PUBLICIDADE
Topo

MMA


Emoção, desabafo e R$ 250 mil: Werdum tinha que se despedir com carro-chefe

Fabrício Werdum comemora vitória no UFC; luta pode ser a última na organização - Getty Images
Fabrício Werdum comemora vitória no UFC; luta pode ser a última na organização Imagem: Getty Images

José Ricardo Leite

Do UOL, em São Paulo (SP)

26/07/2020 10h29

"Estou quase chorando agora; como é bom ganhar". Essa foi apenas uma das frases de Fabrício Werdum em êxtase após a impactante vitória sobre Alexander Gustafsson no UFC "Ilha da Luta", em Abu Dabi, ao aplicar uma finalização, seu carro-chefe, em uma chave-de-braço com maestria na última luta de seu contrato com a maior organização de MMA. De quebra, ainda levou R$ 250 mil como prêmio por performance da noite.

Werdum estava muito emocionado após o combate, de certa forma até incomum, e interrompeu a entrevista final com olhos marejados para fazer vários agradecimentos. Mas motivos não faltaram: somadas as duas derrotas seguidas que tinha acumulado, com os dois anos de suspensão por doping, o ex-campeão dos pesados ficou quase 3 anos sem vencer; algo muito incomum na sua carreira. E ele não queria, de jeito nenhum, em uma luta cujo futuro é incerto a partir de agora, ter mais um revés.

E a luta deste sábado foi contra um rival de categoria; Gustafsson, apesar de nunca ter sido campeão, já disputou por três vezes o cinturão dos meio-pesados e só não teve a honra de vestir a cinta por ter parado duas vezes, em nada mais nada menos do que Jon Jones, e outra em Daniel Cormier --e uma das lutas contra Jones, em uma performance histórica.

Pela trajetória que teve no UFC, seria injusto eventualmente deixar a organização com três derrotas seguidas após fazer história nos pesados há alguns anos, em um momento que poucos acreditavam que alguém conseguiria parar o americano Cain Velasquez. Agora, o lutador gaúcho carrega uma dose a mais de confiança e prestígio para negociar com outras organizações e deixar a competição na qual foi campeão pela "porta da frente" caso não haja uma renovação de contrato.

Ao contrário de sua última luta, contra Oleksiy Oliynyk, Werdum conseguiu rapidamente impor o seu jogo e aplicar a queda para usar o jiu-jitsu. Após parecer que o sueco conseguiria se desvencilhar, o brasileiro foi insistente para cinturar e não deixar escapá-lo. A partir dali foi só acompanhar a agonia do duro lutador sueco enquanto tentava, em vão, se movimentar da finalização que cada vez mais se aproximava de acontecer.

Werdum parecia mais leve e rápido em comparação com seu último combate, para conseguir sua 12ª finalização na carreira. "Essa era a estratégia da luta mesmo; foi muito importante essa vitória; fazia tempo que eu não ganhava. Eu estou quase chorando agora", desabafou, após o final do combate.

Agora, o lutador de 42 anos vai pensar o que fazer. Antes do combate, disse que seria sua última luta no UFC e não deu pistas sobre o futuro. Seja lá o que vier pela frente, renovação, nova organização ou uma improvável aposentadoria, o gaúcho vai com moral elevado pela convincente vitória e imagem na última luta: o carro-chefe da finalização perfeita, e, de quebra, com prêmio de finalização da noite.

Confira os resultados do UFC 'Ilha da Luta' (25 de julho):

Fabrício Werdum venceu Alexander Gustafsson por finalização;
Carla Esparza venceu Marina Rodriguez por decisão dividida;
Paul Craig venceu Gadzhimurad Antigulov por finalização;
Alex 'Cowboy' venceu Peter Sobotta por decisão unânime;
Khamzat Chimaev venceu Rhys McKee por nocaute técnico;
Francisco 'Massaranduba' venceu Jai Herbert por nocaute técnico;
Jesse Ronson venceu Nicolas Dalby por finalização;
Tom Aspinall venceu Jake Collier por nocaute técnico;
Movsar Evloev venceu Mike Grundy por decisão unânime;
Tanner Boser venceu Raphael 'Bebezão' por nocaute técnico;
Pannie Kianzad venceu Bethe Correia por decisão unânime;
Ramazan Emeev venceu Niklas Stolze por decisão unânime;
Nathaniel Wood venceu John Castañeda por decisão unânime.

MMA