PUBLICIDADE
Topo

Favorito ao ouro, Medina viaja a Tóquio sozinho e de classe econômica

Medina na chegada em Tóquio - Reprodução/Time Brasil
Medina na chegada em Tóquio Imagem: Reprodução/Time Brasil

Adriano Wilkson, Beatriz Cesarini, Demétrio Vecchioli e Felipe Pereira

Do UOL, em Tóquio

19/07/2021 13h41

Bicampeão mundial e favorito à medalha de ouro na estreia do surfe olímpico, Gabriel Medina, de 27 anos, teve uma jornada incomum até Tóquio no fim de semana.

Diferentemente da maioria dos atletas de elite que viajam com delegações ou com auxiliares para ajudar no desembaraço burocrático, Medina encarou as 35 horas de viagem ao Japão sozinho — e na classe econômica.

Ele estava vestido com o uniforme do Time Brasil. Na espera de quatro horas para conexão em Doha, no Catar, era o único brasileiro entre atletas olímpicos de países como Quênia, Irã, Grécia e do time de refugiados, que viajavam em grupo e com seus técnicos.

O surfista está em conflito com o COB desde que o comitê negou seu pedido para credenciar como técnica a modelo Yasmin Brunet, sua mulher. Yasmin, 33 anos, levou o marido até o aeroporto de Guarulhos (SP) no domingo, mas não embarcou. Por causa do número limitado de credenciais, apenas o australiano Andy King foi autorizado a viajar ao Japão como técnico de Medina. Mas como ele não mora no Brasil, o atleta foi sozinho.

Gabriel Medina conversa com jornalistas no aeroporto de Guarulhos (SP) antes de embarcar para Tóquio - Beatriz Cesarini/UOL - Beatriz Cesarini/UOL
Gabriel Medina conversa com jornalistas no aeroporto de Guarulhos (SP) antes de embarcar para Tóquio
Imagem: Beatriz Cesarini/UOL

O paulista embarcou na madrugada de domingo no aeroporto de Guarulhos (SP), ocasião em que lamentou à reportagem do UOL Esporte a ausência da esposa. "Não vou 100%", queixou-se ele.

No Catar, 14 horas depois, ao ser abordado novamente pela reportagem, Medina disse que estava muito ocupado, "resolvendo um monte de coisa". Em seguida, voltou a falar ao telefone.

Na chegada a Tóquio, depois de passar pelo rigoroso protocolo de entrada (o que incluiu um teste rápido de covid-19), o brasileiro foi visto carregando sozinho as próprias malas e suas pranchas no aeroporto de Narita, uma cena incomum para atletas de ponta.

Do começo ao fim da viagem, Medina exibia um semblante desanimado e parecia cabisbaixo em meio às delegações que conversavam mais animadamente, tanto no percurso quanto na espera pelos voos.

Nas redes sociais, o Time Brasil celebrou a chegada de Medina ao Japão.

Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima são os quatro atletas que vão representar o Brasil na estreia do surfe no programa olímpico. A competição será realizada na cidade de Chiba, a 62 km de Tóquio.