! Defesa funciona e Paraná derruba Internacional - 28/07/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  28/07/2005 - 22h21
Defesa funciona e Paraná derruba Internacional

Da Redação
Em São Paulo

A defesa do Paraná impediu o Internacional de seguir na segunda colocação do Campeonato Brasileiro. Atuando muito retrancado, o time paranaense segurou o adversário gaúcho nesta quinta-feira, em pleno Beira-Rio, e venceu por 2 a 0, pela 15ª rodada do certame.

O Internacional não saía de campo sem marcar gols havia seis rodadas, desde a derrota por 3 a 0 para o Fluminense (no dia 19 de junho). Com 28 bolas nas redes adversárias, o time gaúcho tem o segundo ataque mais eficiente do Brasileiro (o melhor é o do Corinthians, com 34 gols).

Nesta quinta-feira, porém, o bom aproveitamento do ataque gaúcho não conseguiu superar a defesa do Paraná. O time dirigido por Lori Sandri é o menos vazado do Campeonato Brasileiro, com apenas 14 gols tomados.

LATERAL-CENTROAVANTE
Contratado no início do Campeonato Brasileiro, o lateral-direito Parral fez nesta quinta-feira a primeira partida como titular do Paraná. E o jogador precisou apenas de quatro minutos para marcar seu primeiro gol com a camisa do clube.

"Vi o Vicente carregando a bola pela esquerda e acompanhei a jogada. Apareci dentro da pequena área e tive a felicidade de receber o cruzamento", contou o lateral.

Segundo o técnico Lori Sandri, o gol de Parral mostra o quanto o elenco do Paraná foi bem montado. "Lutamos muito para contratar. Trouxemos 13 jogadores e formamos um grupo de qualidade. Assim, temos confiança em toda peça que entra na nossa equipe", garantiu.
"Não somos uma equipe que só defende. Só procuramos um equilíbrio e isso veio com mais homens no meio-campo. Assim nós temos mais gente para fazer a criação e a bola chega no ataque com mais qualidade", analisou Borges, autor de sete gols (um deles nesta quinta-feira) e artilheiro do Paraná no Brasileiro.

O outro gol do Paraná foi marcado pelo lateral-direito Parral, que nesta quinta-feira fez sua primeira partida como titular da equipe dirigida por Lori Sandri. O jogador determinou que este lance só foi possível devido à postura defensiva de seu time.

"Temos seis homens no meio-campo e isso dá mais liberdade para todo mundo atacar. Pude ir para a área e sabia que teria um jogador fazendo a cobertura no meu setor", analisou o camisa 2.

Com a derrota desta quinta-feira, o Internacional estaciona nos 28 pontos e cai da segunda para a terceira posição do Campeonato Brasileiro (o novo vice-líder é o Corinthians, que tem 31 pontos).

Além disso, este é o segundo resultado negativo consecutivo do Internacional atuando no Beira-Rio. Antes do confronto com o Paraná, o time gaúcho havia sido derrotado dentro de casa pelo Goiás (3 a 2).

VANTAGEM DO PARANÁ
A vitória desta quinta-feira colocou o Paraná em superioridade no histórico do confronto com o Internacional. As duas equipes se enfrentaram 26 vezes e o time de Curitiba venceu 10 vezes, contra nove triunfos gaúchos.

No Campeonato Brasileiro, o Paraná também assumiu vantagem. As duas equipes se enfrentaram 15 vezes. Nestes confrontos, o time dirigido por Lori Sandri obteve seis vitórias, quatro empates e cinco derrotas.

De quebra, o Paraná encerra um jejum. O time de Curitiba não vencia o Internacional desde o dia 19 de outubro de 2003, quando fez 4 a 0 no Couto Pereira.
Para o Paraná, essa vitória representa uma evolução muito grande na tabela. A equipe dirigida por Lori Sandri salta para 25 pontos e da décima para a quinta colocação do Campeonato Brasileiro.

As duas equipes voltam a campo no domingo, ambas jogando longe de suas casas. O Internacional viaja a Campinas para encarar a líder Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli, às 16h. Mais tarde, às 18h10, o Paraná visitará o Paysandu.

O jogo
O técnico Lori Sandri resolveu armar o Paraná no 3-6-1, com o atacante Borges isolado na frente. Animado pela postura defensiva do rival, o Internacional se lançou ao ataque desde o início do confronto.

No entanto, o Paraná usou um contra-golpe para inaugurar o marcador do Beira-Rio, logo aos 4min. Vicente conduziu a bola pela esquerda e cruzou rasteiro. Parral apareceu dentro da pequena área e tocou de primeira para vencer o goleiro Clemer.

O gol assustou o Internacional, que não conseguiu se equilibrar em campo. O Paraná, bem postado na defesa, assumiu postura ainda mais cautelosa e limitou suas investidas aos contra-golpes puxados por seus alas.

Quando conseguiu chegar ao ataque, o Internacional não concluiu com qualidade. O goleiro Flávio não fez sequer uma defesa difícil e isso revoltou o técnico Muricy Ramalho, do time gaúcho. "A diferença entre as duas equipes é que eles conseguiram aproveitar as oportunidades. Nós até criamos, mas se não fizermos os gols, nunca vamos conseguir virar", disparou.

ATAQUE DO INTERNACIONAL
RodadaAdversárioPlacar
Fluminense0 x 3
São Paulo3 x 1
10ªSão Caetano2 x 1
11ªVasco4 x 2
12ªJuventude5 x 2
13ªGoiás2 x 3
14ªPaysandu2 x 1
15ªParaná0 x 2
Para tentar mudar o panorama do jogo, Muricy tirou o ala Alex no intervalo e colocou o centroavante Gustavo. Assim, recuou Jorge Wagner e optou por atuar no 4-3-3. "Eles colocaram uma referência muito grande na área e é claro que isso nos preocupa muito", comentou o técnico Lori Sandri, se referindo ao grandalhão atacante que entrou na equipe adversária.

Dentro de campo, porém, o Internacional seguiu perdido. Apática, a equipe da casa se tornou presa fácil para a marcação do Paraná. Tinga, o grande organizador do meio-campo, foi marcado de perto pelo volante Rafael Mussamba.

"Sei da qualidade dele. O Tinga é um dos meus ídolos no futebol. Sei que ele tem um potencial incrível e que não pode ter liberdade. Por isso, precisei correr demais atrás dele", contou o meio-campista do Paraná.

Equilibrado defensivamente, o Paraná não sofreu perigo. Tanto que, aos 44min, conseguiu ampliar em um contra-golpe. Borges apareceu dentro da área, recebeu passe de Beto e chutou cruzado para definir o marcador.

INTERNACIONAL
Clemer; Índio, Wilson e Edinho (Michel); Elder Granja, Edmílson, Tinga, Jorge Wagner e Alex (Gustavo); Fernandão e Rafael Sobis
Técnico: Muricy Ramalho

PARANÁ
Flávio; Daniel Marques, Fernando Lombardi (João Paulo) e Aderaldo; Parral, Beto, Rafael Mussamba, Mário César (Chiquinho), Thiago Neves (Flávio Alex) e Vicente; Borges
Técnico: Lori Sandri

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (Fifa-RJ)
Auxiliares: Carlos Henrique Alves de Lima e José Cláudio Paranhos (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Vicente (P), Flávio (P)
Gols: Parral, aos 4min do primeiro tempo; Borges, aos 44min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias