadas as semifinais e finais.

A mudança atende um pedido da emissora americana NBC, que quer passar as finais no horário nobre dos Estados Unidos. Se fosse mantida a programação mais usada, as decisões seriam realizadas todas pela manhã para o público americano.

"Infelizmente, mudou bastante essa questão de ter as eliminatórias à noite e as semifinais de manhã. Mas se muda para mim, muda para todo mundo. Acho que as eliminatórias terminaram muito tarde. Tive de fazer tudo correndo para estar no meu quarto à meia-noite. Então, dormi até 7h30, e acho que isso não foi suficiente para eu estar recuperado e ter uma boa performance hoje pela manhã aqui. Mas eu sabia que isso ia acontecer, estava preparado para isso. Só não esperava um resultado abaixo do meu esperado", desabafou Felipe Lima, após não conseguir classificação para a final dos 100m peito.

Nas eliminatórias, à noite no Japão, Lima fez o melhor tempo da vida, ao marcar 59s17. Na semifinal, marcou 59s80.