PUBLICIDADE
Topo

Hashimoto garante tricampeonato olímpico para o Japão no individual geral

Daiki Hashimoto comemora o ouro no individual geral - Laurence Griffiths/Getty Images
Daiki Hashimoto comemora o ouro no individual geral Imagem: Laurence Griffiths/Getty Images

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/07/2021 10h24

Daiki Hashimoto garantiu a manutenção da hegemonia japonesa na disputa do individual geral masculino da ginástica artística. Na final dos Jogos Olímpicos de Tóquio, disputada nesta quarta-feira (28), o ginasta de 19 anos garantiu a medalha de ouro no último aparelho, a barra fixa, ao somar a nota de 88.465. A medalha de prata ficou com a China - Ruoteng Xiao somou 88.065. Atual campeão mundial da prova e campeão por equipes em Tóquio, o russo Nikita Nagornyy conquistou o bronze (88.031).

Hashimoto mostrou que é o legítimo sucessor de Kohei Uchimura, o "rei" Kohei, campeão olímpico do individual geral nos Jogos de Londres-2012 e Rio-2016, e prata em Pequim-2008. Nesta edição olímpica, Uchimura entrou na competição apenas para disputar a barra fixa, mas durante a qualificação, sofreu uma queda e não conseguiu passar à final.

O Brasil teve dois atletas na decisão do individual geral, que reúne os 24 atletas mais completos da ginástica artística. Caio Souza não teve uma boa apresentação e, com falhas no solo e no cavalo com alças, somou 81.532, para ficar na 17ª colocação - nas qualificatórias, ele tinha alcançado a somatória de 84.298. Já Diogo Soares mostrou regularidade e segurança em sua primeira participação olímpica. O jovem de 19 anos melhorou em relação à qualificatória (ficou com a 24ª e última vaga) e finalizou em 20º, com 81.198.