PUBLICIDADE
Topo

Dia a dia: acompanhe os principais eventos das Olimpíadas de Tóquio

Estádio Olímpico de Tóquio, sede das cerimônias de abertura, encerramento e do atletismo - Valery Sharifulin/TASS
Estádio Olímpico de Tóquio, sede das cerimônias de abertura, encerramento e do atletismo Imagem: Valery Sharifulin/TASS

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/07/2021 21h39Atualizada em 22/07/2021 07h40

Os Jogos Olímpicos de Tóquio começam oficialmente na sexta-feira, dia 23 de julho. O UOL montou uma agenda selecionada, com alguns dos principais acontecimentos dos 19 dias de competições no Japão, sempre no horário de Brasília. Confira:

21 e 22 de julho (quarta e quinta-feira) - dia -1
Coincidências marcam a estreia do futebol masculino do Brasil. O primeiro adversário será a Alemanha (dia 22, às 8h30), em uma reedição da final da Rio-2016. A partida será em Yokohama, no mesmo estádio em que o Brasil conquistou sua 5ª e última Copa do Mundo, em 2002.

22 e 23 de julho (quinta e sexta-feira) - dia 0
Com um ano de atraso e sem a presença de público, a Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio começará às 8h do dia 23. Por causa dos protocolos sanitários, ainda não se sabe como será a participação de atletas. Provavelmente, apenas os porta-bandeiras e os chefes de missão vão representar os países. No caso do Brasil, os escolhidos foram o levantador Bruninho e a judoca Ketleyn Quadros.

Antes da abertura oficial dos Jogos, mais duas modalidades estreiam na competição: o remo e o tiro com arco. O primeiro brasileiro a competir em uma prova individual em Tóquio é Lucas Verthein, do remo, que está na primeira bateria do single skiff (a prova começa às 20h30 do dia 22). Logo depois, Ane Marcelle dos Santos, 9ª colocada na Rio-2016, estreia no ranqueamento do tiro com arco (21h). Marcus Vinicius D'Almeida também estará no ranqueamento, a partir da 1h do dia 23.

23 e 24 de julho (sexta-feira e sábado) - dia 1
As primeiras medalhas dos Jogos Olímpicos de Tóquio serão do tiro esportivo, na final feminina da carabina de ar 10m que começa às 22h45 do dia 23.

Na sequência, o Brasil também pode celebrar suas primeiras medalhas. No tiro esportivo, será realizada a final masculina da pistola de ar 10m (dia 24, às 3h30), que pode ter a participação de Felipe Wu, prata na Rio-2016 e primeiro pódio brasileiro na edição.

Na esgrima, a campeã mundial Nathalie Mollhausen pode chegar à disputa por medalhas da espada a partir das 7h50 do dia 24.

O Japão pode comemorar seu primeiro pódio no judô, com as finais da categoria ligeiro no feminino (48kg) e masculino (60kg), a partir das 5h do dia 24. Naohisa Takato, bronze na Rio-2016 e bicampeão mundial no ciclo olímpico, é um dos favoritos ao ouro.

O Brasil estreia em vários esportes coletivos. O handebol masculino entra em quadra (dia 23, 21h) para enfrentar a Noruega. No vôlei de praia, Alison e Álvaro jogam contra os argentinos Azzad e Capogrosso (dia 23, às 22h); Ágatha e Duda enfrentam Gallay e Pereira, também da Argentina (dia 23, 23h). Às 23h05, é a vez do vôlei masculino enfrentar a Tunísia. No futebol, a seleção feminina faz seu segundo jogo, contra a Holanda, às 8h na manhã do sábado, dia 24.

Pela segunda vez na história, o Brasil terá uma equipe masculina completa na ginástica artística. A classificação por equipes começa às 22h de sexta, dia 23. Os brasileiros buscam a vaga na final na subdivisão 2 (início às 2h30 do dia 24).

A natação abre o primeiro de seus nove dias de provas apenas com provas classificatórias (dia 24, 7h). As finais serão sempre disputadas à noite, com início às 22h30, até 31 de julho.

