PUBLICIDADE
Topo

Surfistas brasileiras Silvana e Tatiana conhecem adversárias das oitavas

Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima avançam às oitavas e Brasil domina estreia do surfe - GettyImages
Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima avançam às oitavas e Brasil domina estreia do surfe Imagem: GettyImages

Do UOL, em Belo Horizonte

25/07/2021 04h16

As surfistas brasileiras Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb já sabem quem enfrentarão nas oitavas (round 3) do surfe nas Olímpiadas de Tóquio. Após se classificarem na primeira bateria, a cearense e a gaúcha voltam ao mar de Tsurigasaki no início da semana.

Silvana, que se classificou em segundo lugar na primeira bateria, ficando atrás da australiana heptacampeã mundial, Stephanie Gilmore, terá como adversária a portuguesa Teresa Bonvalot, de 21 anos. A princípio, as duas entram em ação a partir das 22h (de Brasília) deste domingo.

"Quando eu saí do hotel e vim pra competição deu um friozinho na barriga, aí eu pensei, calma, relaxa que o nervosismo não é agora. Eu estou vivendo um sonho e eu penso: Silvana você está nas olimpíadas, Silvana tu acabou de competir, Silvana tu foi para as oitavas. Depois de tudo que eu passei, na hora que eu estava ali veio um filme na minha cabeça, desde criança até eu chegar aqui, todos os perrengues, momentos difíceis, as felicidades que eu tive e eu posso dizer que eu sou muito abençoada e agradeço a Deus por essa oportunidade de fazer o que eu mais gosto e representar bem o meu país", destacou a cearense de 36 anos.

Weston-Webb x Tsuzuki

Tatiana, por sua vez, fechou a bateria em primeiro lugar com 11.33 pontos, deixando para trás a francesa Johanne Defay. No round 3, a gaúcha de 25 anos enfrentará a japonesa Amuro Tsuzuki, a partir 22h36 (de Brasília).

"É bem diferente, eu estou arrepiada. É difícil acreditar que estamos aqui nas olimpíadas surfando. É uma honra fazer parte de um grupo de atletas tão poderosos e eu sou muito grata. Muito feliz de estar aqui e muito feliz com minha bateria, além disso, ficando aqui do lado (da área de competição), é muito fácil de treinar a qualquer hora do dia para nos acostumarmos com esse tipo de onda e ameniza o desgaste de termos que vir e voltar todos os dias para Vila', comentou a surfista que se naturalizou brasileira em 2018.

Filha da ex-bodyboarder brasileira Tanira Guimarães e do surfista inglês Doug Weston-Webb, Tatiana nasceu em Porto Alegre, mas se mudou com dois meses para o Havaí, nos Estados Unidos.