PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Traficante que tentou se passar por Conor McGregor é preso e condenado

Mark Nye, traficante de drogas e sósia de McGregor; e Conor McGregor, lutador de MMA - Divulgação / Surrey Police / Miami Beach Police
Mark Nye, traficante de drogas e sósia de McGregor; e Conor McGregor, lutador de MMA Imagem: Divulgação / Surrey Police / Miami Beach Police

Do UOL, em São Paulo

26/04/2021 16h32Atualizada em 26/04/2021 16h32

Um homem de 34 anos foi preso em Stanwell, no condado de Surrey (Inglaterra) por tráfico de drogas. O curioso é que, durante a abordagem, Mark Nye tentou se passar pelo lutador de MMA Conor McGregor para se livrar de um pacote de drogas e dois celulares.

Dentro de seu carro os policiais encontraram diversos cartões de visita "McGregor Enterprise" que prometiam "as melhores gotas de Surrey". O caso aconteceu em fevereiro deste ano, mas só ganhou repercussão recentemente, após condenação de três anos de prisão de Nye.

Cartão de visitas traficante - Divulgação / Surrey Police - Divulgação / Surrey Police
Cartão de visitas utilizado pelo traficante que se passava por Mc Gregor para divulgar seus negócios ilegais
Imagem: Divulgação / Surrey Police

O traficante parecia querer aproveitar ao máximo a leve semelhança com o ícone do UFC, utilizando o mesmo estilo de cabelo, penteado e barba para parecer ainda mais com Conor McGregor.

De acordo com o Irish Post, após ser preso, os policiais encontraram uma grande quantidade de ácido bórico na casa do traficante. A substância química costuma ser usada por traficantes para "aumentar o efeito de narcóticos".

Uma análise aprofundada nos telefones de Nye revelou mais evidências de comportamentos ilegais, com centenas de mensagens de texto detalhando sua atividade no tráfico de drogas.

Em 9 de abril, Nye foi acusado e condenado a três anos de prisão pelo Guildford Crown Court (Tribunal da Coroa de Guildford).

McGregor de "verdade" nunca ficou preso

Apesar do verdadeiro McGregor ter seus próprios problemas com a lei, ele nunca ficou atrás das grades com condenações, livrando-se de acusações.

Em 2019, após ser acusado formalmente por um ataque de fúria a um ônibus do UFC em abril de 2018, Conor McGregor teve que fazer cinco dias de trabalho voluntário e também fez um curso para controle de raiva. O trabalho voluntário aconteceu em duas igrejas nos EUA.

MMA