O Brasil começa a participação na disputa de simples do tênis de mesa. Jessica Yamada estreia na primeira rodada, às 2h05 do dia 24.

Também terá início a disputa individual e de duplas do tênis, a partir das 23h. Número 1 do mundo, Novak Djokovic estará em Tóquio com chances reais de alcançar o Golden Slam, ou seja, vencer os quatro Grand Slams da temporada e o ouro olímpico. Na chave feminina, o destaque é a japonesa Naomi Osaka.

Uma das novidades no programa olímpico, o basquete 3x3 estreia nos Jogos de Tóquio, com o confronto entre Rússia e Japão, na chave feminina (dia 23, às 22h15).

24 e 25 de julho (sábado e domingo) - dia 2
Outras duas estreias no programa dos Jogos Olímpicos estão programadas para sábado. Se as condições climáticas permitirem, o surfe começa suas baterias às 19h do dia 24, na praia de Tsurigasaki. Com Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb, o Brasil pode conquistar quatro medalhas.

As finais do surfe estão marcadas para o dia 27 de julho (terça), a partir das 20h. Caso haja imprevistos nas condições climáticas, há uma janela de mais quatro dias para a realização da competição.

Às 21h de sábado (24), é a vez da estreia do skate, com o street masculino, em que o brasileiro Kelvin Hoefler, sete vezes campeão mundial, vai rivalizar com o americano Nyjah Huston (dono de três títulos mundiais em 2017, 2018 e 2019) e com o japonês Horigome Yuto, atual melhor do mundo.

No vôlei de praia, Evandro e Bruno Schmidt estreiam contra os chilenos Marcos e Esteban Grimalt (dia 24, às 23h).

Um dos grandes nomes das Olimpíadas de Tóquio, Simone Biles comanda a seleção americana na qualificação da ginástica artística, que começa às 22h de sábado (24). Pela primeira vez desde Atenas-2004, o Brasil não terá uma equipe completa na disputa feminina. Flávia Saraiva e Rebeca Andrade buscam, a partir das 8h20 do domingo (25), a classificação para as finais por aparelhos.

Apenas pela segunda vez na história, o Brasil não conseguiu classificar nenhuma seleção para o torneio olímpico de basquete. Assim, os fãs da modalidade terão de escolher uma das outras 12 seleções para torcer — e os EUA, como sempre, são favoritos ao ouro. A primeira rodada da chave masculina começa às 22h do dia 24; a disputa feminina começa no mesmo horário de domingo (25).

Na vela, Robert Scheidt estreia em sua 7ª Olimpíada para as primeiras regatas da classe Laser às 2h35 do dia 25. A medal race, na raia de Enoshima, está marcada para a madrugada do dia 1º de agosto.

O Brasil estreia em mais dois esportes coletivos. A seleção feminina de handebol enfrenta a Rússia (dia 24, 23h) e, na manhã de domingo (25), às 9h45, é a vez da seleção feminina de vôlei, que joga contra a Coreia do Sul.

A seleção masculina de futebol faz seu segundo jogo na Olimpíada, contra a Costa do Marfim (dia 25, 5h30).

25 e 26 de julho (domingo e segunda-feira) - dia 3
O handebol masculino faz seu segundo jogo, com a França, às 21h de domingo (25). O segundo jogo da seleção masculina de vôlei na primeira fase será contra a Argentina, às 9h45 de segunda-feira (26).

Os dois medalhistas mundiais do Brasil no taekwondo começam a competir na noite de domingo (25). Bronze no Mundial de 2019, Milena Titoneli, da categoria até 67kg, estreia às 22h. Logo em seguida, o vice-campeão mundial Ícaro Miguel inicia sua trajetória na categoria até 80kg.

Última dupla brasileira do vôlei de praia a estrear na Olimpíada, Ana Patrícia e Rebecca enfrentam as quenianas Makokha e Khadambi às 23h do dia 25.

A primeira medalha da ginástica artística será decidida a partir das 7h da segunda-feira, dia 26, na final masculina por equipes.

No skate, é a vez do street feminino (dia 25, às 21h). Às vésperas das Olimpíadas, Letícia Bufoni conquistou o 5º ouro na modalidade nos X Games e é a grande favorita ao título olímpico. O Brasil também terá na prova Rayssa Leal, de apenas 13 anos.

Medalha de bronze na disputa de seu primeiro Mundial, em 2019, Hebert Conceição estreia na categoria médio (75kg) do boxe às 0h36 da segunda, dia 26. A final está marcada para a madrugada de 7 de agosto.

26 e 27 de julho (segunda e terça-feira) - dia 4
Primeira mulher do Brasil a conquistar uma medalha olímpica, com o bronze em Pequim-2008, Ketleyn Quadros está de volta aos Jogos e entra no tatame para a disputa da categoria meio-médio (63kg), a partir das 23h de segunda-feira (26).

Atuais campeãs da classe 49er FX, a dupla formada por Martine Grael e Kahena Kunze inicia a campanha olímpica com as primeiras regatas a partir de 0h05 da terça-feira (27). A medal race está marcada para a madrugada de 2 de agosto.

Simone Biles pode iniciar sua coleção de medalhas em Tóquio também na terça (27), na final feminina por equipes da ginástica artística, às 7h45.

Top 10 do mundo, Hugo Calderano estreia no tênis de mesa apenas na terceira rodada da disputa individual, a partir da 0h da terça-feira (27).

No futebol feminino, o Brasil encerra a primeira fase contra a Zâmbia (dia 27, 8h30).

Brasil e República Dominicana se enfrentam pela segunda rodada do vôlei feminino (dia 27, 7h40). A seleção feminina de handebol também faz seu segundo jogo em Tóquio, contra a Hungria (dia 26, 23h).

27 e 28 de julho (terça e quarta-feira) - dia 5
Campeã mundial de boxe, Beatriz Ferreira chega à sua primeira Olimpíada na condição de favorita. A brasileira do peso leve (60kg) estreia um pouco depois da 1h da quarta-feira, dia 28, com o objetivo de chegar à decisão da categoria que será em 8 de agosto, o último dia dos Jogos.

Assim como o softbol, os japoneses também garantiram o retorno do beisebol ao programa olímpico — a última aparição da modalidade foi em Pequim-2008. Com uma legião de fanáticos pela modalidade, o Japão abre a disputa contra a República Dominicana, à meia-noite de quarta-feira (28).

A seleção brasileira masculina de futebol faz seu último jogo da primeira fase contra a Arábia Saudita (dia 28, às 5h). A seleção masculina de vôlei enfrenta a Rússia (dia 28, às 9h45). E o handebol masculino faz seu terceiro jogo da fase de classificação contra a Espanha (dia 28, às 7h30).

28 e 29 de julho (quarta e quinta-feira) - dia 6
Em sua quarta Olimpíada e com duas medalhas de bronze conquistadas, Mayra Aguiar chega a Tóquio após uma cirurgia para recuperação do ligamento do joelho esquerdo e sem estar entre as cabeças de chave da categoria meio-pesado. A brasileira terá de fazer uma disputa de superação, a partir das 23h de quarta-feira (28).

Na ginástica artística, Simone Biles deve conquistar sua primeira medalha "solo", na final do individual geral, que será disputada a partir das 7h50 da quinta-feira (29), repetindo o feito conquistado na Rio-2016 - cinco anos atrás, a americana só não foi campeã da trave, aparelho em que ficou com o bronze.

A seleção feminina de rúgbi sevens estreia contra o Canadá (dia 28, às 21h30). Às 5h de quinta (29), enfrenta a França e encerra a primeira fase contra Fiji (dia 29, às 21h). As medalhas serão decididas no dia 31 de julho, a partir das 5h30.

Brasil e Espanha enfrentam-se pelo handebol feminino (dia 28, às 23h). E, no terceiro jogo da primeira fase, a seleção feminina de vôlei enfrenta as donas da casa (dia 29, às 7h40).

