Topo

Esporte


Brasil Kirin aposta no futsal e tenta montar supertime para liga nacional

Vander Iacovino (e) será técnico do Brasil Kirin Futsal, time sediado em Sorocaba - Manolo Quiroz/CBFS
Vander Iacovino (e) será técnico do Brasil Kirin Futsal, time sediado em Sorocaba Imagem: Manolo Quiroz/CBFS

Guilherme Costa

Do UOL, em São Paulo

07/11/2013 05h59

A Brasil Kirin, dona de marcas Schin e Devassa, vai investir no futsal. A companhia será a principal patrocinadora da Associação Desportiva Brasil Futuro, uma das novidades confirmadas para a edição 2014 da liga nacional da modalidade. Com o aporte, a diretoria já começou a buscar reforços e flerta com um supertime para o próximo ano.

O Brasil Kirin Futsal será baseado em Sorocaba, no interior de São Paulo, e a comissão técnica terá Vander Iacovino, Reinaldo Simões, Carlos Bracalli e Douglas Pierrotti, todos com passagem pela seleção brasileira. Ao menos quatro jogadores que também já defenderam a equipe nacional estão contratados, mas os nomes serão mantidos em sigilo até o término da edição 2013 da Liga Futsal.

Na edição 2013, Intelli/Orlândia e Concórdia/Umbro/Passarela disputarão o título em dois jogos, nos dias 11 e 17 de novembro.

Antes do término da competição, porém, o comitê executivo divulgou os nomes das 20 equipes que disputarão a edição seguinte – uma a mais do que em 2013. As novidades serão o Brasil Kirin Futsal e o retorno da Cortiana, franquia que foi campeã em 2011 com a marca do Santos e que ainda não divulgou o nome que usará no próximo ano.

Além da Brasil Kirin, que será a única patrocinadora, o time de Sorocaba fechou um acordo com a Umbro, fornecedora de material esportivo, e com a TFW, agência de marketing esportivo que vai gerir o projeto. Os valores envolvidos nos negócios não foram revelados.

A entrada da Brasil Kirin no futsal é um incremento da política esportiva da empresa. Com 10 mil funcionários, a companhia encerrou o ano-fiscal 2011 com um faturamento de R$ 6,1 bilhões.

A Brasil Kirin é um produto de uma negociação envolvendo a Schincariol, que foi comprada em 2012 pela japonesa Kirin. A empresa brasileira, que havia fechado 2011 com um prejuízo de R$ 70 milhões, estima ter amealhado um lucro líquido de R$ 300 milhões no ano seguinte.

Entre 2013 e 2014, a Brasil Kirin vai investir R$ 1 bilhão no Brasil. O plano incluirá reformulação do portfólio da companhia e incremento de pelo menos 50% no número de pontos de venda.

O esporte é uma das principais plataformas escolhidas pelo grupo para divulgar isso. A Brasil Kirin já patrocina um time de vôlei em Campinas, também no interior de São Paulo, e usa marcas para patrocinar modalidades como MMA (artes marciais mistas) e corridas de rua.

Mais Esporte