UOL Olimpíadas
BUSCA




RECEBA O BOLETIM
UOL ESPORTE
 
 


Murilo Garavello
Enviado especial do UOL
Em Atenas (Grécia)

Acabou com dois pousos desequilibrados o sonho do pódio de Daiane dos Santos nos Jogos de Atenas. O "Brasileirinho", música que embalou sua apresentação na final do solo olímpico, desandou, e a ginasta gaúcha saiu bufando da área de competição.

Catalina PonorROM9,750  
Nicoleta SofronieROM9,562
Patricia MorenoESP9,487
Fei ChengCHN9,412
Daiane dos SantosBRA9,375
Kate RichardsonCAN9,312
Mohini BhardwajEUA9,312
Alina KozichROM8,500
Antes de saber sua pontuação, virou para seu técnico, o ucraniano Oleg Ostapenko, e disse: "Acabou". Visivelmente chateada, balançou a cabeça, deu de ombros. A Oleg sobrou consolar sua pupila.

O ouro e a prata foram para a Romênia, com Catalina Ponor e Nicoleta Sofronie, respectivamente. Sofronie, inclusive, era reserva e só entrou na disputa por uma contusão. O bronze ficou com Patrícia Moreno, da Espanha, outra potência emergente da ginástica.

A pontuação da brasileira, de 9,375, foi muito baixa e não a classificaria para a final da prova. A nota que Daiane obteve hoje foi menor do que a da fase de classificação (9,637) em Atenas e inferior às cinco apresentações que a levaram ao primeiro lugar do ranking da ginástica (Mundial e etapas da Copa do Mundo). Nesta segunda, a brasileira perdeu 0,1 ponto por, após um dos desequilíbrios, ter pisado fora da área de salto. E ficou com o quinto lugar.

Foi-se o sonho de ser a primeira negra a ganhar um ouro na ginástica em Olimpíadas. E de ganhar o primeiro pódio olímpico na modalidade para o Brasil. "Tive uma falha grande. É uma coisa que acontece. E aconteceu, não adianta ficar chorando", disse após a prova.

Apontada como favoritíssima como o velejador Robert Scheidt, que levou o ouro neste domingo, ela sofreu com a pressão. Ao contrário do iatista, que ganhou na regularidade, Daiane perdeu o pódio pela exigência de fazer uma apresentação impecável, sem chance de repetição.

"Estava nervosa. Foi mais por mim mesma, não pela pressão dos outros. Tem de ter um controle emocional grande", admitiu a ginasta.

A torcida no ginásio ateniense chegou a vaiar três pontuações, da chinesa Fei Cheng, da norte-americana Mohini Bhardwaj e a canadense Kate Richardson. Mas não após a pontuação de Daiane, que concordou com sua nota. "Você percebe quando erra. Eu me daria a mesma pontuação", disse.

De qualquer forma, com a quinta posição, Daiane teve a melhor posição do Brasil na ginástica -em Sydney-2000, o país festejou o inédito 20º lugar de Daniele Hypólito no individual geral. A gaúcha é a primeira brasileira a fazer uma final de aparelho em Olimpíadas.

Daiane também entrou para a história como a primeira ginasta brasileira medalha de ouro em um Mundial, há um ano. Além disso teve quatro ouros em etapas da Copa do Mundo neste ano. Daí o favoritismo unânime dedicado a ela pelo mundo da ginástica. E o sentimento de frustração com que a brasileira saiu de cena em Atenas.

Depois de ganhar medalhas no Pan-Americano de 1999 e receber os primeiros holofotes, não se classificou para Sydney-2000. Passou quatro anos praticamente incógnita, no ostracismo que os brasileiros dedicam aos olímpicos na entressafra. Em janeiro de 2003, aos 19 anos e sem muito alarde, deixou a família em Porto Alegre e passou a morar em Curitiba, em uma casa coletiva para as ginastas. Aprendeu a conviver 24 horas diárias com pessoas de personalidades díspares.

