! Melhor paranaense, Paraná vence o Atlético-PR - 23/07/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  23/07/2005 - 17h58
Melhor paranaense, Paraná vence o Atlético-PR

Da Redação
No Rio de Janeiro

No clássico entre Paraná e Atlético-PR, quem se deu bem foi a equipe que está melhor colocada entre os times do Paraná que disputam a Série A do Brasileirão. O gol do atacante Borges, de pênalti, logo aos 3min do primeiro tempo, e a cabeçada de Beto, aos 25min da segunda etapa, garantiram a vitória por 2 a 0 do Paraná, na chuvosa tarde deste sábado, em Curitiba.

Em um jogo com quatro expulsões, as equipes tiveram trabalho para jogar futebol no castigado gramado do estádio Pinheirão, que sofreu com as chuvas que atingiram a cidade desde a noite de sexta-feira. Com a bola ficando presa em poças e os jogadores escorregando bastante, a partida foi marcada pela vontade com que os atletas disputaram as jogadas.

"Dentro do que o gramado ofereceu, nossa equipe trabalhou certo lá na frente. A expulsão nos prejudicou um pouco, mas depois que o jogador deles foi expulso, corrigimos. Depois, a partida ficou equilibrada e a nossa equipe se encontrou", disse o técnico do Paraná, Lori Sandri

ATLÉTICO-PR NÃO VENCE PARANÁ HÁ UM ANO E MEIO
Com a derrota para o Paraná, o jejum de vitórias do Atlético-PR sobre o rival aumentou para três partidas. A última vez que o Furacão venceu o clássico foi no dia 8 de fevereiro de 2004, pelo Campeonato Paranaense.

As duas equipes não se enfrentaram no Estadual deste ano porque estiveram em grupos diferentes na primeira fase. Como o Tricolor não chegou à etapa final, o caminho ficou livre para o Atlético-PR, que conquistou o título em cima do Coritiba.

No Brasileirão do ano passado, o Paraná venceu o jogo de ida por 1 a 0, no dia 7 de julho, com um gol de cabeça de Fernando Lombardi. No returno, as equipes empataram por 1 a 1, no dia 17 de outubro, quando Jadson e Messias fizeram os gols.
O resultado foi fundamental para o Paraná, que não vencia havia duas rodadas. Com os três pontos conquistados sobre o rival, a equipe passou a somar 22 pontos e subiu da 11ª para a oitava colocação, garantindo-se na zona de classificação para a Sul-Americana.

Como não sofreu nenhum gol no clássico, o Paraná segue com a defesa menos vazada da competição, com 14 gols contra. Quem tem essa mesma marca é o Fluminense, que neste domingo joga contra a Ponte Preta, em Campinas.

No lado do Atlético-PR, nem a estréia do atacante Finazzi, artilheiro do Campeonato Paulista deste ano, ajudou o time a seguir com a seqüência de vitórias que já durava três partidas. A oitava derrota no Brasileirão mantém a equipe com 12 pontos, na 17ª posição.

Mas como todas as equipes que estão abaixo do Atlético-PR jogam neste domingo, somente com muita sorte a equipe não voltará a ocupar uma posição na zona de rebaixamento.

"Nós não podemos usar as condições do gramado como desculpa porque o campo estava ruim para todos. Eles aproveitaram bem as oportunidades e, quando buscávamos o empate, o Paraná conseguiu fazer o segundo gol", lamentou o goleiro Diego, que fez boas defesas e evitou uma derrota por mais gols.

Na próxima rodada, o Atlético-PR encerra a seqüências de três jogos em Curitiba. Na quarta-feira, às 21h45, na Arena da Baixada, a equipe de Antônio Lopes receberá o Vasco. Para essa partida, o treinador poderá contar com as voltas de Danilo, Jancarlos, Marcão e Aloísio, que cumpriram suspensão.

No dia seguinte, o Paraná enfrentará o Internacional, às 20h30, no estádio Beira-Rio. E o volante Rafael Mussamba, impedido de jogar contra o Atlético-PR por estar suspenso, poderá entrar em campo. Outro retorno aguardado por Lori Sandri é o do atacante Renaldo, que se recupera de um estiramento na panturrilha esquerda.

O jogo
O Paraná não tomou conhecimento da chuva que castigava o gramado do Pinheirão e incendiou o jogo desde o início. Logo aos 3min, Borges tentou dominar a bola na área e ela escapou. O atacante disputou o lance com Cocito, que, caído, tentou afastar e cometeu pênalti. O próprio Borges cobrou no ângulo esquerdo de Diego e abriu o placar.

No lance do pênalti, Cocito sentiu uma lesão no joelho esquerdo e teve de ser substituído por Marcos Vinícius. Na seqüência, o Paraná continuou pressionando e desperdiçou boas oportunidades com Thiago Neves e André Dias.

Aos 25min, o Paraná passou a ter um homem a menos em campo. André Dias deu um carrinho no tornozelo de André Rocha e, antes do árbitro Sálvio Spinola mostrar a cor do cartão, o atacante demonstrou que sabia que seria expulso. Cumprindo a determinação da Fifa de banir o carrinho do futebol, o árbitro apresentou o cartão vermelho.

Com um jogador a mais, o Atlético-PR passou a buscar o ataque com decisão. No final da primeira etapa, a equipe de Antônio Lopes marcou dois gols, mas ambos foram anulados por impedimento. Na primeira jogada, a bola foi levantada na área do Paraná e Alan Bahia desviou para o gol. Na segunda, Evandro dominou e chutou cruzado. Nos dois lances, a arbitragem marcou corretamente.

Com o atacante Dennys no lugar do lateral Beto, o Atlético-PR começou o segundo tempo pressionando. Com apenas 1min, Caetano arriscou de fora da área e Flávio fez linda defesa, no ângulo direito. Depois do toque do goleiro, a bola ainda tocou no travessão.

Aos 8min, as equipes igualaram o número de atletas em campo. O zagueiro Adriano derrubou um jogador do Paraná que partia para o contra-ataque e, como já tinha cartão amarelo, foi expulso.

Apesar das condições do gramado, a partida passou a ficar muito disputada e os goleiros Flávio e Diego fizeram boas defesas em chutes de fora da área. Mas, aos 25min, o Paraná chegou ao segundo gol. Beto apareceu livre na área do Atlético-PR e desviou de cabeça um cruzamento que veio da esquerda.

Aos 46min, Dennys agrediu o lateral Neto do Paraná e o árbitro preferiu expulsar os dois de campo. Com isso, a partida terminou com nove jogadores de cada lado.

PARANÁ
Flávio; Daniel Marques, Marcos e Aderaldo; Neto, Beto, Mário César (Goiano), Thiago Neves (Chiquinho) e Vicente; Borges (Wellington Paulista) e André Dias
Técnico: Lori Sandri

ATLÉTICO-PR
Diego; André Rocha (Rodrigo), Adriano, Paulo André e Beto (Dennys); Cocito (Marcos Vinícius), Alan Bahia, Fabrício e Evandro; Finazzi e Caetano
Técnico: Antônio Lopes

Local: estádio Pinheirão, em Curitiba (PR)
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Rogério Carlos Rolim (Fifa-PR)
Cartões amarelos: Adriano (A), Neto (P), Marcos (P), Marcos Vinícius (A) e Alan Bahia (A)
Cartões vermelhos: André Dias (P), Adriano (A), Dennys (A) e Neto (P)
Gols: Borges, aos 3min do primeiro tempo, e Beto, aos 25min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias