! Santos condena ansiedade no empate com o Bragantino - 14/04/2007 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  14/04/2007 - 21h05
Santos condena ansiedade no empate com o Bragantino

Da Redação
Em São Paulo

O treinador Vanderlei Luxemburgo disse, em tom de alerta, que o Santos iniciou uma nova competição neste sábado. A liderança com folga e o ataque mais positivo da primeira fase do Campeonato Paulista deram lugar a um confronto equilibrado e um empate sem gols com o Bragantino, no Pacaembu. A explicação para essa mudança, segundo o comandante e os atletas da equipe alvinegra, é a ansiedade.

"Em certo momento do jogo, tive a impressão de que o Santos é que precisava da vitória. Nós encontramos um Bragantino totalmente fechado, mas erramos muito e até permitimos contra-golpes. Fomos afobados demais", avaliou o técnico Vanderlei Luxemburgo, citando a vantagem que o time da Vila Belmiro tem de jogar por dois resultados iguais em função de ter feito campanha melhor na primeira fase.

O meia Zé Roberto endossou as palavras do comandante e lembrou que o Santos teve a chance de sair mais tranqüilo do Pacaembu. "O Bragantino marcou com muita qualidade e de forma consistente, mas nós até conseguimos tocar a bola. Só faltou paciência. Erramos muito e isso não pode se repetir no próximo jogo", contou o camisa 10.

A falta de tranqüilidade do Santos neste sábado ficou ainda mais evidente depois dos 17min do segundo tempo, quando o zagueiro Luís Henrique foi expulso e deixou o Bragantino com um homem a menos. Mesmo com a superioridade numérica, o time do litoral não conseguiu furar o bloqueio defensivo do rival do interior.

"A situação podia ter sido mais fácil para a gente, mas o Santos errou muito. Faltou atenção e acho que a gente entrou em campo ansioso demais. A gente acabou saindo demais para o ataque e deu espaço para o Bragantino acertar contra-golpes", analisou o meio-campista Cléber Santana.

Além de não ter conseguido criar oportunidades para marcar, a ansiedade do Santos ficou evidente em seu setor defensivo. O time alvinegro começou a atacar de forma desordenada e chegou a oferecer espaços para o Bragantino, que teve chances de sair do Pacaembu com um triunfo.

"Nós nos desesperamos de uma forma até infantil. Não tivemos tranqüilidade para atacar e acabamos saindo de forma desordenada. Com isso, a coisa quase estourou lá atrás. Nós erramos em lances bobos e o Bragantino quase marcou. Por isso é que nós saímos satisfeitos. Dos males, o menor", ponderou o goleiro Fábio Costa, capitão do Santos.

A justificativa do treinador Vanderlei Luxemburgo para a falta de tranqüilidade do Santos neste sábado foi o início de uma nova fase para a equipe alvinegra. Diferentemente dos anos passados, o Campeonato Paulista desta temporada não se encerrou na fase de pontos corridos e classificou quatro times para um mata-mata.

"Precisamos entender que o Campeonato Paulista é diferente a partir de agora. As equipes se abrem mais numa competição de pontos corridos, quando duas vitórias valem mais do que cinco empates. No mata-mata é diferente. O Bragantino ficou mais fechado e nós não soubemos ter paciência para encontrar espaços. Isso precisa mudar", advertiu o comandante santista.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias