! Ramírez brilha e tira Flamengo da zona de risco - 17/09/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  17/09/2005 - 19h57
Ramírez brilha e tira Flamengo da zona de risco

Da Redação
No Rio de Janeiro

A apresentação do paraguaio César Ramírez no Flamengo foi cheia de pompa. Sua estréia com a camisa rubro-negra também. Na noite deste sábado, no Rio de Janeiro, o atacante marcou um gol e sofreu um pênalti na vitória da sua equipe por 2 a 0 sobre o São Caetano. Resultado que tirou, temporariamente, a equipe carioca da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

"Minha estréia foi perfeita. É importante estrear fazendo gol, dá muita moral para o jogador. Isso me dá muita confiança. O time também ganhou, o que é muito importante. Não adianta eu jogar bem e fazer gol se o time não ganhar", declarou o camisa 7 do time da Gávea.

JÚNIOR BAIANO É EXPULSO NO SEU RETORNO AO TIME
A partida deste sábado marcou a volta do zagueiro Júnior Baiano ao time do Flamengo. Mas o jogador manchou seu retorno com uma expulsão - ele já tinha cartão amarelo e colocou a mão na bola.

Júnior Baiano foi afastado do elenco pelo ex-técnico Celso Roth por "deficiência técnica" e ficou treinando separado do grupo, isolado no CT de Vargem Grande (a quase 50 Km da Gávea), até ser reintegrado pelo atual treinador, Andrade. Ele voltou a atuar como capitão depois de dez partidas fora. Mesmo sendo expulso, o zagueiro saiu de campo aplaudido pela torcida.
Com a vitória, o time da Gávea foi a 30 pontos e ganhou uma posição, subindo para a 18ª. Agora, o Flamengo torce para que o Brasiliense (com 28 pontos) não passe de um empate contra o Fortaleza, neste domingo, em Taguatinga, para permanecer fora da zona de risco ao final da rodada.

De quebra, o time carioca manteve sua invencibilidade na "Era Andrade", que agora é de mais de um mês (seis jogos). A última derrota aconteceu no dia 14 de agosto, para o Goiás, resultado que decretou a queda de Celso Roth do comando da equipe.

Desde que Andrade assumiu o Flamengo, na partida seguinte (vitória por 2 a 1 sobre o Paysandu), o Rubro-Negro não perdeu. No entanto, esta foi apenas a segunda vitória do treinador. Depois de bater o Paysandu, o time só tinha empatado no Brasileiro (contra Cruzeiro, Figueirense, Inter e Santos), até finalmente voltar a vencer neste sábado.

Enquanto isso, no São Caetano, o técnico Jair Picerni estreou com derrota. Para piorar, a equipe do ABC paulista perdeu seu sexto jogo seguido e amargou sua sétima partida consecutiva sem vitória.

A última foi há mais de um mês, contra o Atlético-PR, no dia 10 de agosto. Depois, o São Caetano empatou com o Coritiba e perdeu para Cruzeiro, Palmeiras, Goiás, Fortaleza e Paysandu.

A derrota deste sábado para o Flamengo deixou o time azulino com os mesmos 32 pontos. A equipe caiu para a 15ª posição.

O São Caetano vai buscar a reabilitação no Brasileiro na próxima quarta-feira, contra o Figueirense, às 19h30, no ABC. Para esta partida, o time não terá Dimba, que recebeu o terceiro cartão amarelo neste sábado. Já o Flamengo vai colocar sua invencibilidade à prova no clássico contra o líder Fluminense, em Volta Redonda, no mesmo dia, às 21h45. A equipe não terá Leonardo Moura, que também levou o terceiro amarelo, e Júnior Baiano, expulso.

O jogo
Precisando desesperadamente da vitória, o Flamengo começou com tudo e logo aos 48 segundos de partida deu o primeiro susto. Leonardo Moura recebeu cruzamento pelo alto da direita e cabeceou. O goleiro Silvio Luiz teve que se esticar para espalmar a bola, que ia entrando no seu ângulo direito.

ESTRÉIAS NOS DOIS LADOS
A partida deste sábado, entre Flamengo e São Caetano, foi marcada por estréias.

No Flamengo, o debutante foi o atacante paraguaio César Ramírez, reserva da seleção do seu país. O jogador foi contratado do Cerro Porteño com a missão de reforçar o deficiente ataque rubro-negro, que é o que marcou menos gols entre todas as 24 equipes que disputam o Brasileiro.

Já o São Caetano teve a reestréia de um velho conhecido: o técnico Jair Picerni. O treinador comandou a equipe do ABC na Copa João Havelange de 2000 e conseguiu levar o time ao vice-campeonato, o que lhe deu o direito de disputar a Libertadores do ano seguinte pela primeira vez na sai história.

Além do técnico, o São Caetano teve a estréia do lateral-direto Ricardo Lopes. O jogador, revelado pelo Ituano, chegou a ter uma passagem relâmpago pelo próprio Flamengo neste ano, mas não se adaptou à pressão do clube carioca e retornou ao time paulista para a disputa da Série B.
Mas o Flamengo só voltou a ameaçar aos 20min. Leonardo Moura fez boa jogada individual pela direita, passando por dois adversários, e rolou no meio para Souza, que chutou da entrada da área, mas a bola saiu à esquerda do gol do São Caetano.

O time visitante respondeu com muito perigo um minuto depois. Edílson recebeu lançamento pelo meio, avançou livre, ficou cara-a-cara com Diego, mas o goleiro conseguiu desviar a bola pela linha de fundo.

O jogo ficou emocionante e o São Caetano criou a melhor chance aos 27min. Triguinho recebeu passe na linha de fundo, pela esquerda, e cruzou pelo alto na medida para Paulo Miranda, que cabeceou. A bola passou raspando a trave esquerda.

O Flamengo deu o troco na mesma moeda, também com sua melhor oportunidade, aos 29min. Ramírez fez bela jogada individual pela direita e tocou para Fellype Gabriel, livre na grande área. Ele chutou de primeira, mas a bola passou à direita do gol do São Caetano.

No segundo tempo, o time carioca voltou com tudo e abriu o placar logo no primeiro minuto. O estreante Ramírez recebeu lançamento pela esquerda, invadiu a área, driblou Triguinho para o meio e marcou.

O São Caetano foi para cima e quase empatou aos 16min. Edílson aproveitou lançamento pelo alto, dominou na entrada da área e chutou, mas o goleiro Diego desviou para escanteio.

O time carioca respondeu aos 20min. André fez bela jogada individual pela esquerda, driblou dois adversários, invadiu a área, mas chutou na rede pelo lado de fora, à direita de gol de Silvio Luiz.

Logo depois, o zagueiro Júnior Baiano colocou a mão na bola e recebeu seu segundo cartão amarelo, sendo expulso. Com um a menos, o Flamengo se defendeu como pôde.

Aos 43min, Ramírez sofreu pênalti duvidoso de Thiago. Renato cobrou e marcou o segundo, fechando o placar - na primeira cobrança do rubro-negro, o juiz mandou voltar alegando inexistente invasão de área.

FLAMENGO
Diego; Leonardo Moura (Leonardo Matos), Júnior Baiano, Renato Silva e André; Augusto Recife, Jônatas, Renato e Souza (Diego Souza); Fellype Gabriel (Rodrigo) e Ramírez
Técnico: Andrade

SÃO CAETANO
Sílvio Luiz, Ricardo Lopes (Raulen), Gustavo, Thiago e Triguinho; Zé Luiz, Pingo, Paulo Miranda (Jean Carlos) e Canindé (Fábio Pinto); Edílson e Dimba
Técnico: Jair Picerni

Local: estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Antônio Hora Filho (CE)
Assistentes: Antônio da Cruz dos Santos e Ivaney Alves de Lima (ambos de SE)
Cartões amarelos: Júnior Baiano (F), Zé Luiz (S), Dimba (S), Leonardo Moura (F), Renato (F),
Cartão vermelho: Júnior Baiano (F)
Gols: Ramírez, a 1min, e Renato, de pênalti, aos 45min do segundo tempo

Leia mais


Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias