PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Juiz admite que errou e prejudicou Robson em luta por título no boxe

O brasileiro Robson Conceição na pesagem antes da luta com o mexicano Oscar Valdez pelo cinturão dos super-penas do Conselho Mundial de Boxe - Divulgação/TopRank
O brasileiro Robson Conceição na pesagem antes da luta com o mexicano Oscar Valdez pelo cinturão dos super-penas do Conselho Mundial de Boxe Imagem: Divulgação/TopRank
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

13/09/2021 23h47

O juiz Stephen Blea, um dos jurados da luta entre Oscar Valdez e Robson Conceição, admitiu hoje (13) que errou ao marcar resultado de 117 a 110 para o mexicano, em duelo valendo o cinturão dos super-penas do Conselho Mundial de Boxe (WBC, na sigla em inglês) realizado na sexta-feira (10), nos Estados Unidos, e que manteve o cinturão em posse de Valdez.

O brasileiro reclama que o resultado da luta não condiz com a realidade e tem como um dos argumentos os pontos dados por Blea, que considerou que o brasileiro venceu somente três rounds de 12 rounds, quando ele foi superior, no mínimo em cinco. Os outros dois juízes marcaram 115 a 112 para Valdez, que lutou na mesma região onde foi criado, em Tucson, no Arizona.

Em carta enviada ao CMB e reproduzida em diversos veículos de imprensa dos Estados Unidos e do México (aqui na íntegra), Blea reconhece o erro. "Já vi a luta e analisei bem o meu desempenho. Minha pontuação de 117-110 não é exata e não representa as ações no ringue", afirmou.

No documento, ele afirmou que em dois rounds muito parelhos, em que deveria ter marcado 10 a 10 (empate), uma vez que não havia vencedor claro, ele deu a vitória para Valdez (10 a 9) por entender que o campeão tem o benefício da dúvida em situações assim. A prática é comum no boxe profissional, ainda que não faça parte das regras.

Blea explicou ainda que tinha a visão encoberta de parte da luta e, sem conseguir enxergar o que acontecia, se deixou levar pela reação da torcida, toda ela de Valdez, que afinal lutava em casa. "Não conseguia ver alguns golpes conectados de [Robson] Conceição, aos quais havia nenhuma reação da torcida, ao contrário de quando Valdez acertou socos", ele afirmou, antes de pedir para passar por um treinamento e de afirmar que não trabalhará em nenhuma luta até concluir a reciclagem.

De acordo com a ESPN americana, que transmitiu a luta e é acusada pelo staff de Robson de somente exibir replays de golpes aplicados por Valdez, Blea afirmou que, mesmo com essa revisão, ele não entende que o brasileiro venceu. A marcação correta, para ele, deveria ter 115 a 112 ou 114 a 113, sempre para o campeão. Os outros dois jurados anotaram 115 a 112, o que o Esto, importante veículo esportivo do México, considera, por exemplo, ser um placar "desproporcional". Para os especialistas do site da ESPN americana, a vitória foi de Robson, que acertou muito mais golpes.

Como contou o Olhar Olímpico mais cedo, o resultado da luta está sendo contestado pelo staff do brasileiro, que enviou uma queixa formal ao Conselho e exigiu ou uma revanche pura e simples ou que ele seja promovido a número 1 do ranking, o que forçaria Valdez a obrigatoriamente enfrentá-lo, também.

A luta já vinha sendo marcada por acusações de beneficiamento a Valdez desde que o mexicano testou positivo para uma substância proibida e não foi suspenso por doping. No confronto, Robson foi punido pelo árbitro por um golpe na nuca do rival, perdendo um ponto, mesmo sem antes ter recebido uma advertência. Quando Valdez acertou um soco mais forte, no mesmo contexto, foi só advertido. No fim da luta, o mexicano, vencedor, estava com o rosto muito machucado. Robson, o derrotado, estava inteiro.