29 e 30 de julho (quinta e sexta-feira) - dia 7
No último dia de competições individuais do judô (a partir das 23h do dia 29), a categoria pesado pode ver a consagração de uma lenda. O francês Teddy Riner, que em 2020 perdeu uma invencibilidade de dez anos para um adversário japonês (e que nem será o anfitrião da categoria na Olimpíada), espera conseguir igualar o recorde de Tadahiro Nomura, único judoca a ganhar três ouros consecutivos. Assim, como Riner, o brasileiro Rafael Silva, o Baby, também buscará sua terceira medalha olímpica: ele tem dois bronzes (Londres-2012 e Rio-2016).

As esperadas provas do atletismo terão início às 21h da quinta-feira (dia 29). A primeira parte da disputa, que vai até as 23h40, não terá finais, sendo que o primeiro campeão da modalidade será conhecido apenas 8h30 de sexta-feira, dia 30, na final dos 10 mil metros masculino.

Mas os brasileiros terão um bom motivo para ficarem acordados até tarde: às 22h50 da quinta (dia 29), entra na pista a principal promessa de medalha do atletismo do Brasil em Tóquio. Alison dos Santos, o Piu, disputará a classificação dos 400 metros com barreiras, prova em que é o terceiro melhor do mundo.

A seleção masculina de vôlei enfrenta os EUA (dia 29, às 23h05). Já o handebol masculino faz um duelo regional com a Argentina (dia 29, às 21h).

O futebol feminino começa a fase de confrontos diretos: as partidas das quartas de final serão realizadas entre as 5h e 8h de sexta-feira, dia 30.

30 e 31 de julho (sexta-feira e sábado) - dia 8
O Estádio Olímpico de Tóquio verá, a partir das 23h35 da sexta-feira (30), o início da disputa dos 100m rasos masculino no atletismo. Será a primeira vez desde Pequim-2008 que a prova não terá a presença de Usain Bolt. A disputa no Japão também não terá o principal oponente do jamaicano nos últimos anos, Justin Gatlin (EUA), que não conseguiu se classificar para Tóquio. O caminho parece aberto para uma boa disputa entre os jovens Trayvon Bromell, dos EUA, e o sul-africano Akani Simbine, os dois melhores do ranking mundial no ano.

Também na sessão noturna do dia 30, às 21h40, será disputada a qualificação do salto com vara masculino. Campeão na Rio-2016 em uma disputa emocionante, o brasileiro Thiago Braz nunca mais repetiu uma atuação próxima à consagradora final de cinco anos atrás, quando saltou 6,03m e bateu o recorde olímpico. Quem brilhou durante o ciclo olímpico foi o sueco Armand Duplantis, que em 2020 bateu o recorde mundial ao saltar 6,18m.

O futebol masculino entra na fase de confrontos diretos, com a disputa das quartas de final a partir das 5h do dia 31, sábado. A seleção feminina de vôlei enfrenta a Sérvia (dia 31, às 4h25). E a seleção feminina de handebol faz seu penúltimo jogo da primeira fase, contra a Suécia (dia 31, às 4h15).

31 de julho e 1 de agosto (sábado e domingo) - dia 9
O último dia de disputas da natação em Tóquio é o que decidirá quem são os homens e as mulheres mais rápidos nas piscinas, nas duas finais dos 50 metros livre.

A final masculina será disputada às 22h30 de sábado (31), e o americano Caeleb Dressel, além de favorito ao ouro, também é candidato a derrubar o recorde mundial que Cesar Cielo estabeleceu em 2009 (20s91). O brasileiro Bruno Fratus também deve brigar pelo pódio. Na final feminina, Simone Manuel, a primeira mulher negra a conquistar um ouro olímpico na natação, é uma das favoritas para o ouro — no Rio, ela foi vice-campeã.

O vôlei masculino termina a primeira fase contra a França (dia 31, às 23h05). A seleção masculina de handebol encerra sua participação na fase classificatória (dia 1, às 7h30), contra a Alemanha.

