UOL Esporte Natação
 
26/08/2010 - 12h07

Longe do adeus à piscina, Cielo já investe em galeteria e 'agencia' novatos

Roberta Nomura
Em São Paulo

Aos 23 anos, Cesar Cielo ostenta em seu currículo o ouro olímpico nos 50 m livre e os títulos mundiais nos 50 m e 100 m livre, além de ser recordista mundial das duas provas. E o atleta já aproveita os frutos colhidos no esporte para investir em outros ramos. Mesmo distante da aposentadoria nas piscinas, o paulista iniciou sociedade em uma galeteria e ‘agencia’ novatos.

CIELO CRITICA PISCINA E FLA ACIONA COB PARA ASTRO TREINAR NO MARIA LENK

  • Local/Divulgação

    Cesar Cielo permanecerá no Brasil neste segundo semestre. Embora tenha criticado a piscina do Flamengo e a estrutura da natação no país, o campeão olímpico e mundial se rendeu e treinará no Rio de Janeiro. Com a presença de sua principal estrela, o clube da Gávea acionou o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) para viabilizar o Parque Aquático Maria Lenk ao astro.
     

Cielo uniu a natação e o restaurante em que é sócio em entrevista coletiva de imprensa na quarta-feira. O atleta recebeu a imprensa para falar de seu desempenho no Pan-Pacífico no “Original da Granja”, galeteria na zona sul de São Paulo em que detém 25% de participação.

“O Robertão, um dos proprietários, nadou com o Cesão. Eles moraram juntos por um ano em Auburn, nos Estados Unidos. Daí ele entrou em sociedade com o Robertão e duas irmãs dele”, contou a mãe Flávia Cielo ao UOL Esporte.

Cielo revelou que já pensa em se aventurar em novos ramos, mas ainda não fechou mais nenhuma sociedade. “A carreira de nadador não vai durar para sempre. Hoje, que estou ganhando um dinheiro a mais, tenho a possibilidade de investir”, afirmou o nadador. “Penso no meu futuro. Não comprei uma lamborghini... ainda”, brincou, sobre a meta de seus investimentos.

O campeão olímpico e mundial ainda encontra tempo para ajudar novatos na natação com a Cielo Sports Agenciamento de Atletas. Com a rotina de treinos, o atleta de 23 anos deixa a empresa aos cuidados da mãe e empresária. Entre os nadadores incluídos na lista estão Nicholas Santos, Leonardo de Deus, Bruno Fratus e Henrique Barbosa, entre outros.

“Para as coisas não caírem no colo deles como aconteceu com o Cesão, montamos essa agência que inclui assistência jurídica, assessoria de imprensa, agenciamento para captação de patrocínio e eventos”, explicou Flávia Cielo. “Consegui bastante coisa. O Nicholas, Henrique e Mangabeira vão fazer comercial do Avanço [desodorante]”, comemorou.

Nas piscinas, Cielo também pretende expandir os ‘negócios’. Após o ouro nos 50 m borboleta no Pan-Pacífico, o velocista quer incluir o estilo em seu treinamento. A prova, que não faz parte do calendário olímpico, não mudará a base da prática do nadador, mas pode alterar as prioridades de Cielo dentro de uma competição em relação ao revezamento.

“Tem que ver se vai pesar ou não. Vou conversar direito porque é uma prova que potencialmente posso ganhar medalha. No Pan-Pacífico, por exemplo, decidi abdicar do 4x100 livre, porque sabia que não tínhamos chances de medalha. Mas se for como em Roma, quando ficamos em quarto e éramos um dos favoritos, eu trocaria para nadar com os meus colegas brasileiros”, disse.

Os negócios fora do esporte e a possível inclusão dos 50 m borboleta não mudam o foco de Cielo em suas especialidades, os 50 m e 100 m livre. Distante da aposentadoria – o velocista russo Alexander Popov, por exemplo, deixou as piscinas somente com 33 anos e quatro títulos olímpicos -, o nadador concilia as funções.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host