! Ronaldinho é bi do melhor do mundo com vantagem de 650 pontos sobre inglês Lampard - 19/12/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  19/12/2005 - 15h00
Ronaldinho é bi do melhor do mundo com vantagem de 650 pontos sobre inglês Lampard

Bruno Freitas
Enviado especial do UOL
Em Zurique (Suíça)

O brasileiro Ronaldinho Gaúcho é, pelo segundo ano seguido, o vencedor do prêmio de melhor jogador do mundo. No triunfo mais certo dos 15 anos de existência da eleição, o astro do Barcelona consegue o feito de ganhar com a maior diferença de pontos da história do pleito.

AFP
Ronaldinho com o seu segundo troféu de melhor jogador do mundo dado pela Fifa
Ronaldinho conquistou o bicampeonato no prêmio da Fifa de melhor do mundo com 956 pontos, 650 à frente do inglês Frank Lampard, segundo colocado. O camaronês Samuel Eto'o, seu companheiro no Barcelona, ficou em terceiro com 190 pontos.

"Não sinto hoje o melhor ou o pior jogador do mundo. Me sinto o mais feliz de todos", disse Ronaldinho. "Volto ao prêmio com muita alegria. Espero ter a oportunidade de disputar em muitos outros anos", completou o craque do Barcelona.

Mais dois brasileiros ficaram entre os 10 primeiros colocados na eleição. Adriano, da Internazionale, foi o quinto colocado, com 176 pontos. Kaká, do Milan, foi o oitavo, com 101. A quarta colocação ficou com o francês Thierry Henry, do Arsenal. Vice nos dois últimos anos, em 2005 Henry somou 172 pontos.

O ucraniano Andriy Shevchenko, companheiro de Kaká no Milan, e o inglês Steven Gerrard, do Liverpool, foram a sexto e sétimo colocados, com 153 e 131 pontos, respectivamente. Completam a lista dos 10 primeiros o veterano italiano Maldini, do Milan, com 76 pontos, e o marfinense Drogba, do Chelsea, com 65 pontos.

Com este placar, o meia-atacante de 25 anos consegue a maior vitória da história do evento em números absolutos, superando o recorde do compatriota Ronaldo, que em 1997 triunfou com 415 pontos de vantagem sobre o segundo colocado, o também brasileiro Roberto Carlos. O atual sistema de pontuação entrou em vigor no ano passado.

A vitória deste ano também é muito mais folgada, por exemplo, do que a conquista de 2004, quando Ronaldinho derrotou o atacante francês Thierry Henry por apenas 68 pontos de diferença.

OS MELHORES DO MUNDO
2005
1.Ronaldinho-956
2. Lampard - 306
3. Eto'o - 190
2004
1.Ronaldinho-620
2. Henry - 552
3. Shevchenko - 252
2003
1. Zidane - 264
2. Henry - 186
3. Ronaldo - 176
2002
1. Ronaldo - 387
2. Khan - 171
3. Zidane - 141
2001
1. Figo - 250
2. Beckham - 238
3. Raúl - 96
2000
1. Zidane - 370
2. Figo - 329
3. Rivaldo - 263
1999
1. Rivaldo - 538
2. Beckham - 194
3. Batistuta - 79
1998
1. Zidane - 518
2. Ronaldo - 164
3. Suker - 108
1997
1. Ronaldo - 480
2. R. Carlos - 65
3.Zidane/Bergkamp-62
1996
1. Ronaldo - 329
2. Weah - 140
3. Shearer - 123
1995
1. Weah - 170
2. Maldini - 80
3. Klinsmann - 58
1994
1. Romário - 346
2. Stoichkov - 100
3. Baggio - 80
1993
1. Baggio - 152
2. Romário - 84
3. Bergkamp - 58
1992
1. Van Basten
2. Stoichkov - 88
3. Haessler - 61
1991
1. Matthaus - 128
2. Papin - 113
3. Lineker - 40
Desfrutando de uma unanimidade há muito tempo esquecida no futebol internacional, Ronaldinho Gaúcho vê seu ano mais vencedor em campo honrado com o bicampeonato no prêmio de melhor do mundo.

Se na conquista de 2004 o meia-atacante do Barcelona triunfou mesmo sem nenhum título, quebrando um tabu histórico no pleito da Fifa, neste ano o brasileiro acumulou taças importantes. Primeiro, liderou o Barcelona na conquista do Campeonato Espanhol, acabando com um jejum de seis temporadas sem vitórias do clube catalão.

