UOL Esporte Natação
 
05/11/2008 - 08h10

Mãe de Cielo assume carreira do filho para garantir aposentadoria do nadador

Bruno Império
Em São Paulo
Uma agenda lotada de eventos - na maioria das vezes sem qualquer ligação com o esporte - tomou conta da vida de César Cielo após a medalha de ouro nos 50 m dos Jogos Olímpicos de Pequim. O ritmo frenético irritou o campeão e, para acabar com o acúmulo de compromissos em que o Cielo se envolveu, Flávia Cielo, mãe do nadador, decidiu tomar as rédeas de sua carreira. Flávia dispensou os serviços do Fernando Scherer, o Xuxa, que agenciava Cielo, e assumiu a função de empresária do atleta. Agora, ela espera fazer o filho enriquecer antes de sua carreira como esportista acabar.

MAIÔ DO OURO NA LEMBRANÇA?
Flávio Florido
Após conquistar o ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim vestindo o revolucionário LZR, o brasileiro deve trocar de patrocinador. Mãe de César, Flávia Cielo disse ao UOL Esporte que negocia com diferentes fabricantes que usariam o filho da mesma maneira que a Speedo usa o fenômeno Michael Phelps, projetando trajes específicos para Cielo.
LEIA MAIS
ÍNDICE DE NOTÍCIAS DE NATAÇÃO
"Esse é o momento ideal para ele [Cielo] ganhar dinheiro. Ele vai trabalhar com natação por pelo menos mais duas Olimpíadas e eu quero o apoio de quem quiser vir com ele neste percurso. Afinal, quando a carreira dele acabar, ele vai precisar de uma base para o resto da vida. O César é um produto muito bom para oferecer para o mercado neste momento. As grandes companhias querem associar suas marcas a alguém vencedor como ele", afirmou Flávia.

A mãe de Cielo nunca atuou como empresária. Professora universitária, Flávia decidiu pedir afastamento do trabalho para poder se dedicar apenas à carreira do filho. Seguiu somente dando orientação a alunos que já estão em fase de conclusão de curso.

Segundo ela, era justamente essa dedicação integral a Cielo que Xuxa não podia oferecer. "Ele [Xuxa] deixou isso muito claro para nós. Então decidimos romper. Mas nossa relação continua excelente. Assim como a relação entre ele e o Cesão. E o Cesão precisava de alguém que trabalhasse exclusivamente com ele", fez questão de dizer.

Mesmo novata, Flávia garante que já se adaptou ao mercado. Ela, inclusive, já faz um planejamento para poder casar a rotina de treinos de Cielo, que seguirá para os Estados Unidos em 2009, e os compromissos com patrocinadores. A empresária também quer garantir tranqüilidade para o filho durante o próximo ciclo olímpico. Assim, tem dado mais atenção para propostas de contrato mais longas e dispensado acordos de curto prazo.

"Quero que ele tenha tranqüilidade para trabalhar. Então, estou dosando as renovações contratuais e os futuros contratos para que ele não tenha uma agenda muito cheia. Quero que ele passe o primeiro semestre mais focado nos treinos nos Estados Unidos e venha para cá para disputar as provas nacionais de natação no segundo semestre. Só aí, então, ele atenderia aos patrocinadores. Estou fazendo algo bem dosado", afirmou.

Flávia já acertou com duas agências, uma na Itália e outra nos Estados Unidos, para garantir novos contratos para Cielo. No Brasil, o nadador seguirá apoiado pelo Esporte Clube Pinheiros, onde treina atualmente, e também continuará recebendo verba dos Correios, que é repassada pela Confederação Brasileira de Desportes Aquáticos(CBDA).

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host