PUBLICIDADE
Topo

Em meio a briga com COB, Gabriel Medina vive melhor temporada da carreira

Yasmin Brunet e Gabriel Medina comemoram título do surfista na etapa de Rottnest Search  - Reprodução/Instagram
Yasmin Brunet e Gabriel Medina comemoram título do surfista na etapa de Rottnest Search Imagem: Reprodução/Instagram

Marcello De Vico

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

30/06/2021 04h00

Se fora da água Gabriel Medina vive tempos turbulentos que envolvem questões familiares e queixas contra o Comitê Olímpico Brasileira (COB) por causa do veto ao credenciamento da esposa Yasmin Brunet nas Olimpíadas, dentro dela tudo corre às mil maravilhas. O bicampeão mundial faz até aqui a melhor temporada de sua carreira e é o único surfista do circuito masculino já classificado matematicamente para as finais do Mundial de Surfe —que estreiam neste ano.

Medina está disparado na liderança do ranking masculino da WSL de 2021. O brasileiro soma 46.720 pontos, contra 33.555 do compatriota Ítalo Ferreira.

Gabriel venceu duas das seis etapas disputadas até aqui: Narrabeen e Rottnest Search, ambas na Austrália. Além disso, acumula três vices, em Pipeline, Newscastle e nas ondas artificiais de Lemoore. A única etapa da temporada em que ele não chegou à decisão foi em Margaret River, na Austrália, onde caiu nas oitavas e ficou com o nono lugar.

Levando em conta apenas as seis primeiras etapas, o melhor início de temporada de Gabriel Medina no circuito mundial havia sido em 2014, justamente no ano de seu primeiro título mundial. Foram 36.150 pontos, com vitórias em Goldcoast (Austrália) e Fiji.

Como funcionam as "novas finais" da WSL

Matematicamente, Gabriel é o único surfista classificado para o WSL Finals na categoria masculina —a havaiana Carissa Moore conseguiu o mesmo no feminino. Este será o primeiro ano em que o campeão do circuito será definido através de um mata-mata, em dia único.

Se antes o título era dado ao surfista que mais somasse pontos ao final da temporada, agora haverá um evento extra para definir o campeão mundial. Serão oito etapas em "pontos corridos", com os cinco melhores surfistas classificando para o "The WSL Finals", como vem sendo chamado o evento pela entidade.

O primeiro colocado ao final das oito etapas terá vantagem e entrará apenas na grande decisão, que será em sistema "melhor de três". Ele enfrenta o surfista que tiver passado pelas baterias 1, 2 e 3 (veja na foto abaixo como funciona).

Mata-mata do surfe em 2021 - Reprodução/WSL - Reprodução/WSL
Imagem: Reprodução/WSL

Outras duas etapas do circuito ainda serão disputadas até a final: Barra de la Cruz, no México, entre 10 e 20 de agosto, e Teahupo'o, no Tahiti, na Polinésia Francesa, entre 24 de agosto e 3 de setembro. O WSL Finals será realizado entre 9 e 17 de setembro, em Trestles, na Califórnia.

O top 10 do ranking atual do Mundial de Surfe masculino:

  1. Gabriel Medina (BRA) - 46.720
  2. Ítalo Ferreira (BRA) - 33.555
  3. Filipe Toledo (BRA) - 32.065
  4. Morgan Cibilic (AUS) - 24.610
  5. Griffin Colapinto (EUA) - 24.235
  6. Kanoa Igarashi (JPN) - 23.545
  7. Jordy Smith (RSA) - 22.770
  8. Conner Coffin (EUA) - 22.205
  9. Yago Dora (BRA) - 20.215
  10. John John Florence (HAW) - 19.925