Carismática e dedicada aos treinos -é chamada de "robozinho" por Georgette Vidor, ex-técnica de Daniele Hypólito-, aos poucos conquistou o técnico ucraniano Oleg Ostapenko, que hoje a trata como a uma filha. E foi justamente o "casamento" do potencial físico de Daiane e do conhecimento técnico de Oleg que forjaram o "Michael Jordan da ginástica", nas palavras do técnico da seleção romena bicampeã olímpica Octavian Belu.

Daiane ainda escreveu seu nome na história da ginástica ao executar com perfeição dois saltos de altíssima dificuldade, nunca realizados no feminino. O duplo twist carpado já se chama "Dos Santos". O duplo twist esticado, ainda mais difícil, aguarda o referendo da Federação Internacional para receber denominação similar.

Nesta segunda, porém, eles não funcionaram. Com as falhas, a fama de "Michael Jordan" seguirá restrita ao mundo da ginástica -Daiane foi uma das menos aplaudidas pelo ginásio olímpico. Os brasileiros ainda tentaram consolá-la: na saída, ouviu gritos: "Valeu, Daiane". Ela olhou, agradeceu acenando, mas não escondeu o sorriso, amarelo e envergonhado. Muito diferentes daqueles com que encantou o Brasil e abriu os olhos nacionais para a ginástica.


O duplo twist carpado, ou "Dos Santos", é uma invenção do técnico ucraniano Oleg Ostapenko. Para realizá-lo, a ginasta deve, de costas, dar dois saltos mortais com as pernas esticadas, mas juntas ao corpo. No duplo twist esticado, outra invenção de Ostapenko, ela executa os mortais com todo o corpo ereto. Em 2003, Daiane executou o salto no Mundial de Anaheim e foi campeã no solo, colocando o seu nome no livro de regras da Federação Internacional de Ginástica.


  Como o UOL Esporte noticiou
 23/08/2004 -Daiane se desequilibra e deixa escapar pódio inédito
 23/08/2004 -Daiane reconhece que nervosismo prejudicou seu desempenho
 23/08/2004 -Técnico de Daiane diz que cirurgia no joelho atrapalhou a ginasta
 22/08/2004 -"Super confiante", Daiane tenta ouro para estrelato olímpico
 14/08/2004 -Oleg decidirá série de Daiane na última hora
 20/08/2004 -Federação de ginástica se rende ao duplo twist esticado
 15/08/2004 -Mesmo sem ser perfeita, Daiane dos Santos vai à final
 14/08/2004 -Daiane dos Santos testa "joelhinho de cristal"
 12/08/2004 -Daiane encanta árbitros e público durante prévia em Atenas
 10/08/2004 -"Blindagem" tenta tirar Daiane dos Santos dos holofotes
 09/08/2003 -Guru de Daiane se diz calmo, mas apreensivo com joelho
 04/08/2004 -Com dor, Daiane diz que será complicado ganhar medalha
 03/08/2004 -Médico afirma que dores no joelho de Daiane são normais
 09/07/2004 -"Daiane só perde o ouro para ela mesma", diz especialista
 03/07/2004 -Daiane confirma, mas não comenta cirurgia no joelho
 15/05/2004 -Ginasta gaúcha leva favoritismo para Atenas
 04/04/2004 -Daiane comanda show "brasileirinho" na Copa do Mundo
 02/04/2004 -Estrela da ginasta, gauchinha enfrenta pressão no Rio
 17/03/2003 -No palco olímpico, Daiane dos Santos falha na prova de solo
 14/03/2004 -Daiane dos Santos ganha o ouro no solo em Lyon
 30/11/2003 -Daiane põe Brasil em grupo seleto de nações na ginástica
 25/11/2003 -Especial: Sem "guru", Daiane já fala em aposentadoria
 25/11/2003 -Entrevista: "Sou baladeira demais", revela Daiane
 21/11/2003 -Ginasta já treina novo salto, o "duplo-twist esticado"
 24/08/2003 -Daiane dos Santos ganha ouro no solo no Mundial
 20/08/2003 -Duplo twist carpado vira "Dos Santos"


Veja as imagens marcantes de sua carreira


 Nome completo: Daiane Garcia dos Santos
 Data de nascimento: 10/02/1983
 Local de nascimento: Porto Alegre (RS)
 Altura: 1,44 m
 Peso: 41 kg
 Residência: Curitiba (PR)