PUBLICIDADE
Topo

Olimpíadas: Tsuboi supera traumas e estreia com vitória no tênis de mesa

Brasileiro Gustavo Tsuboi venceu o romeno Ovidiu Ionescu na estreia nos Jogos Olímpicos de Tóquio - Julio Cesar Guimarães/ COB
Brasileiro Gustavo Tsuboi venceu o romeno Ovidiu Ionescu na estreia nos Jogos Olímpicos de Tóquio Imagem: Julio Cesar Guimarães/ COB

Colaboração para o UOL

25/07/2021 06h08

Gustavo Tsuboi começou bem a disputa do tênis de mesa nas Olimpíadas de Tóquio. Já pela segunda rodada do torneio, ele enfrentou o romeno Ovidiu Ionescu venceu por 4 sets a 1 no início da manhã deste domingo (25). Com isso, o brasileiro avançou para a terceira rodada da competição, quando enfrentará o nigeriano Quadri Aruna, na próxima terça-feira (27).

Em sua quarta Olimpíada, Tsuboi supera a frustração dos últimos dois Jogos, quando perdeu logo na estreia. Esta foi a segunda vitória do mesa-tenista brasileiro na competição, já que só havia saído vencedor de uma partida em Pequim-2008.

O brasileiro, 37º do ranking mundial, conhecia bem o romeno (56º), já que eles disputam a mesma liga na Alemanha. Tsuboi começou bem o primeiro set e, mesmo com uma leve reação de Ionescu, conseguiu fechar em 11 a 6.

Na segunda parcial, o domínio foi do romeno. Tsuboi conseguiu reagir sempre encurtando a desvantagem, chegou a virar em 9 a 7, mas acabou perdendo por 11 a 9.

O terceiro set foi marcado pelo equilíbrio, e o brasileiro, que teve que salvar dois set points com seu saque, fechou em 13 a 11.

Tsuboi demonstrou um controle mental melhor que do adversário no quarto set, quando ficou atrás quase o tempo todo, chegou a perder por 9 a 7 e virou para vencer em 11 a 9.

Na iminência de ser eliminado, o romeno começou o quinto set com um ritmo forte e chegou a abrir uma vantagem de 7 a 1. Tsuboi, contudo, não se entregou e fechou o jogo 11 a 9.

Brasileiro salienta lado psicológico

Após a partida, Tsuboi fez elogios ao romeno e creditou a parte psicológica como um ponto essencial para que ele saísse da mesa com a classificação.

"É um jogador forte, está no circuito mundial há bastante tempo, joga a mesma liga que joguei por vários anos, a Bundesliga [Alemã]. Então, sabia o que poderia enfrentar, jogo bem duro. Ele é um jogador raçudo, sabia que a todo momento ele ia lutar e eu não poderia fazer diferente. Acho que, para mim, foi ponto-chave continuar meu espírito de luta, a briga na mesa o tempo inteiro. Ainda nem digeri direito a vitória, mas estou muito contente de conquistar a vitória para mim e para o Brasil", disse, ao SporTV.

"Acho que o ponto-chave foi meu psicológico, que mantive a calma e agressividade o tempo inteiro. Mesmo em alguns momentos em que eu estava atrás do placar, continuei acreditando e lutando. E isso fez com que ele se desestabilizasse um pouco. Tive alguns pontos também de sorte, em que a bola tocou na rede, e ele não teve a tranquilidade de lidar com isso. Consegui aproveitar do descontrole emocional dele", completou.