! Márcio muda mal, e Corinthians empata em casa - 22/09/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  22/09/2005 - 22h23
Márcio muda mal, e Corinthians empata em casa

Da Redação
Em São Paulo

De um lado um treinador ovacionado, enaltecido por todos os seus atletas. De outro, um treinador vaiado e xingado pela torcida. Este foi o panorama do jogo desta quinta-feira, válido pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, em que Corinthians e Atlético-MG empataram por 1 a 1.

Folha Imagem
Jogadores do Corinthians comemoram gol, mas time sofre empate do Atlético-MG no final
Para os jogadores do Atlético-MG, que perdia até os 40min do segundo tempo, o principal responsável pelo resultado foi o comandante Marco Aurélio. "O resultado teve o dedo dele. Ele foi ousado, colocou o time para cima e o prêmio foi a igualdade", comemorou o atacante Marques, autor do gol do time visitante.

O gol de empate do Atlético-MG aconteceu logo depois de duas alterações promovidas pelo técnico Márcio Bittencourt, que resolveu recuar o Corinthians. Ele trocou o lateral Eduardo Ratinho e o meia Roger, respectivamente, pelo zagueiro Wescley e o volante Wendel. Com isso, levou a igualdade como castigo.

Xingado de burro insistentemente nos últimos minutos, Márcio lamentou a pressão recebida nesta quinta: "Infelizmente, céu e inferno são conceitos muito próximos no futebol. Estávamos muito tranqüilos, havíamos criado bastante. Mas eles empataram e é natural essa cobrança acontecer".

Márcio assumiu completamente a responsabilidade pelo empate do Corinthians com o Atlético-MG. "Quando o time vence, o mérito é sempre dos atletas. Quando perde ou empata, é preciso aceitar a carga gerada por isso", admitiu.

VANTAGEM PAULISTA
Apesar de ter deixado a vitória escapar nesta quinta-feira, o Corinthians teve uma razão para comemorar o empate com o Atlético-MG. Isso porque o resultado manteve uma estatística favorável à equipe paulista.

O Atlético-MG não vence o Corinthians, em jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro, desde o dia 30 de março de 2003. Naquela oportunidade, jogando no Pacaembu, os visitantes fizeram 3 a 0 (gols de Alexandre, Guilherme e Alessandro).

Depois desta partida, as duas equipes se enfrentaram cinco vezes e o Corinthians teve vantagem. O time paulista obteve três vitórias e outros dois jogos terminaram empatados.
Com o empate desta quinta, o Corinthians não tem grande queda na tabela. O time paulista alcança 47 pontos e desce da segunda para a terceira colocação do Campeonato Brasileiro. Porém, a equipe do Parque São Jorge vê o Internacional, que tem 50, ganhar mais folga na liderança.

O Atlético-MG não muda de posição na tabela, mas sai de campo frustrado por não ter deixado a zona de rebaixamento. O time mineiro chega a três partidas sem perder como visitante, mas alcança 29 pontos e segue na 19ª colocação.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo. O Corinthians viaja para o Rio de Janeiro, onde joga contra o Flamengo às 16h. O Atlético-MG, às 18h10, recebe o líder Internacional no Mineirão.

O jogo
Desde o início, o meio-campo do Atlético-MG não conseguiu acertar a marcação sobre Roger e Hugo, os dois homens de criação do Corinthians. Com isso, o time da casa assumiu o controle das ações do jogo e teve amplo domínio da posse de bola.

CARLITOS VOLTA
O Corinthians terá um importante reforço para o confronto com o Flamengo, no próximo domingo, no Rio de Janeiro. O atacante argentino Carlitos Tevez, que cumpriu suspensão automática nesta quinta-feira, voltará à equipe.

Tevez esteve no Pacaembu para acompanhar, das arquibancadas, o empate por 1 a 1 entre Corinthians e Atlético-MG.

Em compensação, o Corinthians não poderá escalar o volante Marcelo Mattos e o lateral-direito Eduardo Ratinho. Os dois jogadores receberam o terceiro cartão amarelo nesta quinta-feira e cumprirão suspensão automática.
No entanto, o Corinthians apostou em jogadas pelas laterais e cruzamentos para a área. Só que esta alternativa se tornou ineficaz devido à ausência de um centroavante para completar estes passes.

"Precisávamos colocar a bola um pouco mais no chão e o nosso time só funcionou quando fez isso. Começamos a tocar mais e conseguimos encontrar espaços na defesa do Atlético-MG", avaliou o meia Hugo.

Aos 34min, o próprio Hugo fez linda jogada individual pela esquerda e cruzou rasteiro. Nilmar apareceu no primeiro pau e completou para as redes, mas o árbitro Heber Roberto Lopes invalidou o lance alegando impedimento.

Hugo voltou a aparecer aos 37min. Desta vez, porém, com mais eficiência. Roger cobrou escanteio da esquerda e o camisa 21, dentro da área, nem sequer saiu do chão para cabecear para as redes do Atlético-MG.

Apático, o time visitante não conseguiu criar nenhum perigo para o gol defendido por Marcelo na primeira etapa. Mesmo assim, o técnico Marco Aurélio saiu de campo satisfeito com o rendimento de sua equipe. "Nós fomos bem. Só precisamos utilizar mais os laterais e acertar a marcação sobre os meias deles", avisou.

A conversa de Marco Aurélio com os jogadores do Atlético-MG durante o intervalo surtiu efeito e o time visitante melhorou a marcação sobre o Corinthians. Só que os donos da casa, satisfeitos com a vantagem construída no primeiro tempo, recuaram demais e pouco fizeram para ampliar o marcador.

O principal caminho utilizado pelo Corinthians para chegar à meta do Atlético-MG era o lado esquerdo do ataque paulista. Isso porque o volante Zé Antônio, improvisado como ala, não conseguiu nem atacar e nem conter os avanços de Gustavo Nery.

Foi pela esquerda que o Corinthians criou as melhores oportunidades da etapa final, uma com Gustavo Nery e outra com Hugo. Na única finalização do segundo tempo, porém, o Atlético-MG empatou. Euller cruzou rasteiro da direita e Marques, de carrinho, castigou a falta de ambição dos donos da casa, aos 40min.

CORINTHIANS
Marcelo; Eduardo Ratinho (Wescley), Betão, Marinho e Gustavo Nery; Marcelo Mattos, Bruno Octávio, Hugo e Roger (Wendel); Nilmar e Carlos Alberto (Dinelson)
Técnico: Márcio Bittencourt

ATLÉTICO-MG
Bruno; Lima, Leandro Castan e Henrique; Zé Antônio (Euller), Amaral, Vinícius (Fábio Baiano), Uéslei (Rodrigo Fabri) e Esquerdinha; Catanha e Marques
Técnico: Marco Aurélio

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Rogério Carlos Rolim (PR)
Cartões amarelos: Esquerdinha (A), Eduardo Ratinho (C), Vinícius (A), Amaral (A), Marcelo Mattos (C), Marques (A), Henrique (A), Bruno Octávio (C), Leandro Castan (A), Fábio Baiano (A)
Gols: Hugo, aos 37min do primeiro tempo; Marques, aos 40min do segundo tempo

Leia mais

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias