PUBLICIDADE
Topo

Olimpíada de Tóquio vai começar no dia 23 de julho de 2021

Homem com máscara de proteção em frente à logomarca dos Jogos Tóquio 2020 - ISSEI KATO
Homem com máscara de proteção em frente à logomarca dos Jogos Tóquio 2020 Imagem: ISSEI KATO

Do UOL, em São Paulo

30/03/2020 09h08

O Comitê Olímpico Internacional (COI) confirmou hoje (30) que os Jogos Olímpicos de Tóquio serão realizados entre os dias 23 de julho e 8 de agosto de 2021.

A Olimpíada foi adiada na semana passada devido à pandemia de coronavírus. Inicialmente, a cerimônia estava marcada para o dia 24 de julho deste ano. Os Jogos Paralímpicos de Tóquio também têm nova data confirmada: de 24 de agosto de 2021 a 5 de setembro de 2021.

A data foi definida hoje pelos organizadores locais em parceria com o Comitê Olímpico Internacional durante conversa telefônica com o presidente do COI, Thomas Bach. As partes chegaram a uma decisão após uma conversa telefônica com membros do governo do Japão.

"Essa decisão foi tomada com base em três considerações principais e em conformidade com os princípios estabelecidos pelo Conselho Executivo do COI em 17 de março de 2020 e confirmados em sua reunião de hoje. Estes foram apoiados por todas as Federações Esportivas Olímpicas Internacionais de Verão e todos os Comitês Olímpicos Nacionais: Proteger a saúde dos atletas e de todos os envolvidos e apoiar a contenção do vírus Covid-19; proteger os interesses dos atletas e do esporte olímpico; o calendário internacional de esportes global", disse o COI em comunicado oficial.

Houve uma movimentação nas últimas semanas para que o Comitê Olímpico Internacional e o governo do Japão anunciassem o adiamento dos Jogos Olímpicos, o que aconteceu na última semana depois de articulação por parte de atletas do mundo inteiro e federações internacionais. A federação de natação dos EUA, uma das principais do mundo, foi a primeira a pedir o adiamento. O Comitê Olímpico do Canadá avisou que não enviaria atletas caso os Jogos fossem mantidos para 2020. Até mesmo o Comitê Olímpico do Brasil soltou nota oficial pedindo a mudança de data.

"Quero agradecer às Federações Internacionais pelo apoio unânime e às Associações Continentais dos Comitês Olímpicos Nacionais pela grande parceria e pelo apoio no processo de consulta nos últimos dias. Também gostaria de agradecer à Comissão de Atletas do COI, com quem mantemos contato constante. Com este anúncio, estou confiante de que, trabalhando em conjunto com o Comitê Organizador de Tóquio 2020, o Governo Metropolitano de Tóquio, o Governo Japonês e todas as nossas partes interessadas, podemos superar esse desafio sem precedentes. Atualmente, a humanidade se encontra em um túnel escuro. Estes Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 podem ser uma luz no fim deste túnel", completou Thomas Bach na nota.

Essa é a primeira vez na história dos Jogos Olímpicos de verão que o evento é adiado. Em outras ocasiões, por causa das duas Guerras Mundiais, a competição foi cancelada: 1916, 1940 e 1944. Em 1940, inclusive, os Jogos estavam marcados para Tóquio. Os Jogos Olímpicos de inverno, porém, já passaram por isso: nos anos 1990, o COI adiou o evento de 1992 para 1994, para evitar dois grandes eventos no mesmo ano — as duas Olimpíadas eram realizadas no mesmo ano desde 1924.

Nem mesmo em meio a acontecimentos graves o evento parou. Em 1972, por exemplo, os Jogos de Munique seguiram apesar do atentado que matou 11 membros da delegação israelense dentro da Vila Olímpica alemã. Em 1996, um atentado à bomba em Atlanta matou duas pessoas e feriu 100, mas as Olimpíadas foram concluídas nos EUA.

O comunicado do COI ainda ressalta que o nome permanecerá Tóquio-2020 e a chama olímpica, que chegou na última semana a Tóquio em cerimônia discreta, permanecerá na cidade como símbolo de esperança.

Olimpíadas