PUBLICIDADE
Topo

Judoca argelino é suspenso por não querer lutar com israelense

Fethi Nourine, da Argélia, foi suspenso pela Federação Internacional de Judô - Mayorova Marina/Federação Internacional de Judô
Fethi Nourine, da Argélia, foi suspenso pela Federação Internacional de Judô Imagem: Mayorova Marina/Federação Internacional de Judô

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/07/2021 02h56

A Federação Internacional de Judô (IJF, na sigla em inglês) suspendeu o judoca argelino Fethi Nourine e o técnico dele, Amar Benikhlef. Isso porque na sexta-feira (23), Nourine disse à mídia argelina que seu apoio político à causa palestina tornava impossível para ele competir contra o israelense Tohar Butbul nas Olimpíadas de Tóquio.

"A IJF tem uma política rígida de não discriminação, promovendo a solidariedade como um princípio fundamental, reforçado pelos valores do judô. A retirada de Nourine foi em total oposição à filosofia da Federação Internacional de Judô", afirmou a entidade, em comunicado.

A federação abriu uma investigação sobre o caso, levando à suspensão temporária de Nourine e Benikhlef. Não foi informado, porém, quais as punições dadas a Nourine e Benikhlef.

O Comitê Olímpico da Argélia retirou o credenciamento do atleta e do técnico e os mandou para casa, aplicando as sanções correspondentes, disse a federação, sem detalhar o tipo de sanções.

Não é a primeira vez que Nourine desiste de competições para evitar enfrentar um adversário israelense. Ele havia feito o mesmo no Campeonato Mundial de 2019, em Tóquio.

As tensões no conflito israelense-palestino aumentaram novamente este ano, com confrontos na fronteira.