1 e 2 de agosto (domingo e segunda-feira) - dia 10
Maior medalhista individual do Brasil em uma só Olimpíada, Isaquias Queiroz estreia em Tóquio (domingo, dia 1, às 22h05) para a disputa do C2 1000m, prova em que conquistou a medalha de prata na Rio-2016 -- a final será na noite de 3 de agosto. Dessa vez, o canoísta terá a companhia de Jacky Godmann, que foi confirmado na Olimpíada no lugar de Erlon Souza, lesionado. Isaquias também disputará o C1 1000m, a partir de 5 de agosto, e espera repetir o resultado de cinco anos atrás, quando também foi prata, na final do dia seguinte.

No penúltimo dia da ginástica artística, o Brasil pode testemunhar um feito inédito: Arthur Zanetti tem como objetivo ser o primeiro atleta a conquistar três medalhas olímpicas nas argolas. As finais começam às 5h de segunda-feira (2).

Duas modalidades coletivas encerram os jogos da primeira fase. A seleção feminina de vôlei enfrenta o Quênia, treinado pelo brasileiro Luizomar de Moura (dia 2, às 9h45). O handebol feminino enfrenta a França (dia 1, às 23h). Já o futebol feminino decide as seleções finalistas e as que estarão na disputa pelo bronze (dia 2, às 5h e às 8h).

2 e 3 de agosto (segunda e terça-feira) - dia 11
O último dia de competições da ginástica artística, que começa às 5h da terça-feira (dia 3), terá a disputa por medalhas em três aparelhos. Em um deles, a barra fixa, o brasileiro Arthur Nory é o atual campeão mundial e vem da Rio-2016 com um bronze olímpico, mas no solo. No mesmo dia será disputada a final da trave, a única prova em que Simone Biles não conseguiu o ouro olímpico há cinco anos.

Também às 5h (dia 3) começa a disputa da escalada esportiva, uma das modalidades que estreiam no programa olímpico em Tóquio, e que já está garantida para a Olimpíada de Paris, em 2024.

Às 7h (dia 3), começa a classificação da disputa individual dos saltos do hipismo. Após ter deixado a equipe brasileira na Rio-2016 por não aceitar a reserva, o campeão olímpico Rodrigo Pessoa volta a defender o país, em sua 7ª Olimpíada. A final individual dos saltos será no dia 4, às 7h. O Brasil ainda disputará a competição por equipes, nos dias 6 e 7 de agosto.

O futebol masculino terá os dois jogos semifinais, que serão às 5h e às 8h da terça-feira (3). Vôlei e handebol masculino chegam às quartas de final, com as partidas sendo realizadas entre as 21h30 de segunda-feira e as 9h30 de terça-feira.

3 e 4 de agosto (terça e quarta-feira) - dia 12
Considerada uma das favoritas ao pódio na Rio-2016, Ana Marcela Cunha ficou em 10º lugar na maratona aquática de 10km. Em Tóquio, após um ciclo de grandes conquistas, tenta a inédita medalha olímpica a partir das 18h30 de terça-feira (dia 3).

O skate volta à Olimpíada, para a modalidade park (dia 3, 21h). O Brasil será representado por Dora Varella, Isadora Pacheco e Yndiara Asp, mas o grande nome da competição é Sky Brown. Com apenas 13 anos, é uma das melhores do mundo. Filha de mãe japonesa e pai britânico, ela nasceu no Japão, mas defende a Grã-Bretanha. Um grave acidente sofrido há um ano durante um treinamento, em que fraturou o crânio e a mão esquerda, levantou o debate sobre a participação de crianças no esporte de alto rendimento.

As quartas de final do vôlei feminino começam às 21h de terça-feira e vão até as 9h30 de quarta-feira, intervalo que praticamente se repete nas quartas de final do handebol masculino, que vão das 21h30 do dia 3 às 8h45 do dia 4 de agosto.

4 e 5 de agosto (quarta e quinta-feira) - dia 13
O último dos esportes estreantes nas Olimpíadas de Tóquio é o caratê. Assim como o judô, também é uma arte marcial cujo berço está no Japão -- mais especificamente, na ilha de Okinawa. A partir das 22h de quarta-feira (4), a modalidade estreia nos Jogos, mas para uma oportunidade única, já que não estará no programa de Paris-2024.

O primeiro dos três dias de disputas é dedicado ao kata, modalidade em que não há combate, mas a apresentação individual de movimentos e golpes. O japonês Ryo Kiyuna, nascido em Okinawa, é o grande favorito para o ouro — ele é o atual tricampeão mundial.

Também estreante, mas já garantido para os Jogos de Paris, o skate encerra sua programação com a disputa do park masculino (dia 4, 21h), em que o Brasil terá Luiz Francisco, Pedro Quintas e Pedro Barros.

No atletismo, a alternativa de mandar as provas de rua para Sapporo (a 830km de Tóquio) com o objetivo de evitar o calor da capital japonesa será testada pela primeira vez com a disputa masculina da marcha atlética de 20km (dia 5, às 4h30).

O brasileiro Caio Bonfim, 4º na Rio-2016, tem chances de conquistar novamente uma boa colocação. Caio também obteve índice para a marcha de 50 km, mas abriu mão da prova, que será realizada apenas 11 horas depois.

A primeira medalha do futebol será conhecida às 5h de quinta-feira, dia 5 de agosto, com a disputa do bronze no feminino. Vôlei e handebol masculino conhecerão as seleções finalistas após as 9h do dia 5, horário de encerramento das partidas semifinais.

5 e 6 de agosto (quinta e sexta-feira) - dia 14
Dia de medalhas para o futebol: às 23h de quinta-feira, 5 de agosto, será decidido o ouro olímpico da disputa feminina. Na manhã de sexta (6), às 8h, o masculino faz a partida que definirá o terceiro colocado.

O vôlei de praia feminino também conhecerá suas medalhistas. A disputa pelo bronze será às 22h de quinta-feira (5), e a grande final, às 23h30.

Já o vôlei e o handebol feminino conhecerão as seleções finalistas — as partidas semifinais ocorrem entre 1h e 9h de sexta (6).

6 e 7 de agosto (sexta-feira e sábado) - dia 15
A decisão do futebol masculino começa às 8h30 de sábado, dia 7 de agosto. Mas o penúltimo dia olímpico começa com a final do basquete masculino, às 23h30 do dia 6, seguida da disputa pelo bronze no feminino, às 4h do dia 7.

Ainda na noite de sexta-feira (6), serão conhecidos os medalhistas da disputa masculina do vôlei de praia. A briga pelo bronze será às 22h, com o ouro sendo decidido às 23h30.

Vôlei e handebol masculino decidirão seus campeões quase que simultaneamente. No vôlei, a final começará às 9h15 de sábado, dia 7, apenas 15 minutos depois da final do handebol.

O conjunto brasileiro da ginástica rítmica tenta, pela terceira vez, garantir a vaga em uma final olímpica. A qualificatória começa às 22h (dia 6).

7 e 8 de agosto (sábado e domingo) - dia 16
O último dia das Olimpíadas de Tóquio começa com a disputa da maratona, às 19h de sábado (7). O Brasil terá três representantes na prova, com destaque para Daniel Nascimento, que em sua estreia na distância já garantiu a classificação olímpica. O grande nome da maratona é o queniano Eliud Kipchoge, atual campeão olímpico e recordista mundial da prova.

Também será no último dia dos Jogos que serão conhecidos as campeãs do basquete feminino (23h30 de sábado, 7), do vôlei feminino (1h30 de domingo, 8) e do handebol feminino (3h do dia 8). Ainda será realizada a decisão dos conjuntos da ginástica rítmica (dia 7, 23h) e a final masculina do polo aquático (dia 8, 4h30).

Na madrugada de domingo (8), entre as 2h e 3h15, serão decididas as últimas quatro finais do boxe, incluindo o peso leve, da campeã mundial Beatriz Ferreira.

A Cerimônia de Encerramento começa às 8h de 8 de agosto, domingo. Como manda a tradição, é no evento que a tocha olímpica se apaga, os medalhistas da maratona masculina sobem ao pódio e a bandeira olímpica é entregue para a próxima sede: em três anos, será a vez de Paris-2024.