! Inter bate Libertad e faz final da Libertadores contra o São Paulo - 03/08/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  03/08/2006 - 23h46
Inter bate Libertad e faz final da Libertadores contra o São Paulo

Do Pelé.Net
Em Porto Alegre

O Internacional, após 26 anos de espera, está outra vez numa decisão da Libertadores da América. O representante brasileiro fez 2x0 no Libertad, do Paraguai, na noite desta quinta-feira, garantindo presença na final, contra o São Paulo. Na primeira partida das semifinais, em Assunção, havia ocorrido um empate em 0x0.

AFP
Alex dá pirueta para comemorar seu gol, o primeiro na vitória do Internacional
Na única vez que chegou na etapa final da mais importante competição sul-americana, em 1980, o Colorado gaúcho acabou perdendo para o Nacional, do Uruguai, por 1x0, após ter empatado em casa, 0x0, o primeiro confronto. Naquela temporada distante o time tinha craques como Mauro Galvão, Falcão, Batista e Mário Sérgio na equipe, e ainda assim não chegou ao título, que agora buscará com novos ídolos, tais como Fabiano Eller, Jorge Wagner, Rafael Sobis e Fernandão.

A vitória desta noite de quinta foi, também, uma vingança do Inter, pois em 1989, há 17 anos portanto, o clube outra vez esteve próximo do título,mas caiu nas semifinais coincidentemente diante de um time do Paraguai, naquele ano o Olímpia. Após vencer o jogo de ida, em Assunção, por 1x0, o Colorado foi derrotado em casa por 3x2 e nos pênaltis a tragédia se confirmou.

O jogo contra o Libertad foi disputado numa noite bastante fria em Porto Alegre, com termômetros próximos dos 10 graus, mas ainda assim a torcida vermelha compareceu em grande número, praticamente lotado o estádio Beira-Rio, que desta vez não foi palco dos tumultos verificados no domingo, durante o clássico Gre-Nal.

A classificação garantiu ao Brasil, antecipadamente, o 13º troféu da Libertadores, já que os dois finalistas são representantes do País.

O jogo
Empurrado por uma torcida excepcionalmente entusiasmada, a ponto de ter emocionado o técnico Abel Braga, o Inter começou a partida tentando meter pressão e empurrar o time paraguaio para dentro de sua grande área. Rafael Sobis, naquele começo, arriscou dois chutes, aos 3 e 5min, mas em ambos o goleiro González defendeu sem maiores dificuldades.

O Libertad não se assustou e nem adotou uma postura exageradamente defensiva. Com coragem, não apenas combatia o ímpeto do time gaúcho, como também saía em arrancadas perigosas, especialmente pelo lado esquerdo de seu ataque, para cima do lateral Ceará.

O Inter tentava impor um fator surpresa e alguns jogadores de função rotineiramente defensiva arriscavam investidas, casos do volante Edinho e do zagueiro Fabiano Eller. Entretanto a marcação paraguaia era forte, competente, e a ineficiência começava a deixar a torcida nervosa.

EMOÇÃO E CHORO
Reuters
O meia Alex foi o melhor jogador em campo na vitória por 2x0 sobre o Libertad, que garantiu o Internacional na decisão da Libertadores da América. Foi, também, o autor do primeiro gol do jogo, e ao deixar o gramado, a um minuto do final, substituído por Perdigão, foi aplaudido de pé pelos torcedores que estavam nas sociais do estádio Beira-Rio e se emocionou.

Chorando ele explicou, à beira do gramado, assim que a partida acabou, o motivo das lágrimas: "Desde que cheguei ao Inter - em 2004 - tive muitas lesões, minha vida aqui sempre foi muito complicada, e fazer esse gol tão importante me trouxe uma felicidade imensa".
Leia mais
O jogo se encaminhou para o final da primeira etapa com uma surpreendente imposição do Libertad, fato admitido no intervalo até mesmo pelos jogadores colorados. "A gente sabia que não poderia ceder contra-ataques, e eles conseguiram isso, mesmo sem criar situações de gol, agora temos de consertar para o segundo tempo", disse o zagueiro Fabiano Eller.

Os dois times voltaram com as mesmas formações e sabendo que a manutenção do 0x0 levaria a decisão para os pênaltis. E a primeira investida, no segundo tempo, foi do Libertad. Após boa jogada pela ponta-esquerda, a bola foi cruzada rasteira e Riveros bateu por cima da meta de Clemer.

Os torcedores sentiram que era o momento de pegar junto com o time e se agitaram nas arquibancadas, com reação imediata do time, pois aos 5min Alex fez ótima investida pelo lado esquerdo da grande área e deu a Sobis, mas esse bateu errado, desperdiçando a oportunidade.

O confronto seguiu equilibrado e num escanteio da esquerda, aos 11, Cáceres subiu mais que os zagueiros e cabeceou com extremo perigo. A bola saiu à esquerda da meta de Clemer. Um susto enorme imposto por um time visitante que se mostrava cada vez mais ousado e mostrava disposição de garantir a vaga nos 90 minutos.

O técnico colorado, Abel Braga, decidiu se arriscar no ataque e aos 16 mandou o centroavante Renteria no lugar do volante Fabinho. Uma medida arriscada. Mas dois minutos depois, antes que o colombiano tocasse na bola, o 1x0 do Inter: Alex arriscou um chute de fora da área e a bola acertou o canto inferior direito de González. Alívio e euforia no Beira-Rio.

Aos 21 esse alívio poderia ter sido definitivo, mas Índio, ao subir sozinho após levantamento da direita, cabeceou forte mas exatamente nas mãos do goleiro. O Inter tomava conta, merecia, e chegou ao 2x0 aos 23, outra vez em chute de fora da área, agora com Fernandão, que acertou o canto esquerdo.

Com tamanha desvantagem os paraguaios perderam a concentração, a objetividade, e o Colorado tomou conta do jogo. Em contra-ataques rápidos, explorando o desespero do inimigo, o time gaúcho ameaçava fazer o terceiro gol a qualquer instante.

Mas não foi preciso. A vitória já estava assegurada, e a decisão da competição, todos já sabem, será em Porto Alegre.

INTERNACIONAL 2x0 LIBERTAD

Internacional
Clemer; Bolívar, Índio (Wellington Monteiro) e Fabiano Eller; Ceará, Edinho, Fabinho (Renteria), Alex (Perdigão) e Jorge Wagner; Fernandão e Rafael Sobis
Técnico: Abel Braga

Libertad
González; Bonet, Sarabia, Balbuena e Hidalgo (Romero); Cáceres, Villarreal (Aquino), Riveros e Guiñazu; López e Gamarra (Samudio)
Técnico: Gerardo Martino

Data: 3/8/2006 (quinta-feira)
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre
Público: 50.548
Renda: R$ 585.715,00
Árbitro: Oscar Ruiz (COL)
Auxiliares: José Navia e Alberto Duarte (COL)
Cartões amarelos: Edinho, Bolívar, Fernandão e Sobis (Inter); López, Riveros e Sarabia (Libertad)
Gols: Alex (aos 18min) e Fernandão (aos 23min do 2º tempo)

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias