PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Dana se decepciona com novo doping de Jones: "Sabem o que fizemos por ele"

Jon Jones comemora vitória sobre Daniel Cormier no UFC 214 - Hans Gutknecht/AP
Jon Jones comemora vitória sobre Daniel Cormier no UFC 214 Imagem: Hans Gutknecht/AP

Jorge Corrêa

Do UOL, em Las Vegas (EUA)

22/08/2017 23h44

O presidente do UFC, Dana White, se disse arrasado com a notícia de que Jon Jones testou positivo para anabolizantes no UFC 214, no qual ele recuperou o cinturão dos meio-pesados ao nocautear Daniel Cormier, em 29 de julho. O dirigente afirmou que o lutador tinha um futuro brilhante após voltar de uma longa ausência, motivada por outro caso de doping e problemas pessoais.

"Foi brutal para mim, inacreditável. Estou certo de que ele também se sentiu assim. Isso nunca vem em um momento bom. Para mim, ele é o melhor de todos. Mas se pegar três ou quatro anos (de suspensão), pode ser o fim de sua carreira. Voltar aos 34 seria difícil. É triste", disse Dana em coletiva de imprensa em Las Vegas.

"Temos que esperar a comissão atlética e a Usada (agência antidoping dos Estados Unidios) falarem. Ainda não tirei o cinturão dele e dei para o Cormier, vamos esperar. Jones tinha tudo pra dominar os pesados, agora já era. Se tudo terminar assim, Cormier deve ser o campeão. Ele só perdeu para o Jon Jones na carreira", completou.

Dana afirmou ainda que a próxima luta de Jones provavelmente seria pelo cinturão dos pesos pesados, contra o atual campeão Stipe Miocic. "Todo mundo sabe o que fizemos por esse rapaz. É triste", disse o cartola.

O chefe do antidoping do UFC, Jeff Nowitzki, também falou sobre a situação de Jones. "No tempo certo, vamos falar sobre os próximos passos sobre o caso. No geral, em outros casos, deve ser levado em consideração o fato de o atleta ser reincidente (Jones já testou positivo para esteroides em 2016 e para um metabólito da cocaína em 2015)".

"Estamos com uma política antidoping dura com a USADA. Se for confirmado (pela contraprova), sua pena pode ser dobrada, provavelmente para quatro anos. Sua equipe ainda pode entrar com recursos para tentar diminuir a pena. Mas não dá para saber ainda quanto tempo esse processo vai demorar", completou.

MMA