PUBLICIDADE
Topo

MMA


Diagnosticado com Covid-19, Gilbert Durinho dizia ter medo de pegar o vírus

Jeff Bottari/Zuffa LLC
Imagem: Jeff Bottari/Zuffa LLC

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

04/07/2020 10h00

O anúncio de que Gilbert Durinho foi diagnosticado com Covid-19 era um temor que o próprio brasileiro tinha nas semanas que antecediam o UFC 251. Por causa da doença, ele foi retirado do card e não enfrentará mais Kamaru Usman pelo cinturão dos meio-médios da organização.

Em entrevista ao UOL Esporte no início desta semana, enquanto se preparava para viajar para Las Vegas (EUA), Durinho afirmou ter feito o teste de Covid-19 oito vezes durante a preparação.

"Eu tive medo de pegar o Covid-19 no começo. Cheguei a ser testado sete ou oito vezes. Mas fomos tomando todos os cuidados durante a preparação: usando máscara, higienizando os equipamentos", explicou.

Ainda assim, o brasileiro temia a possibilidade de contrair a doença tão próximo da luta mais importante de sua carreira. "Lógico que tenho medo, mas tenho que tomar o máximo de cuidado que está ao meu controle", completou.

A preparação do UFC para o evento que acontecerá na "Ilha da Luta", em Abu Dhabi, para os lutadores residentes nos Estados Unidos contava com uma parada em Las Vegas para a realização de exames de Covid-19. Foi lá que Durinho foi diagnosticado com a doença. Depois de dois dias em quarentena, os atletas viajarão para os Emirados Árabes Unidos.

O UFC ainda não anunciou se Kamaru Usman terá outro adversário ou será retirado do card do UFC 251. O evento contará, ainda, com outras duas lutas valendo cinturões: Alexander Volkanovski contra Max Holloway, pelo título dos penas, e Petr Yan contra José Aldo, pelo dos galos.

O card principal do UFC 251 está marcado para começar às 23h (de Brasília) do próximo sábado, 11 de julho.

MMA