Semanas depois, Ronaldinho brilhou na conquista da seleção brasileira na Copa das Confederações, em torneio que viu florescer o "quarteto ofensivo" do time de Carlos Alberto Parreira.

A conquista em Zurique também sela a "unificação" de títulos individuais de Ronaldinho, que neste ano acumulou a Bola de Ouro da revista France Football, oferecida ao melhor da Europa escolhido por jornalistas, e ainda venceu a primeira eleição promovida pela FIFPro, espécie de sindicato internacional de jogadores profissionais. De quebra, o astro do Barcelona também arrebatou o prêmio de principal atacante da última Liga dos Campeões.

A vitória de Ronaldinho Gaúcho é a sétima do Brasil nos 15 anos de premiação da Fifa. A "cria" do Grêmio, com dois triunfos, agora se aproxima dos maiores vencedores da história, Ronaldo e Zinedine Zidane, que somam três prêmios.

Além do tricampeão Ronaldo (1996, 1997 e 2002), o futebol brasileiro tem mais dois vencedores. Romário abriu a série verde-e-amarela em 1994, ano que atingiu o auge técnico na Copa do Mundo. A eleição de 1999 premiou o ano inspirado de Rivaldo, então grande nome do Barcelona.

O clube espanhol, por sinal, se afirma como maior vencedor na história da premiação, com cinco jogadores consagrados, contra três do arqui-rival Real Madrid e da italiana Juventus. Além do bi de Ronaldinho, o Barça já triunfou com o trio brasileiro Romário, Ronaldo e Rivaldo.

Perfil
Ronaldo de Assis Moreira nasceu em Porto Alegre no dia 23 de março de 1980. Revelado pelo Grêmio, o melhor do mundo deste ano fez sua estréia como profissional em janeiro de 1998. Mas antes disso o meia-atacante já despontava como grande revelação do futebol brasileiro.

Em 1997, a técnica e liderança de Ronaldinho apareceram como destaque na conquista da seleção brasileira no Mundial Sub-17 do Egito.

Pelo Grêmio, time do coração no qual seu irmão mais velho, Assis, já havia sido ídolo, Ronaldinho jogou pouco. Ganhou apenas um título, o Campeonato Gaúcho de 1999. No mesmo ano, teve a chance na seleção principal que conquistou a Copa América.

Dois anos mais tarde, Ronaldinho saiu do clube gaúcho rumo ao Paris Saint-Germain através de uma disputa jurídica que o deixou seis meses sem jogar. Depois, em dois anos na França, o meia-atacante brilhou individualmente, começou a fazer seu nome fora do país, mas não obteve sucessos coletivos.

COMO SE ELEGE O MELHOR?
Até 2003, os técnicos das seleções nacionais eram os únicos que escolhiam os melhores jogadores do ano. A Fifa mudou o formato da votação em 2004, e ampliou o pleito para os capitães das seleções nacionais. Fica vetado a técnicos e jogadores o voto em conterrâneos.

Cada pessoa com direito a voto pode escolher três jogadores. A primeira opção ganha cinco pontos, a segunda três e a terceira só um. O jogador e jogadora que somarem mais pontos dentro desse sistema é eleito o melhor do ano segundo a Fifa.
Ainda como jogador do PSG, Ronaldinho foi um dos pilares da seleção campeã na Copa de 2002. No Mundial na Ásia, marcou dois gols. Um deles, na vitória sobre a Inglaterra nas quartas-de-final, se tornou folclórico. Na jogada, o meia-atacante encobriu o goleiro David Seaman num chute em que até hoje não se sabe se foi intencional ou não.

Polêmica semelhante Ronaldinho despertou recentemente num vídeo que vazou de uma gravação de comercial. Nele, o jogador acerta o travessão sem deixar a bola cair quatro vezes seguidas. O melhor do mundo jura que não é armação.

Mas o grande feito recente de Ronaldinho foi ter levantado o Barcelona no futebol espanhol, depois de anos seguidos de hegemonia da filosofia "galáctica" do Real Madrid. Por esta razão, hoje o brasileiro é quase um rei para o Barça, que conseguiu recentemente, com muito esforço, acertar a renovação de contrato de sua estrela até 2010.

Leia mais

Enquete

Álbum de fotos


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias