PUBLICIDADE
Topo

Esporte

USA Gymnastics diz ter colaborado com FBI em investigação sobre abusos

Médico Larry Nassar é acusado de abusar sexualmente de dezenas de ginastas - Becky Shink/Lansing State Journal/AP
Médico Larry Nassar é acusado de abusar sexualmente de dezenas de ginastas Imagem: Becky Shink/Lansing State Journal/AP

Do UOL, em São Paulo

17/02/2017 13h25

Envolvida em um escândalo de abuso sexual, a USA Gymnastics, federação norte-americana de ginástica, teria colaborado na investigação do FBI sobre o médico Larry Nassar de acordo com uma linha do tempo divulgada pela entidade na última quinta-feira (16).

Segundo o jornal “Washington Post”, a federação recebeu uma denúncia de que o médico estaria cometendo abusos em 17 de junho de 2015 por meio da mãe de uma atleta. Ela falou com o CEO Steve Penny, que contratou um investigador particular para cuidar do caso. Cinco semanas depois, no dia 24 de julho, o profissional recomendou que a entidade contatasse agentes legais.

Um encontro com do investigador ao lado de Penny, do vice-presidente Paul Parilla e de advogados da organização com o FBI foi realizado no dia 28 de julho. No dia seguinte, Nassar foi dispensado de suas responsabilidades na federação.

“Durante a investigação do FBI, a USA Gymnastics cooperou inteiramente, facilitando entrevistas e aderindo ao pedido do FBI de não tomar nenhuma ação que interferisse com a investigação do departamento. Mantendo atletas seguros requer vigilância constante de todos – técnicos, atletas, familiares, administradores e funcionários – e há mais trabalho a ser feito. Estamos determinados a fortalecer os padrões pelo esporte”, diz parte do comunicado divulgado pela entidade.

Parilla teria contatado o FBI em abril de 2016, preocupados com a falta de atualizações a respeito do caso. No mês seguinte, os dois dirigentes da federação se encontraram novamente com o FBI. As acusações vieram a público três meses depois.

A história contada, no entanto, foi questionada pelo advogado John Manly, que representa mais de três dezenas de ginastas que dizem ter sofrido abusos. Para ele, a demora de seis semanas entre a acusação ouvida pela federação e o aviso às autoridades é inconsistente com um posicionamento prévio da entidade. Em setembro, a USA Gymnastics afirmou que informou o FBI imediatamente após ter ouvido as denúncias de ginastas.

Esporte