! Botafogo supera os problemas e vence Paysandu - 06/08/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  06/08/2005 - 17h50
Botafogo supera os problemas e vence Paysandu

Da Redação
No Rio de Janeiro

Superando todos os problemas que teve durante a semana, o Botafogo apagou o sinal de alerta e amenizou o clima em General Severiano. Na tarde deste sábado, o time carioca venceu o Paysandu por 2 a 0, no Rio, pela 18ª rodada do Brasileiro, e reencontrou o caminho das vitórias após dois tropeços consecutivos no campeonato.

CONTURBADA SEMANA NO BOTA
O clima no Botafogo ficou conturbado com uma série de imprevistos que começaram a surgir na terça-feira, com o inesperado anúncio da saída do volante Túlio.

No dia seguinte, o Botafogo perdeu para o Paraná, em Curitiba, sofrendo sua segunda derrota seguida. Após a partida, o presidente Bebeto de Freitas disse que viu um jogador fazendo "corpo mole", mas não citou o nome.

Imediatamente, surgiram especulações de que o atleta em questão seria César Prates. O lateral recebeu proposta do futebol europeu e já tinha demonstrado interesse em sair, mas Bebeto se recusou a liberá-lo por considerar uma "esmola" a proposta de 100 mil euros (cerca de R$ 300 mil) pela rescisão do contrato do jogador, que vai até o final de 2006.

Na sexta-feira o lateral acabou sendo afastado do elenco pelo técnico Péricles Chamusca, que disse que ele estava atuando disperso pela proposta.

Especula-se inclusive que, durante o intervalo da partida contra o Paraná, os demais jogadores teriam se desentendido com César Prates no vestiário por não gostarem da postura do atleta na partida.

"Aconteceram problemas no vestiário no intervalo do jogo contra o Paraná que não condizem com uma equipe como a do Botafogo. Acredito que essa tenha sido a motivação do treinador em afastá-lo", admitiu Bebeto sem dar maiores detalhes em entrevista à Rádio Globo.

Chamusca teria interferido na discussão para evitar uma briga. Prates também já teria dito que não tem mais clima para ficar no Botafogo porque decidiu que não joga mais pelo Alvinegro enquanto o treinador estiver no clube.
"O time hoje [sábado] não se abalou com essa confusão toda que ocorreu durante a semana com o César Prates e a saída do Túlio também. O time se superou e foi bem", disse o zagueiro e capitão do Botafogo, Scheidt.

O técnico Péricles Chamusca discordou que o Botafogo estivesse atravessando uma crise, mas contou que deu uma atenção especial ao grupo no sentido de evitar que os problemas atrapalhassem a equipe em campo.

"Nós tivemos problemas, como qualquer time grande, mas não crise. Ainda vamos ter muitos problemas até o final do campeonato, mas o importante é a gente saber reagir aos problemas. Houve uma reação positiva em relação aos problemas. A questão da superação de todos os problemas traz um aumento de rendimento", afirmou.

Reinaldo, que jogou no lugar de Guilherme (o atacante não faz um gol há mais de quatro meses), marcou seu primeiro gol com a camisa alvinegra em grande estilo, dando um lençol em João Carlos dentro da área antes de balançar a rede. Glauber completou o placar.

Além da crise envolvendo César Prates, afastado do elenco pelo técnico Péricles Chamusca por estar atuando disperso pela proposta que recebeu do futebol europeu, o Botafogo teve que lidar com os desfalques de Bill, lesionado, e do volante Jonilson, outro titular absoluto, que ficou fora por suspensão.

Com isso, Chamusca teve que improvisar o zagueiro Asprilla, que fez sua estréia pelo Botafogo, na lateral esquerda. Mesmo com todos os problemas o time se superou e conquistou a vitória que o deixou com 31 pontos, na terceira posição.

Além disso, com o resultado positivo, o Botafogo se reabilitou no Brasileiro depois de perder o clássico do domingo passado para o Flamengo e a partida da última quarta para o Paraná. Os resultados fizeram o time despencar para a sétima colocação, mas a vitória deste sábado o deixou a uma posição da zona de classificação para a Libertadores.

Já o Paysandu ficou com os mesmos 13 pontos e continua na última posição do campeonato. A equipe do Pará agora amarga um jejum de nove jogos sem vitória. A última foi contra o Palmeiras, em Belém (2 a 1), no dia 26 de junho. Com a derrota deste sábado, o lanterna do Brasileiro segue sem vencer fora de casa neste certame.

O próximo compromisso da equipe neste Brasileiro será em casa, contra um adversário que também não vai bem na competição. O time enfrenta o Vasco, na próxima quarta-feira, no estádio Mangueirão, em Belém.

Já o Botafogo vai a Belo Horizonte para jogar contra o Cruzeiro, no Mineirão, no mesmo dia. Para esta partida, o time carioca não terá o zagueiro Scheidt, que recebeu o terceiro cartão amarelo neste sábado.

O jogo
O primeiro bom momento do Botafogo na partida aconteceu logo aos 5min. Alex Alves recebeu lançamento longo na direita, invadiu a grande área e chutou sem ângulo, rente à linha de fundo. A bola passou perto da trave direita do goleiro do Paysandu.

O Paysandu respondeu aos 9min. Marcou Aurélio chutou forte da meia direita e a bola passou muito perto do ângulo direito de Max.

Depois disso, o jogo ficou ruim. As equipes erravam muitos passes e criavam poucas chances de gol. Até que aos 24min, o Paysandu quase abriu o placar. Na cobrança de escanteio da direita, Róbson cabeceou para o chão, Max defendeu no susto e Oziel afastou de carrinho para longe.

O Botafogo respondeu à altura aos 30min. Juca fez boa jogada dentro da área, pela direita, e rolou para Alex Alves, na entrada da pequena área. O atacante fez o giro e chutou forte, mas a bola bateu em Marco Aurélio, que salvou em cima da linha. Os jogadores alvinegros ficaram pedindo pênalti, já que a bola tocou no braço do lateral do Paysandu.

O time da casa chegou de novo aos 35min. Oziel cruzou da direita pelo alto para Glauber, dentro da grande área. Ele cabeceou para o chão e a bola passou rente à trave direita de Alexandre Favaro.

Até que aos 40min, o Botafogo abriu o placar com um golaço. Leandro Carvalho fez lançamento longo, do meio-de-campo, e encontrou Glauber dentro da grande área, pela esquerda. O meia deu um passe com o peito para Reinaldo, que deu um lençol em João Carlos e tocou na saída do goleiro Alexandre Fávaro.

O Botafogo voltou para o segundo tempo administrando a vitória. A equipe não criou muitas chances, mas também foi pouco ameaçada pelo Paysandu. O primeiro lance de perigo do Alvinegro só aconteceu aos 34min. Alex Alves lançou para Juca na meia direita, que trouxe para o meio e chutou rasteiro de pé esquerdo. A bola passou rente à trave.

Mas, logo em seguida, o Botafogo ampliou o placar. Alex Alves recebeu na direita e tocou no meio para Reinaldo, que fez o porta luz. A bola chegou a Glauber, que recebeu sozinho, invadiu a grande área e tocou na saída do goleiro, dando números finais à partida.

BOTAFOGO
Max; Oziel, Rafael Marques, Scheidt e Asprilla; Leandro Carvalho, Juca, Glauber e Caio (Ramon); Alex Alves (Diguinho) e Reinaldo (Guilherme)
Técnico: Péricles Chamusca

PAYSANDU
Alexandre Fávaro; Marco Aurélio, João Carlos, Sílvio e Leandro; Alemão (Carlos Alberto), Vanderson, Rodrigo (Balão) e Donizete Amorim (Luiz Augusto); Éder Ceccon e Róbson
Técnico: Gílson Kleina

Local: estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS)
Assistentes: Altemir Hausman e José Javel Silveira (ambos do RS)
Cartões amarelos: Asprilla (B), Leandro (P), Scheidt (B), Glauber (B), Luiz Augusto (P), Vanderson (P)
Gols: Reinaldo, aos 40min do primeiro tempo; Glauber, aos 34min do segundo tempo

Leia mais


Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias