PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras decide liberar Gabriel Menino para defender seleção olímpica

O lateral-direito da seleção brasileira Gabriel Menino durante treino na Granja Comary - Lucas Figueiredo/CBF
O lateral-direito da seleção brasileira Gabriel Menino durante treino na Granja Comary Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Danilo Lavieri e Gabriel Carneiro

Do UOL, no Rio de Janeiro

17/06/2021 11h59

O Palmeiras resolveu liberar Gabriel Menino para a disputa dos Jogos Olímpicos. A equipe entende que o atleta tem a idade olímpica e pode ter a oportunidade de brigar pela medalha de ouro no Japão.

O Alviverde conversou com a CBF nos últimos dias e deu o aval para que o nome do jogador constasse na lista anunciada hoje pelo técnico André Jardine.

O Palmeiras também conversou com a entidade para informar que não liberaria Weverton. O goleiro era um dos favoritos da comissão técnica para ocupar uma das vagas para atletas acima de 24 anos, mas como já está com a seleção na Copa América a liberação ficou mais difícil.

Além disso, a diretoria do Alviverde entende que Weverton já não tem mais idade olímpica e pode ter como prioridade disputar jogos pela sua própria equipe e pela seleção principal.

A seleção olímpica se apresenta em São Paulo no próximo dia 1º de julho, para treinos no CT do Palmeiras, mas a CBF adiou a liberação daqueles que atuam no Brasil para o dia 8 de julho, quando a delegação viaja para Doha, no Qatar, para continuar a preparação. A viagem para o Japão está marcada para o dia 15 de julho, enquanto a estreia será no dia 22, contra a Alemanha.

"A gente, desde o início, citou e temos que frisar a grande compreensão dos clubes, presidentes e técnicos. O André foi feliz ao falar que a olímpica é particular. A competição não é data Fifa e temos que ter compreensão e entendimento dos clubes. Se não for assim, a gente passa vergonha. Se não fosse eles para ceder, não teríamos uma seleção forte. Eu sei que cada um tem seus interesses, querem ficar fortes no campeonato, mas disputar Olimpíada é o sonho de um atleta e todos querem ir. Muitos querem estar aqui e gostariam de estar aqui. Não foi fácil negociar no Brasil e nem fora do Brasil. Ainda bem que deu certo e esperamos que a gente faça uma ótima fase de treinamento", explicou o ex-jogador Branco, coordenador das categorias de base da CBF.