PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Como demora na venda do Chelsea pode tirar equipe da próxima Premier League

Pulisic celebra gol marcado pelo Chelsea na partida contra o Leeds, válida pelo Campeonato Inglês - Lee Smith/Reuters
Pulisic celebra gol marcado pelo Chelsea na partida contra o Leeds, válida pelo Campeonato Inglês Imagem: Lee Smith/Reuters

ANSA

24/05/2022 11h17

LONDRES, 24 MAI (ANSA) - O Chelsea ainda corre o risco de não jogar a próxima edição da Premier League se a mudança de proprietário demorar para ser concretizada oficialmente, segundo fontes do governo britânico.

As autoridades locais aprovaram recentemente a compra dos Blues por um consórcio norte-americano liderado por Todd Boehly. No entanto, fontes governamentais afirmam que ainda restam enormes obstáculos para que a aquisição se torne oficial.

O governo do Reino Unido entrou em conflito com Roman Abramovich sobre os termos da venda, colocando em dúvida as perspectivas de um acordo rápido.

Outro fator foi que Todd Boehly exigiu uma aprovação especial do governo britânico para adquirir os Blues — já que Abramovich está sancionado e o clube está operando sob uma licença especial.

Além disso, os ministros brtiânicos querem a certeza de que cada centavo da venda seja destinado para boas causas.

De acordo com o jornal "Financial Times", um grupo de emissários do governo britânico está em contato direto com colegas em Lisboa, além de membros da Comissão Europeia para agilizar as operações e evitar a exclusão do Chelsea.

O oligarca russo também tem passaporte português, tanto que é necessária receber uma autorização do país ibérico para finalizar a venda do clube londrino.

"É um importante prazo para o Chelsea. As autoridades portuguesas vão se expressar, mas se algo não mudar de repente, não estarei muito otimista", disse uma fonte do governo londrino ao periódico.

O Chelsea fechou a temporada de 2021/22 do Campeonato Inglês na terceira posição, com 74 pontos, mas bem atrás do campeão Manchester City (93) e do vice Liverpool (92).

Futebol