PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Romeno de 16 anos já é o mais rápido do mundo e ameaça recorde de Cielo

David Popovici - Federação Italiana de Natação
David Popovici Imagem: Federação Italiana de Natação
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

09/07/2021 04h00

A não ser que você seja um aficionado por natação, esta provavelmente é a primeira vez que você lê o nome de David Popovici. Mas pode ir se acostumando. O romeno de apenas 16 anos, que há algum tempo é apontado por especialistas como próximo grande nome da natação, resolveu pular etapas para se tornar um fortíssimo candidato a medalha olímpica já em Tóquio. Mais do que isso: candidato a derrubar nos próximos dias o recorde mundial de Cesar Cielo.

Em sua, por enquanto, breve carreira, Popovici está acostumado a ser o melhor da história em sua faixa etária. Em maio, ele melhorou em incríveis 51 centésimos (meio segundo) a melhor marca da história para um nadador de 16 anos nos 100m livre: 48s08. Desbancou do trono ninguém menos do que Kyle Chalmers, atual campeão olímpico.

Ali Popovici se classificou para Tóquio e mostrou que, se tudo continuasse nos trilhos, ele seria um forte candidato a ser campeão olímpico dali a três anos, em Paris. Antes de ir ao Japão, porém, ele foi a Roma para disputar o Europeu Júnior, que começou na última terça (6). E aí, sim, a surpresa.

Primeiro, o romeno bateu, aos 16 anos, o recorde mundial júnior, para atletas de até 18 anos, ao abrir o revezamento 4x100m livre para seu país. Fez 47s56 e pulou para o quarto lugar do ranking mundial de 2021 entre os adultos.

Ontem (8), porém, mostrou que o resultado de terça ainda era só aquecimento. Popovici venceu a final dos 100m livre em 47s30, fazendo o melhor tempo do mundo este ano. Mesmo o astro Caeleb Dressel, que tem (ou tinha) tudo para ser o grande nome da natação em Tóquio, fez "somente" 47s39 na seletiva norte-americana.

No Europeu Júnior, o romeno fez resultado melhor do que Dressel (47s39) na seletiva americana, Kliment Kolesnikov (47s31) na seletiva russa, Chalmers (47s59) na seletiva australiana e o italiano Alessandro Miressi (47s45) no Europeu Adulto.

E a evolução em tão pouco tempo levanta desde já a dúvida de quão longe Popovici pode chegar até o próximo dia 29, quando será disputada a final olímpica dos 100 metros. Depois de melhorar um segundo seu tempo entre 2020 e maio, e mais 78 centésimos entre maio e ontem (8), ele está a apenas 39 centésimos do recorde mundial de Cesar Cielo.

Hoje, por enquanto, o romeno de Bucareste é o décimo melhor de todos os tempos. A lista é puxada por Cesar Cielo (46s91) e Alain Bernard (46s94), que registraram esses tempos com os trajes tecnológicos posteriormente proibidos na natação.

Errata: o texto foi atualizado
Diferente do que foi informado, o romeno melhorou seu tempo em um segundo entre 2020 e maio, e não 2010. O erro foi corrigido.