! Cruzeiro vence em casa e ainda mira Libertadores - 13/11/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  13/11/2005 - 19h56
Cruzeiro vence em casa e ainda mira Libertadores

Da Redação
Em São Paulo

O Cruzeiro segue sonhando com a Copa Libertadores de 2006. O time mineiro venceu o Brasiliense por 1 a 0 neste domingo, no Mineirão, e manteve a desvantagem de sete pontos para o quarto colocado Goiás (último time que se classificaria para o torneio sul-americano se o Campeonato Brasileiro acabasse agora).

Divulgação
Divulgação
Alecsandro comemora o único gol do Cruzeiro na vitória sobre o Brasiliense no Mineirão
Agora, a equipe dirigida por Paulo César Gusmão tem apenas quatro rodadas para tentar alcançar a zona de classificação para o torneio sul-americano. "É complicado, nós sabemos. Mas precisamos fazer a nossa parte, que é vencer os jogos. Se os nossos adversários tropeçarem, nós vamos brigar pela vaga", prometeu o volante Fábio Santos.

Superior tecnicamente, o Cruzeiro teve condições de fazer uma vantagem maior neste domingo. No entanto, esbarrou na falta de competência de seu ataque. "Perdemos gols demais. Conseguimos criar, mas não concluímos da melhor maneira. Faltou um pouco de tranqüilidade", criticou o meia Kelly.

Mesmo com um homem a mais desde os 19min do segundo tempo, o Cruzeiro não conseguiu ampliar sua vantagem sobre o Brasiliense. Segundo o atacante Alecsandro, faltou velocidade à equipe mineira: "Podíamos ter criado um pouco mais se tivéssemos aproveitado os contra-golpes".

ALECSANDRO CHATEADO
Autor do gol do Cruzeiro neste domingo, na vitória por 1 a 0 sobre o Brasiliense, o centroavante Alecsandro resolveu desabafar. Chateado com as críticas que tem recebido, o camisa 42 criticou a cobrança excessiva.

"Eu fiquei dois jogos sem marcar, mas parece que foram sete ou oito. É claro que eu quero fazer gols sempre, mas preciso manter a tranqüilidade quando isso não acontece", disparou o centroavante.

Com o gol marcado neste domingo, Alecsandro chegou a oito no Campeonato Brasileiro. O artilheiro do Cruzeiro é o camisa 10 Kelly, que anotou 16 vezes na competição.
O revés mantém o Brasiliense na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O time dirigido por Márcio Bittencourt estaciona nos 38 pontos e segue na penúltima colocação do torneio, agora a seis pontos do último time que se salvaria do descenso.

"A situação está ficando cada vez pior. Sabemos que precisamos reagir, mas só temos quatro rodadas para isso e já passou da hora de voltarmos a vencer", disparou o volante Deda.

A próxima partida do Brasiliense será na quarta-feira, contra o Internacional, em Porto Alegre. O Cruzeiro terá um dia a mais de descanso e só voltará a campo na quinta, quando receberá o Atlético-PR no Mineirão.

O jogo
Em ritmo lento, as duas equipes começaram o confronto deste domingo trocando passes na zona intermediária do gramado do Mineirão. O único jogador contrário a este marasmo foi o atacante Diego, do Cruzeiro, que apostou sempre em lances de velocidade.

Aos 4min, exatamente em uma jogada de Diego, o Cruzeiro chegou ao primeiro gol. O camisa 29 fez jogada pela esquerda, driblou um zagueiro para trás e cruzou de pé direito. A bola passou por toda a área e encontrou Alecsandro, que completou de pé direito para as redes.

O gol desarrumou o Brasiliense, que tentou sair para o ataque de forma desesperada. Assim, possibilitou os contra-golpes ao Cruzeiro, que teve oportunidades para definir o placar ainda no primeiro tempo.

SÓ UMA VITÓRIA
O Brasiliense tem apenas 38 pontos, e vive situação dramática na reta final do Campeonato Brasileiro. Tentando escapar do rebaixamento, o time do Distrito Federal precisa descontar uma desvantagem de seis pontos para o último time fora do grupo de risco.

Para se salvar, o Brasiliense precisa superar um retrospecto negativo com o treinador Márcio Bittencourt. Desde que ele assumiu a equipe, a única vitória aconteceu no dia 27 de outubro, em São Paulo, contra o São Paulo (2 a 1).

Nas outras cinco partidas de Márcio Bittencourt à frente do Brasiliense, o time acumulou três empates e duas derrotas.
"Tivemos muitas chances, mas não soubemos aproveitar. Faltou um pouco de qualidade no último passe, e isso dificultou a vida dos nossos atacantes", ponderou o volante Fábio Santos durante o intervalo.

A superioridade do Cruzeiro se tornou ainda mais evidente no segundo tempo, quando a equipe mineira passou a acertar mais os passes no meio-campo. Prova disso é que, logo a 1min, o time da casa quase ampliou a vantagem. Adriano recebeu lançamento na direita e tentou encobrir o goleiro Eduardo, que praticou a defesa.

O início arrasador do Cruzeiro, contudo, não se confirmou no restante do segundo tempo. O time mineiro diminuiu seu ritmo ofensivo e preferiu tocar a bola na zona intermediária, sem assustar os visitantes.

A situação do Cruzeiro se tornou ainda mais confortável aos 19min, quando André Turatto cometeu falta dura, recebeu seu segundo cartão amarelo e foi expulso. "Já estava complicado com 11, com dez ficou ainda mais", admitiu o lateral Márcio Careca.

No entanto, apesar da inferioridade numérica do time do Distrito Federal, o Cruzeiro não conseguiu criar e manteve o ritmo lento que apresentou desde o início da partida.

CRUZEIRO
Fábio, Jonathan (Edu Dracena), Irineu, Marcelo Batatais e Wagner; Maldonado, Fábio Santos, Kelly (Francismar) e Adriano; Diego e Alecsandro (Daniel)
Técnico: Paulo César Gusmão

BRASILIENSE
Eduardo, Dida, Jairo, André Turatto e Márcio Careca; Deda, Vampeta (Joãozinho), Pituca (Lindomar) e Salvino; Iranildo (Dill) e Igor
Técnico: Márcio Bittencourt

Local: estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (Fifa-PE)
Auxiliares: Luciano José Coelho Cruz e Jossemar José Diniz Moutinho (ambos de PE)
Cartões amarelos: Pituca (B)
Cartão vermelho: André Turatto (B)
Gols: Alecsandro, aos 4min do primeiro tempo


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias