! No último jogo com portões fechados, Grêmio bate o Cruzeiro - 30/08/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  30/08/2006 - 21h23
No último jogo com portões fechados, Grêmio bate o Cruzeiro

Do Pelé.Net
Em Porto Alegre

O Grêmio derrotou o Cruzeiro por 2x1, na noite desta quarta-feira, no Centenário, em Caxias do Sul, na abertura da segunda rodada do returno do Campeonato Brasileiro. A partida foi realizada na Serra gaúcha, num estádio vazio, com portões fechados, porque era a terceira e última da série que o Tricolor teve de cumprir como punição imposta pelo STJD com perda do mando de campo devido aos tumultos causados por sua torcida no Gre-Nal do dia 30 de julho, no Beira-Rio.

PÉS NO CHÃO
O treinador Mano Menezes manteve sua postura cautelosa e humilde mesmo após mais uma vitória do time do Grêmio. Ao fazer 2 a 1 no Cruzeiro, na noite desta quarta-feira, a equipe se manteve na 3ª colocação do Campeonato Brasileiro mas, segundo o técnico, ainda é cedo para pensar no título nacional.
LEIA MAIS
GOLS DE GRÊMIO X CRUZEIRO
A vitória manteve o clube gaúcho em ascensão, entre os três primeiros da tabela, agora com 35 pontos, apenas três a menos que o líder da competição, o São Paulo, que só joga amanhã, em casa, contra o Fortaleza.

O Cruzeiro, por sua vez, que já esteve até na liderança do Brasileirão, estacionou nos 30 pontos e, como consolo, permanece na faixa da tabela que levará à Copa Sul-Americana 2007.

Na próxima rodada as duas equipes jogarão em casa. O Tricolor gaúcho, após cumprir a pena imposta pelo Tribunal, voltará ao convívio de sua torcida e enfrentará o Paraná, domingo, no Olímpico. Já a Raposa receberá o Figueirense, sábado, no Mineirão.

O jogo
O Cruzeiro foi mais ambicioso no começo do jogo, tomou a iniciativa e passou a atacar preferencialmente pela ponta direita. Foi daquele setor que aos 5min Élson cobrou falta e obrigou o goleiro gremista Marcelo Grohe a uma defesa difícil.

O Tricolor gaúcho, numa postura surpreendente, pois sempre que atuara como mandante era agressivo, dessa vez optava pelo contra-ataque na busca de sua terceira vitória consecutiva. Mas avançava sempre pelo meio e não conseguia a penetração na área do time mineiro, embora conseguisse assim algumas oportunidades em faltas frontais.

Numa delas, aos 20min, Tcheco bateu bem, mas a bola acertou a barreira e saiu à direita da meta de Fábio. E o jogo seguia num ritmo lento, sem chances claras para nenhum dos lados, tecnicamente ruim.

O péssimo estado do gramado do estádio Centenário contribuía para que as jogadas não se desenvolvessem com qualidade, mas o Cruzeiro seguia melhor adaptado a ele.

QUINTA CONSECUTIVA
Com a derrota para o Grêmio, por 2 x 1, nesta quarta-feira, em Caxias do Sul, o Cruzeiro completou cinco jogos, ou dois meses e 27 dias, sem vencer fora de casa. A última vez que o time celeste conquistou uma vitória como visitante ocorreu ainda pela 10ª rodada do Brasileiro, sobre o Fortaleza, por 2 a 0.
LEIA MAIS
Aos 33 o treinador gremista Mano Menezes foi obrigado a uma primeira troca. O meia Léo Lima sentiu lesão e teve de ser substituído pelo volante Nunes, com o quê o time, teoricamente, se reforçaria na marcação. Mas na seqüência, ao 35, foi o Cruzeiro que quase marcou, num cruzamento de Sandro da esquerda. A zaga gremista tentou aliviar e quase saiu gol contra.

A melhor oportunidade da primeira etapa ocorreu aos 40, a favor da equipe mineira. Após jogada pela direita, a bola sobrou para Élber que, na pequena área, virou e bateu em cima de Marcelo Grohe.

No intervalo, Mano admitiu que "o jogo está ruim e teremos de melhorar no segundo tempo, pois está muito difícil chegar lá na frente".

O Grêmio, em uma jogada de Hugo pela direita, que resultou em chute rasteiro que obrigou Fábio a jogar-se ao solo e defender, passou a impressão de que seria mais ofensivo na segunda etapa. E isso se confirmou aos 5, quando Tcheco acertou uma bomba de fora da área, acertando o canto direito da meta de Fábio, abrindo o marcador.

O lógico seria o Cruzeiro ir para cima em busca da reação, mas foi o time gaúcho quem continuou superior e, aos 12, num cruzamento de Tcheco, Ramón cabeceou no canto direito, quase ampliando, mas a bola raspou o poste e saiu para a linha de fundo.

O empate veio aos 17. Sandro levantou da esquerda e Élber, até então com atuação apagada, desviou de cabeça e acertou o canto superior esquerdo de Marcelo. Mas a alegria durou muito pouco, apenas um minuto, pois aos 18, numa cobrança de escanteio da ponta direita, Ramón, também de cabeça, mandou para a meta e Fábio falhou, sofrendo um "frango", ao deixar a bola escapar das mãos e cruzar a linha, sob seu corpo.

Oswaldo de Oliveira decidiu se arriscar, em busca de nova igualdade, e tirou o zagueiro Luizão, mandando Kerlon para o gramado. Entretanto o Tricolor seguia melhor e, aos 29, quase matou a partida, num contra-ataque no qual Rômulo ficou cara-a-cara com Fábio e, dessa vez, o goleiro fez ótima defesa, se redimindo da falha anterior.

Aos 39 Diego - que substituíra Élber - fez boa jogada pela direita e cruzou para Kerlon, que bateu na rede, mas pelo lado de fora. E foi só. O Cruzeiro não revelou nenhum poder de reação nos instantes finais e viu se confirmar uma derrota que ao menos temporariamente o afasta da briga pelas primeiras posições da tabela.

GRÊMIO 2x1 CRUZEIRO

Grêmio
Marcelo Grohe; Patrício, Maidana, Evaldo e Wellington; Jeovânio, Tcheco, Léo Lima (Nunes), Ramón (Herrera) e Hugo; Rômulo (Rafinha)
Técnico: Mano Menezes

Cruzeiro
Fábio; Luizão (Kerlon), Gladstone e Teco; Michel, Élson, Leandro Bomfim, Wagner (Carlinhos Bala) e Sandro; Geovanni e Élber (Diego)
Técnico: Oswaldo de Oliveira

Data: 30/8/2006 (quarta-feira)
Local: Estádio Centenário, em Caxias do Sul (RS)
Árbitro: Luis Antônio Silva Santos (RJ)
Auxiliares: Aristeu Leonardo Tavares (RJ/FIFA) e Marcos Tadeu Peniche Nunes (RJ)
Cartões amarelos: Jeovânio (Grêmio); Diego (Cruzeiro)
Gols: Tcheco (aos 5min), Élber (aos 17) e Ramón (aos 18min do 2º tempo)

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias