PUBLICIDADE
Topo

Rayssa explode na rede e ganha mais de 2 milhões de seguidores em 24 h

Do UOL, em São Paulo

26/07/2021 03h47

Aos 13 anos, Rayssa Leal é o mais novo fenômeno que está conquistando o Brasil, não só por brilhar nas manobras de street no skate, em que foi medalhista de prata nas Olimpíadas de Tóquio-2020, mas também por encantar com seu jeito espontâneo, descontraído e carismático. Prova disso, é o gigantesco crescimento da garota nas redes sociais, que já atingiu mais de 2 milhões de seguidores

Na madrugada de sábado para domingo (26), Rayssa ultrapassou a marca de 1 milhão de seguidores no Instagram enquanto Kelvin Hoefler ganhava a medalha de prata na modalidade street. Quando foi a vez de Rayssa competir, mais um salto nas redes. Menos de uma hora após a conquista, a skatista já contava com mais de 2 milhões de seguidores na plataforma. Agora, já são mais de 2,2 milhões... e contando.

"O que é isso, minha gente? Não sabia, não. Eu quero ter um tempinho pra olhar [redes sociais], falar com meus pais. Eles alugaram uma chácara pra poderem me assistir andando. Eu quero muito ver. Desde o começo, quando eu comecei nas redes sociais, sempre foi meu sonho ter meu primeiro milhão. Ontem, eu ganhei o primeiro milhão, e hoje eu já tenho dois?", brincou a medalhista ao saber da atualização dos números.

E tem muito famoso nessa lista de seguidores da Fadinha. De Gil do Vigor a Bruna Marquezine, a vice-campeã olímpica ficou sob os holofotes e levou a internet à loucura. Mas não pense que Rayssa está de olho apenas nas celebridades. É também pensando nos anônimos que ela quer virar inspiração para outras garotas e jovens que sonham em um dia repetir o seu feito e defender o skate do Brasil nas Olimpíadas.

"É saber que todas as meninas que já me mandaram mensagens no Instagram, falando que começaram a andar de skate, ou que os pais deixaram andar de skate por causa de um vídeo meu. Eu fico muito feliz, porque foi a mesma coisa comigo. Eu tinha mostrado um vídeo da Letícia (Bufoni) andando de skate, daí meu pai viu e ficou 'ah, beleza'. O Matheus, um amigo meu, já apareceu com o skate, e aí eu falei 'agora é minha chance'", disse.

Rayssa lembrou que há muitas alegrias ligadas à conquista de sua medalha. "É saber que minha história e a história de muitas outras skatistas que quebraram esse preconceito e essa barreira de que skate era coisa de menino. Saber que a gente está aqui. Hoje eu posso segurar uma medalha olímpica. Isso é muito importante pra mim", concluiu.